Olha que delicia gente, mais uma entrevista com uma autora nacional, que é fofa. Novamente estou aqui tentando ser a entrevistadora perfeita, mas acho que isso é impossível. Não tenho o dom kkkkk A Leila, é uma fofa, quando pedi parceria para ela, na hora aceitou srrs Adoro!!!!! O livro que estou terminando, é fofo demais. Tenho certeza que todos vão adorar. Agora conheça um pouco desta escritora e da sua obra Reencontro.




Quem é Leila Krüger? Conte um pouco de você, o que faz? 

Quem eu sou é uma pergunta interessante. Estamos sempre em mudança, mas acho que o que melhor nos define são nossas atitudes e nossos sentimentos. Posso dizer que eu sou gaúcha, nascida em uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul chamada Ijuí. Depois fui para a capital. Sempre gostei de ler e escrever, é uma necessidade para mim. Sou uma pessoa bastante introspectiva, que escrevendo ou cantando consegue expressar o que sente ou pensa. Procuro seguir meus princípios e gosto de fazer as coisas do meu jeito. Sou apaixonada por literatura, música e cinema. Atualmente divido meu tempo entre os estudos, trabalho, leitura e escrita.

De onde você tirou inspiração para Escrever Reencontro?

Da vida, do que vivi, senti, vi e pensei. É uma história que me tocou ao escrevê-la e espero que toque os leitores. O amor, as amizades, as perdas, as lutas, os sonhos, as histórias que parecem impossíveis me inspiram. Nossas inspirações podem ser praticamente infinitas.

Resuma em poucas palavras seu livro...

A história de Ana Luiza, uma garota como muitas por aí, que buscava a paz e o amor, embora já tivesse desistido dele. Uma garota que vive em Porto Alegre, faz faculdade e está passando por um momento difícil de perdas, dor, mudanças. Amante da literatura e da música, principalmente rock, ela vê sua vida virar de cabeça para baixo com acontecimentos surpreendentes. Logo no começo ela conhece alguém aparentemente muito diferente dela, mas que mexe de verdade com ela e passa a fazê-la ver a vida de formas diferentes. O livro aborda situações cruciais da vida como amor, amizades, perdas, família, profissão, fé e dependência química, que é um tema cada vez mais presente. É uma história de superação, acima de tudo, com trilha literária e sonora, com citações de vários escritores como Clarice Lispector, Mario Quintana, Vinícius de Moraes, e letras de música.

O que lhe traz inspiração e quando ela se vai o que você faz para tê-la outra vez?

A inspiração vem quando quer e vai quando quer... Mas o que me inspira muitas vezes são a tristeza, a solidão ou o amor. Sentimentos, em geral. Uma bela paisagem também inspira, uma música bonita...


Levando em conta o quanto é difícil ser escritor em um país que lê tão pouco, alguma vez já pensou em desistir?

Realmente é difícil. Acho que nunca devemos desistir daquilo que gostamos de fazer, que faz parte de nós. Temos que nos dedicar e ter paciência. É claro que às vezes dá um desânimo, mas eu acredito na beleza do trabalho daqueles que fazem com amor. Todos aqueles que desafiam as probabilidades e os problemas e persistem. Os escritores devem tentar divulgar muito seu trabalho e não perder seu estilo ou suas convicções, mas também estarem abertos a mudanças, aprimoramentos.

Vocês sempre gostou de livros? Ou teve alguma época da sua vida que livro era somente para ser um enfeite?

Sempre gostei, mas em certas épocas praticamente não lia. Nos últimos tempos estava lendo praticamente só livros profissionais. Como eu digo, “um livro é um coração que bate nas mãos de quem lê.” É um mundo de sentimentos e percepções. Um livro é uma vida. Mas gostaria de ler mais, tirar tempo para ler todos os livros que quero, principalmente os clássicos.

Quais suas paixões literárias? Autores preferidos, obras inesquecíveis.

Muitos deles aparecem no livro Reencontro: Clarice Lispector, Vinícius de Moraes, Mario Quintana, Érico Veríssimo... Também gosto de Dostoiévski, Hermann Hesse, Lygia Fagundes Telles, Morris West, Oscar Wilde... Sinto que existem muitos autores me esperando para eu descobri-los, e me inundar com talento e sabedoria.


Deixa uma mensagem para os seguidores, e nos conte se já tem algum livro novo a caminho.

Sempre procuro deixar uma mensagem de que não desistam de seus sonhos, acreditem no amor, na amizade, nos sentimentos bons e nas pessoas boas. É claro, sempre tentando selecionar. Precisamos selecionar as coisas que queremos na nossa vida. Estou trabalhando em um livro de poesias e em um novo romance, que vai ser bastante diferente de Reencontro, acho que mais polêmico, abordando temas cruciais da vida. Não vou contar ainda pra não estragar a surpresa! Estou pesquisando para fazer um bom trabalho.  

Link do Blog ou site: Hot site do livro com primeiro capítulo: www.leilakruger.com.br
Página de Reencontro no Facebook, quem curte concorre a sorteios de exemplares autografados:  https://www.facebook.com/pages/Reencontro/235370883144011


Rapidinhas

Um gosto inusitado: Dias nublados é inusitado?
Uma paixão: Escrever.
Amor é: O que nunca cabe em nós, e é indispensável a nós.
Ídolo: Meu único ídolo é Deus, que me sustenta a cada dia e faz o impossível, mas admiro várias pessoas...
Livro inesquecível: A Cabana e As Sandálias do Pescador, de Morris West
Escritor(a): Clarice Lispector é a minha grande inspiradora. Mas são vários inspiradores.
Filme inesquecível: Amo ver filmes... são muitos. Um que me marcou foi Meninas Não Choram, um filme lindo sobre amizade, sobre não desistir de alguém que se ama quando esse alguém está se perdendo e tentar ajudá-lo.


6 Comentários

  1. Parabéns pela entrevista Ká! Estou ansiosa para ler o livro da Leila Kruger, Reencontros! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. ainda não conhecia o livro e a autora, achei super legais as mensagens que ela passou na entrevista! =]

    --
    hangover at 16

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde,

    Gostei muito da entrevista e tenho curiosidade em ler o livro dela.
    Parabéns.

    Abçs.

    ResponderExcluir
  4. Quantas mensagens lindas em uam só entrevista!
    Sério, amei várias coisas que a Leila disse!
    Também acredito que quando se faz com amor, se faz bem feito!

    Reencontro parece ser um livro bom...
    Meio forte, emoções fortes...
    Aquele que vc não sabe se chora, se continua lendo ou se fecha o livro e para por ali mesmo!
    Fiquei curiosa pra ler!!!

    Beijaum Ká!

    ResponderExcluir
  5. Oiii adorei a entrevista e quero muito ler o livro BjOs!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Muito legal ver uma entrevista de autor nacional. Eu sempre tive um pouco de receio dos livros nacionais, tirando os clássicos, acho que ainda existe o preconceito, mas que aos poucos vai sendo deixado de lado. Fiquei curiosa a respeito de "Reencontro", tenho lido coisas positivas sobre ele.

    Beijinhos

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.