Bom dia pessoal do Acordei com Vontade de Ler! Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre o autor Rafael de Souza e sua obra "Manfelos - a distorção da realidade".

Biografia do autor
Nome: Rafael de Souza
Idade: 20 anos [28/10/1991]
Cidade: Mococa-SP
Rafael de Souza é natural de Mococa-SP, tendo participado, durante pouco mais de três anos, do CBT – Curso Básico de Teatro, oferecido gratuitamente pela cidade e ministrado pelo excelente diretor Marco Antonio Coelho de Moraes, vulgo Maestro. Escreve desde os quatroze anos quando pegou gosto por literatura internacional. Desde essa época não parou mais, no que resultou a criação desta pequena saga em quatro volumes. Gravou curtas-metragens, foi incumbido de escrever um roteiro, o qual finalizou, sobre a vida adolescente. Participou de eventos teatrais para crianças, apresentações beneficentes, tendo também ingressado em concursos na região, como, por exemplo, Mapa Cultural e Festival do SESI em Sorocaba-SP. Foi apontado com a melhor redação da turma, em 2006, durante o término do ensino fundamental, levando, portanto, a premiação do EPTV na escola. Com apenas vinte anos, começa a carreira de escritor, com a qual pretende seguir trazendo ao país suas histórias de fantasia, incluindo um projeto de obra crítica sobre o mundo contemporâneo.



Sinopse - Em Manfelos, cidade ao norte do Canadá, quase não há mais resquícios de vida. A cidade se tornou uma lenda e encontra-se abandonada. Fred Gordon tem um sonho com seu falecido pai, que lhe conta uma história nada agradável. De repente, sem que esperasse por isso, ele se vê dentro daquele conto de terror. É parte da história. Precisa desvendá-la e sair vivo. Fred se vê numa corrida contra o tempo para deter um estranho lorde chamado Mandraco, o qual está reunindo um exército para concluir uma secreta tarefa.
Com a ajuda de seu amigo Leonardo, ele se une a Spellver, Sr. Johnson, Blunnie e Judy, os quais também parecem estar trancados na mesma história de terror. Todos eles se propõem a deter Mandraco, antes que a cidade de Manfelos traga algo muito pior que a morte.


Oi Rafael, tudo bem?
Rafael - Tudo bem, graças a Deus! rsrs

Pela sua biografia é possível observar que você sempre esteve envolvido com artes, e escreve desde os quatorze anos de idade. Como foi a transição do teatro para se tornar escritor?
Rafael - "Em 2009, quando comecei a escrever, eu estava saindo do ensino médio. Era minha formatura. Meu sonho era cursar faculdade de artes cênicas, pois queria ser ator. Mudar de Mococa, cidade pequena de interior, para a grande São Paulo seria uma aventura e teria seus custos. Imaginei que publicando um livro isso viesse a me ajudar, tanto financeiramente quando na divulgação do meu nome. Por isso eu quis escrevê-lo. Mas seis ou sete meses depois, já em 2010, percebi que Manfelos podia se transformar numa saga e, de repente, o sonho de ser ator meio que evaporou. A vontade que eu tinha de escrever superava tudo e assim nasceu esse meu "eu autor"".

E a família, o que acha de ter um autor em casa?
Rafael - "Minha mãe é toda orgulhosa do meu trabalho com Manfelos. Aliás, desde o início ela foi um dos familiares que mais apoiaram o projeto. Gosto de ver a paixão nos olhos dela quando fala do filho enquanto escritor. Meu irmão e minha irmã também estão satisfeitos e felizes por mim e a série. Apenas meu pai é quem tem um pé atrás, talvez pelo modo diferente de pensar. Ele, embora contente com a ideia, não gosta muito quando sonho demais.

Quais autores (ou autoras) são a sua referência? O que você gosta de ler no seu tempo livre?
Rafael - " Um autor – Jostein Gaarder, que escreveu “O mundo de Sofia”. Tenho paixão por esta obra, pois ela condensa toda a história da filosofia num livro fácil para jovens e adultos. Sua releitura, mesmo na décima nona vez (rsrs) ainda consegue ensinar e divertir sem igual. E uma autora – J.K. Rowling, que escreveu a saga Harry Potter. Meu amor e orgulho por ela são tão imensos que não consigo encontrar as melhores palavras para elogiá-la. No meu tempo livre leio publicações nacionais de amigos, como Denis Lenzi, Bia carvalho, Hermes Lourenço, André Plez, Francisco Erasmo e Maysa Mega.

Fale um pouco sobre o seu processo criativo para desenvolver “Manfelos”. Qual foi a sua principal inspiração?
Rafael -  "Durante quase toda a minha infância, estava eu ao lado de Gustavo Lippi, meu primo. Foi ele quem incutiu em mim todo o tipo de game dos mais antigos consoles. Passar os anos viajando nas aventuras que esses games ofereciam criou meu arsenal criativo. Em 2007 ou 2008, não me lembro, fiz uma redação na escola baseada nesse material gamer com o qual cresci. Esta redação de seis páginas se transformou numa pequena história de vinte e duas, que se estendeu para cento e oitenta e duas e por fim nasceu o primeiro Manfelos, com as atuais trezentas e trinta e seis páginas. Os livros Harry Potter ajudaram bastante a me inspirar, principalmente pelo respeito e orgulho que tenho por J.K. Rowling, minha autora favorita".

 Fale um pouco sobre “Manfelos” e seus personagens. O que os leitores podem esperar da obra?
Rafael - "Primeiramente vamos tarjar a saga com “Apocalipse”. Há uma épica guerra entre o Céu e o Inferno se aproximando. O primeiro volume inicia toda essa jornada que trará o fim dos tempos. Confesso que criei meu próprio armagedom, ou seja, não há nada bíblico na série. O leitor irá encontrar um mundo diferente, fictício, disposto a levá-lo ao universo da fantasia. Posso dizer que o livro traz a história de Fred Gordon, um canadense, que de repente é chamado para participar de uma batalha em Manfelos, cidade ao norte do país. Ele descobre que está vivenciando fatos de um antigo conto lido por seu falecido pai, num acampamento qualquer. Fred estará ao lado de guerreiros e guerreiras durante sua busca por respostas, e em meio a tudo isso se vê fadado a explorar seu passado e bater de frente com um poderoso demônio, que espreita para matá-lo".

Como foi para você o processo de publicação do livro? E quais dicas você daria aos futuros autores?
Rafael - "Bem... após entrar para a Dracaena, tudo foi um sonho. A indicação da editora veio do meu capista André Siqueira, quem sugeriu que eu enviasse um e-mail anunciando Manfelos. Adoro trabalhar com eles, principalmente ao lado de encantadores autores como Vanessa Bosso, Lu Piras, Edson Gomes e outros. A valiosíssima dica que eu deixo é: “Caros autores(as), não tenham pressa para publicar. É muito importante ser aceito numa boa editora, que distribua bem o seu trabalho e te valorize enquanto profissional. Sabemos que a emoção da publicação é grande e ficamos loucos para que tudo aconteça logo, mas cuidado! A paciência e a pesquisa são suas melhores armas. Use-as!”".

O que os leitores podem esperar do Rafael de Souza no futuro?
Rafael -  "Podem esperar mais três novos lançamentos para fechar a saga de Manfelos e novos projetos literários após o término da série. Talvez, com extrema dedicação e Papai do Céu, podem aguardar também que eu venha a me tornar roteirista. Quem sabe, lá na frente, não rola algumas produções cinematográficas escritas por mim?!"

Gostaria de deixar uma mensagem para os leitores do Acordei com Vontade de Ler?
Rafael - "Há duas frases que publiquei recentemente e ambas resumem muita coisa. Por ora, quero compartilhá-las com vocês. “Não há faixa etária para a criatividade e o sucesso” e “O talento é algo a ser lapidado: ninguém começa mestre"".

Para quem quiser saber mais sobre o autor e sua obra, acesse:

Espero que tenham gostado do post e na próxima semana traremos mais um autor "No divã do Acordei".
Beijos

7 Comentários

  1. Olá,td bem?
    Ainda não li o livro Manfelos,só resenhas.
    J.K.Rowling,é uma ótima referência para o Rafael,que é um jovem escritor.Na minha opinião a autora escreve divinamente bem.
    Parabéns,e sucesso:D

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ao Rafael por essa conquista,e que ele tenha muito sucesso.
    A capa é linda e a estória parece ser ótima

    bjs Nati

    ResponderExcluir
  3. É tão bom ver que os nossos novos escritores estão saindo do armário (kkkkkkk). Com tantos exemplos maravilhosos para seguirem teremos uma nova geração de leitores amantes dos livros nacionais.
    A capa é maravilhosa e o enredo, para quem gosta de terror, me parece ser cativante.

    Um leve bater de asas para todos!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. É maravilhoso ver que nossos jovens, estão se dedicando a literatura e criando maravilhosamente. É importante este exemplo para estimular quem está na estrada.

    soniacarmo
    retalhosnomundo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Gente! Ele só tem vinte anos e criou um mundo desses!!!! Parabéns ao Rafael e ao blog pela entrevista!

    ResponderExcluir
  6. nossa escrever desde cedo não é pra qualquer um não, Parabéns Rafael!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.