Oi gente, como anda a vida de vocês? Bem esta semana a Ká, foi à procura de novos escritores para uma entrevista aqui no Acordei, e me deparei com o twitter do Gutti (Rogério Mendonça), e lembrei que ele e o Federico vão publicar um livro. Que tal uma entrevista com eles?


Bem a Ká, foi atrás e conseguiu a entrevista. Olha estou gostando de entrevistar o pessoal, já que no Twitter algumas pessoas acham que sou agente kkkkkk, (pessoas que falam: Mi, Francisco -Novo Conceito- e Marcelo Lima). Só por que adoro saber da vida de todos. Lógico! Imagina você conversar com alguém sem saber o rosto desta pessoa?! hehehe. 

Bem os meninos são super simpáticos. Como falei para o Gutti, eu achei que eles eram metidos kkk (tá pode bater em mim), mas mudei minha opinião assim que ele me respondeu no Twitter, e depois que li a entrevista então, achei eles fofos, rs. Aprendi a não julgar as pessoas, rs!

Como, a maioria de vocês sabe, eles estão para lançar o livro: O preço de uma lição pela Novo Conceito. E eu tenho certeza que vai ser sucesso. Vamos a entrevista.



1 – Bem, meninos, acho que a maioria das meninas devem conhecer vocês rsrs \o/ Mas quero uma apresentação rsrs Que tal falar um pouco sobre vocês, idade, onde moram...

Gutti: Eu tenho 23 anos e 12 meses, nasci em São Paulo, mas moro em Curitiba desde Março de 2010. Resumidamente sou uma pessoa de bem com a vida, alegre e brincalhona. Sou empresário, tenho um sócio. Gosto mais de escrever do que ler, mas não dispenso uma boa leitura. Quando eu tinha mais tempo livre gostava de jogar futebol, videogame, ver filmes e assistir seriados. Para distrair, faço teatro, toda terça e quinta e tudo isso resume bastante a minha vida.

Federico: Tenho 19 anos, sou argentino, vim para o Brasil com 3 meses de idade. Fui criado em Balneário Camboriú, mas hoje estou morando no Rio de Janeiro. Gosto muito de ler e escrever, ver filmes, seriados, malhar e ir para praia. Adoro praia. Era uma pessoa um pouco tímida, mas venci isso quando fiz teatro.


2 - Agora que já falaram de vocês, vamos para o que interessa: o livro! Afinal, é para isso que estamos aqui, não é meninas? Quando foi que vocês decidiram escrever um livro?

Gutti: A gente não decidiu, a gente foi escrevendo e trocando alguns textos. Por mero hobby e pelo prazer de escrever. Assim foi por aproximadamente uns 7 ou 8 meses.

Federico: Sim. A única decisão que a gente tomou mesmo, foi a de publicar, quando vimos que tínhamos uma boa história. Então a gente continuou a história com uma abordagem um pouco diferente, para tomar a forma de um livro, mexemos em alguns textos e demoramos mais uns 2 meses para terminar tudo.

3 - Por que o nome do livro é "O preço de uma lição”? Alguma coisa a ver com a vida de vocês dois? 

Gutti: Tem um pouco a ver sim. A gente só não pode entrar muito em detalhes porque vamos estragar a surpresa do livro. Imaginamos que muitas pessoas vão ler o livro inteiro esperando desvendar o título.

Federico: Exato. O título foi uma preocupação o tempo todo, surgiram várias idéias e só conseguimos chegar a esse título depois de escrever o último capítulo. Tudo se encaixou e hoje a gente não consegue enxergar um outro título que não fosse esse.




4 - Eu sei que escrever um livro não é nada fácil, e escrever um livro junto com outra pessoa? Como foi que nasceu a idéia? De quem partiu a iniciativa de escrever este livro?

Gutti:  Acho que trabalhoso, talvez, seja a palavra que está buscando. Não é difícil, pelo menos para quem gosta de escrever. Flui naturalmente. Mas claro, não estou falando que nunca vamos encarar uma dificuldade, como um bloqueio criativo, ou se você for escrever sobre alguma coisa que você não domina muito bem e exigirá muita pesquisa. Dificuldades existem pra tudo que se vai fazer na vida. Nossa dificuldade maior foi conseguir colocar a história como se fosse uma única pessoa narrando, ao inves de dois, como é no nosso caso, com dois autores.

Federico: Todos nos perguntam se foi difícil escrever uma história com outra pessoa. Como o Gutti falou, a gente encontrou mesmo essa dificuldade de colocar tudo em uma única linha de narrativa e também de raciocínio, mas os prós foram maiores do que os contras. Acho que um agregou bastante coisa ao outro, e como tem muita coisa no livro que foram baseadas em coisas que aconteceram ou comigo ou com o Gutti, os dois contribuíram bastante para o conteúdo. Quanto a iniciativa, conversávamos muito sobre nossos relacionamentos, por passarmos por coisas muito parecidas. Um dia fiz uma espécie de um conto, só de brincadeira, para tirar sarro, com uma situação que o Gutti tinha passado e mandei para ele ver. Ele acabou comprando a ideia e fez o mesmo com experiências que eu tinha contado a ele. Assim que começou a brincadeira. Quando o Gutti contou que tinha a ideia de publicar nossas histórias, centralizando as histórias em um só personagem e acrescentando um pouco de ficção, eu concordei.



5 - Vocês sempre gostaram de livros? Ou teve alguma época da vida de vocês que livro era somente para ser um enfeite?

Gutti: Olha, eu já disse isso em outro entrevista. Se hoje eu gosto de ler e escrever é graças a J.K.Roling. Acho que o que os colégios fazem com os alunos é um crime. Pedindo para eles lerem livros que não são compatíveis com a idade e a mentalidade que tem na época. Eu achava uma tortura ter que ler os livros que a escola pedia, e associei a leitura a uma coisa chata e maçante. Se ainda criança, eu não tivesse ganho Harry Potter e descoberto que leitura pode ser bom e prazeroso, muito provavelmente não teria lido muitos livros sensacionais e muito provavelmente não teria escrito O Preço de Uma Lição com o Federico.

Federico: Mais ou menos por aí. Mas no meu caso foi um pouco diferente, no começo também não gostava das obras que a escola nos pedia, mas com o tempo nossos gostos mudam e acabei criando gosto pela leitura. Harry Potter também teve grande influência para mim, mas ainda adolescente já gostava de alguns autores nacionais como Jorge Amado.


6 - Ter um livro publicado nos dias de hoje é muito difícil, o que vocês acham do mercado editorial no Brasil?

Gutti: Olha, vamos nos basear para falar no que a gente conhece. Nós não encontramos dificuldade para encontrar uma editora. Nós queríamos lançar o livro pela Novo Conceito e ela foi a primeira editora que procuramos, e depois de uma semana que tínhamos enviado o Original para eles, estávamos em Ribeirão Preto assinando o contrato. Eu acho o mercado editorial do Brasil muito bom. Brasileiro tem mania de reclamar de tudo que é do Brasil, mas a verdade é que somos muito bons em muitas coisas. O mercado Editorial Brasileiro é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil novos títulos por ano. Através de blogs e essas coisas, conheci alguns escritores independentes que tive a oportunidade de sentar e conversar na Bienal do Livro este ano. Alguns deles reclamam de não ter editora, mas nunca chegaram a procurá-las.

Federico: Esse Gutti fala, ein? Deixa um pouco pra mim. Rsrs. Mas concordo com ele. O mercado editorial Brasileiro é muito bom. Tenho certeza que muitas editoras buscam novos autores Brasileiros e tem dificuldade de encontrá-los. Não só na Novo Conceito, como em todas as outras editoras. A Novo Conceito está com um novo selo, a Novo Conceito Jovem, e nas diversas conversas que tivemos com o pessoal de lá, eles revelaram que estão sim atrás de novos autores e tá difícil de encontrar.


7 - Conte um pouco do que vamos ver no livro, se tem romance, o que vocês pretendem passar para os leitores.

Gutti: Olha esse Federico falando de mim? Quase escreveu outro livro na pergunta 4 e vem falar de mim agora. Bom, deixa pra lá. O livro vai abordar a transição do final da adolescência até o inicio da vida adulta do protagonista. Tem uma abordagem muito grande sobre o amor e a amizade na adolescência. Tudo isso com altos e baixos. Vou deixar o Federico falar um pouco, senão ele reclama, né?

Federico: Obrigado. Sr. Gutti. Hunf! Vamos mostrar os erros e acertos, a mudança de valores e prioridades. Tudo que faz o personagem crescer e mudar para melhor. A visão que ele tem sobre tudo que ele vem passando e os sacrifícios que ele tem que fazer para amadurecer e se tornar uma pessoa melhor. Os questionamentos que ele frequentemente tem, se as vezes vale a pena abrir mão de alguma coisa valiosa para tirar algumas lições. Mas não podemos falar os detalhes de cada experiência, senão vamos tirar parte das surpresas do livro.


Papo rápido:

Um sonho: Continuar sonhando | Amar
família: Base | Ponto de paz
um autor: Stieg Larson | Bernard Schlink 
um livro: Trilogia Millenium | O leitor
um filme: Forrest Gump | Elsa & Fred
Deus: Parceiro | 
Uma pessoa: Chico Buarque | John Lennon
Uma música: She - Elvis Costello | Edith Piaf - Non Je Ne Regrette Rien

Quer acompanhar o trabalho dos dois? Então entra no site do Gutti AQUI e do Federico AQUI. Agradeço de montão aos dois, e tenho certeza que o livro “O preço de uma lição” vai ser sucesso.


Bjkss pessoal, semana que vem tem mais =D 

11 Comentários

  1. Eu to mega ansiosa pra ler esse livro. Com certeza vai ser um ótimo livro, porque ambos são talentosíssimos :)

    ResponderExcluir
  2. Gostei da entrevista. Quando eu estudava também não gostava muito de ler. Uma amiga me incentivou a ler e hoje até escrevo.
    Parabéns rapazes o livro de vocês parece muito bom. vejo a hora de ler.

    ResponderExcluir
  3. Oi Ká,
    Bom, sem querer desmerecer as outras entrevistas, todas foram excelentes, mas essa foi a que eu mais gostei, não sei se foi pelas perguntas, ou pelas respostas, talvez seja pelo conjunto inteiro da obra.
    Eu já conhecia um pouquinho sobre o argentino Federico e tenho que admitir, jamais imaginaria ele escrevendo um livro, ainda mais publicando. Adorei descobrir esse lado dele e conhecer o Gutti.
    Como eu disse ai em cima, eu amei a entrevista, alem de gostar, por mais que a entrevista seja longa a leitura foi bem prazerosa e ainda tirou algumas duvidas minhas, como o fato de como é escrever um livro em dupla. E o mais legal ainda é que eles não pararam e falaram: "Então vamos escrever um livro?". Pelo contrario, a coisa nasceu naturalmente.
    Sem contar também, que teve uma parte em que mesmo que não fosse diretamente pra mim...Eu levei uma bronca do Gutti quando ele faz referencia ao fato do brasileiro ter a mania de reclamar de tudo que é do Brasil. Tenho que admitir que sou uma dessas, ou pelo menos estou deixando de ser, depois de algumas experiencias que tive, comecei ver o Brasil com outros olhos e vou deixar mais ainda depois dessa resposta (lei-se bronca) do Gutti.
    Outra coisa que achei bastante interessante é o fato do Gutti apontar a leitura de livros que a escola pedia era torturante, e associou a leitura a uma coisa chata e maçante. Foi o que aconteceu comigo nunca me interessei pela leitura, por causa de escola e graças a Harry Potter (também), foi que me interessei pela leitura, caso ao contrario, abominaria a leitura. E acho que se hoje em dia se tem menas pessoas lendo, é por esse justa causa, pedindo para crianças "lerem livros que não são compatíveis com a idade e a mentalidade que tem na época"...
    Falando sobre os autores agora. Como ja disse adorei conhecer um pouquinho mais de cada um. Eles são uns fofos, não são metidos (né Ká?) e são engraçados, inclusive acho que por eles serem bem humorados acho que eles colocaram isso no livro, uma pitadinha de comédia...Mas ainda não posso tirar nem uma conclusão antes de ler o livro, o que com certeza irei fazer !
    Uma comentadinha sobre a capa. Gostei bastante dela, acho que ficou bem descontraída, gostei!
    E a proposito aqui vai um comentário desnecessário mas não posso deixar passar...Meu Deus que autores lindos...#prontofalei, mas jogue a primeira pedra quem achou o contrario!
    Parabéns aos autores, muito sucesso !
    Ótimo Post Ká !
    E mais uma vez eu não pude me controlar e fiz um comentário enorme !
    BEEJO ;*

    ResponderExcluir
  4. AAAAAAAAAAI, deve ser muito legal. Vamos ver se o nosso Eterno Colírio sabe escrever bem!

    ResponderExcluir
  5. Tem algum tempo já que estou vendo falarem na mídia que o Federico ia lançar um livro e tudo o que eu pensava era: Tá, agora o Colírio vai ser escritor? hunf, sei!
    Puro preconceito da minha parte, mas eu tinha muita descrença mesmo até ler essa entrevista que ficou maravilhosa né, vamos combinar.
    O cara arrumou um parceiro e vão mesmo lançar um livro, e eu já pus na minha wishlist!
    Fiquei com curiosidade para ler só de ler as respostas deles.

    Agora,cá para nós,alguém avisa a Juuh Winchester que ela fala demais...kkk,help! Concordo absolutamente com ela no quesito 'beleza dos escritores', são colírios mesmo, agora só me resta poder ler o livro para saber se o personagem vai ter esses mesmos atributos. Um abraço Ká!

    www.gabymenddes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olha aqui, se fosse o Federico, falando que eu falo demais tudo bem, mas Gaby...Por favor né? kkkkkk' (Momento eu sou o Gutti) Brincadeira amiga, eu falo demais mesmo, nem eu as vezes me aguento, de domingos eu trabalho de papagaio, quem quiser me contratar ou me adotar, fica a vontade !
    E parando pra olhar, mais umas linhas e meu comentário seria maior que a entrevista da Ká !
    BEEJO ;*

    ResponderExcluir
  7. Fiquei mega curiosa pra ler o livro dos guris, em primeiro lugar porque deve ser super interessante um livro escrito a dois e otras cositas más kkk.
    Mas enfim que bela entrevista Ká, as perguntas foram ótimas e as respostas profissas. Adorei, me avisa quando o livro for lançado.

    ResponderExcluir
  8. Adorei a entrevista... Dinãmica e bem elaborada. Senti-me como se estivesse eu e os autores frente a frente em uma papo super astral.
    Este será um dos livros da minha lista para futuras compras... já li alguns textos do Federico no seu site e me amarro em seu pensamentos e desabafos... Irei depois dá uma passada no site do Gutti... Abraços a todos e sucesso!
    Meu Blog:http://www.matheusgaudard.com.br/
    #FICADICA

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pela linda entrevista, flor!
    Tô BEM curiosa pra ler o livro :B

    :*
    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir
  10. Onde é que eu estava, que não conhecia ainda o Gutti (olha a intimidade) e o Frederico?? kkkkkk
    Ameei a entrevista, Ká!
    Eles demonstraram ser super atenciosos e simpáticos.
    Gostei muito das respostas deles.
    Tenho certeza que essa parceria é tudo de bom.
    Estou super ansiosa para ler "O preço de uma lição." Só conhecia o livro pela capa, que por sinal, adorei. Tomara que eu curta bastante a história. Dá pra ter mais ou menos uma ideia do que o livro quer nos trazer e creio que irei gostar.

    Parabéns pela bela entrevista!
    Beeijo*;

    ResponderExcluir
  11. Nossa tão jovens ne e bonito este Gutti a entrevista.O livro O preço de uma lição parece se legal. Parabéns pela bela entrevista!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.