Sinopse


Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final.


Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas, o dia do despertar do Altíssimo. Único sobrevivente do expurgo, o líder dos renegados é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na batalha do Armagedon, o embate final entre o Céu e o Inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro do universo.

Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano; das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval. A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana, mas é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, cheio de lutas heróicas, magia, romance e suspense.

"Um ótimo livro para dar um "tapa na cara" da sociedade que acha que livro nacional é ruim e não tem potencial."



Minha opinião


Finalmente, depois de semanas consegui fazer essa resenha, mas acredito que essa jamais irá transmitir a grandiosidade do livro e muito menos o quanto eu gostei do mesmo. Porque será que é tão difícil resenhar, falar de um livro que a gente simplesmente amou?
Sempre quis ler o livro A Batalha do Apocalipse, por vários motivos. Primeiro por que era sobre apocalipse e segundo por que quando eu descobri que era de um autor nacional, fiquei mais ainda curiosa pela leitura, precisava conferir. Confesso que demorei mais do que deveria na leitura, apesar de ser um ótimo livro a escrita é muito detalhada e eu não estava acostumada com isso, mas por fim, o livro acabou me agradando. Se tornou um dos meus livros favoritos. Um ótimo livro para dar um "tapa na cara" da sociedade que acha que livro nacional é ruim e não tem potencial.

O que chama a atenção no livro é a forma em que o autor o escreveu, intercalando passado e presente. Passado no céu, presente na terra, passado na terra e presente no céu. "Nossa mas isso não vai confundir?" você se pergunta, não, o autor escreve tão magnificamente que em nenhum momento eu me perdi na leitura. O passado e o presente acompanha sempre o mesmo personagem: Ablon, o anjo renegado.

Quando Deus (Yahweh) termina o trabalho de criação ele entra em profundo sono (o sétimo dia), e durante esse longo (longo mesmo, leva milhões de anos) descanso, os arcanjos ditam as ordens no céus, e os mesmo cometiam atrocidades julgando ser ordens de Deus. Por fim todos os arcanjos tinham um único desejo, comandar, serem os sublimes, em outras palavras serem o próprio Deus.
Miguel, o Príncipe dos dos Anjos, odiava a ideia do criador amar os humanos, então arquitetou varios planos para exterminar a criação, mas nenhuma funcionou. Revoltados com as atrocidades cometidas por Miguel um grupo de anjos se unem contra ele, eis que surge Lucifer, A Estrela da Manhã, que trai esse grupo de anjos revoltados fazendo com que eles sejam expulsos do céu e enviados para a Terra (Haled), criando assim os Renegados, esses que seriam perseguidos e mortos. Com o prestigio de ter delatado os revoltosos e expulsados-os do céu, alguns anjos se reúnem a Lucifer, isso faz com que desperte a fúria de Miguel, fazendo o mesmo expulsar Lúcifer e seus seguidores ao Sheol (Inferno).
Do céu e do inferno, todos os anjos aguardam o Apocalipse, onde no mesmo Deus despertará do seu sono...

Apartir daí conhecemos Ablon, o Anjo Renegado, que foi enganado por Lucifer. Ablon é um anjo excepcionalmente incrível, um anjo da casta dos querubins, que são os guerreiros. No decorrer da história descobrimos tudo o que aconteceu no céu e na terra pelos olhos de Ablon, viajamos com ele por varias jornadas que vão do passado ao presente, do Japão ao Rio de Janeiro. Com ele conhecemos lugares que hoje nem mais existem na face da terra, conhecemos espíritos e vários outros anjos. Ablon, odeia os Arcanjos, principalmente Lúcifer e Miguel. Da terra Ablon também aguarda o despertar do Criador, o Apocalipse, o dia do Juizo final.

Durante as jornadas de Ablon encontramos vários personagens (bandidos e mocinhos), que apesar de serem secundários, tem papeis fundamentais na história e que dificilmente você ira esquecer como: Shamira, a fenticeira de En-Dor, cuja a mesma Ablon tem um romance; Flor do Leste, uma garotinha que ajuda muito Ablon após ter se ferido gravemente... Enfim muitos e muitos personagens de personalidades fortes, aqueles personagens que após a leitura você tem a convicção de que eles realmente existem.

Eduardo Spohr, foi excepcional ao escrever esse livro, criando mitologias incríveis, portais, plano físico, plano espiritual, tecido da realidade, vértices, vórtices, castas angelicais como: querubins, ishins, serafins etc...
É o tipo de livro que você se surpreende a cada página. Gostaria de falar muito mais sobre o ele, mas dessa forma irei acabar soltando spoillers. A questão é: Ablon se juntara a Lúcifer e lutará contra Miguel, ou se juntara a Miguel e lutará contra Lucifer? Ablon, o Anjo Renegado irá  fazer o seu próprio exercito e lutar contra Miguel e Lucifer? E Deus, será que ele realmente irá despertar do seu sono? Se sim, como ele irá sentenciar os culpados?

Com toda a certeza A Batalha do Apocalipse é um livro que super recomendo para quem é amante de uma fantasia super bem escrita e uma história muito detalhada. A unica coisa que eu pensava enquanto lia era: Porque não fazem um filme desse livro?
Como eu ja disse eu tenho total convicção de que essa resenha ficou péssima comparada a grandiosidade do livro. Ja escrevi essa resenha um trilhão de vezes mas em nenhuma fez juz ao livro que é excelente vocês podem ter certeza disso.

6 Comentários

  1. Bom dia :)
    Este livro eu quero ler *--*

    Excelente resenha :)

    Beijos e cuide-se

    RIMAS DO PRETO

    ResponderExcluir
  2. Olá, July!
    Eu nunca li este livro, embora eu não seja fã do gênero Fantasia, por isso ainda estou com receios de conferir a história. Gostei muito do seu ponto de vista na resenha e certamente, trata-se de uma leitura essencial para quem aprecia Literatura Fantástica.
    Bjs.

    Mariana Ribeiro
    Confissões Literárias.

    ResponderExcluir
  3. Tenho esse livro há um tempão na minha estante, mas nunca li... :( Sempre passo outro na frente dele... Acho que agora vou finalmente lê-lo!

    ResponderExcluir
  4. Adoreiiii demais. Vou ler muitoooo.
    Confira meu blog tb amore... nomundodamusicalivrosefilmes.blogspot.com
    Valeu.bjs.
    ingryd

    ResponderExcluir
  5. Nossa, adorei demais...achei muito legal teu ponto de vista!
    Fiquei curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  6. Vi esse livro na minha escola outro dia. Gente, é ele mesmo. Ah vou pegar. Quero ler!!! Esse parece pra lá de bom!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.