Sinopse “Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purificar as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam. Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente. Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo do Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam a todos”.

Minha opinião – Quando a Ká me enviou esse livro, eu estava simplesmente louca para começar a ler “O clã dos magos”, mas me contive. Antes que alguém me pergunte por que eu já explico: eu fiquei enrolando para ler porque só de ler a sinopse eu sabia que iria gostar muito do livro e eu iria ficar muito ansiosa esperando a continuação. Então semana passada eu comecei a leitura e devorei o livro. Eu estava certa: amei “O clã dos magos”. Deixando a parte mágica de lado um pouco, vou discutir o aspecto “social” do livro. A história se passa inicialmente durante o evento de “Purificação” que ocorre anualmente. Simplificando, o reino acabou se expandindo muito, e em torno do reino por assim dizer, foi crescendo favelas, onde a parte mais pobre da população foi se acomodando. O clã dos Magos, a pedido do rei, todo ano expulsa um determinado número de pessoas da cidade. O interessante nesse aspecto, é que fica claro, que a maioria do clã, não gosta dos “favelados”, muitos generalizam e dizem que são um grupo de ladrões, bandidos e pessoas ignorantes. O clã se tornou um grupo elitizado, pois só aceita novos membros vindos das casas, ou seja, não há pessoas pobres no meio do clã (idiotice!). Voltando a história: Sonea é a personagem principal da história, é uma jovem que morava com os tios em uma hospedaria, mas foram expulsos devido a mais um decreto idiota do rei. Muitas vezes, Sonea, por ter o cabelo curto e se vestir de modo simples, é confundida com um garoto o que tem suas vantagens. Sonea antes de ir morar com os tios (Jonna e Ranel) estava envolvida com uma gangue de jovens, entre eles Cery e Harrin, os líderes da gangue. No dia da purificação, todos estão revoltados e a gangue mais a Sonea começam a atirar pedras nos magos, mesmo sabendo que com o escudo que eles utilizam as pedras não irão atingi-los. O problema é que uma pedra consegue ultrapassar o escudo, a pedra lançada por Sonea, o que significa que ela tem magia dentro dela. A partir desse momento o livro é uma aventura só: Sonea, com a ajuda de Cery e Harrin tem que se esconder a todo custo do clã, que teoricamente quer apenas ajudá-la (eu simplesmente não acredito muito nisso rs). Infelizmente, Sonea atingiu um dos magos mais imbecis do livro, o Lorde Fergun, que por algum motivo (provavelmente pelo ego ferido) vai aprontar e muito. Claro que temos magos bonzinhos, como o Rothen, que não é preconceituoso e está tentando ajudar, mas também temos magos assustadores, como Akkarin, que esconde um grande segredo. Para não deixar essa resenha gigantesca – resumindo: O livro é repleto de aventura, magia e personagens intrigantes (como Fargen, e os Ladrões de um modo geral). A autora criou um mundo com linguagem, comida e bebida próprias e realmente me deixou empolgada com o livro. Quero muito ler a continuação e saber se Sonea realmente estará segura.
Espero que tenham gostado da resenha.
Beijos
Carol

7 Comentários

  1. Gostei da resenha, ainda não tinha lido nenhum do livro mais gostei da história.
    Pelo visto o novo livro promete ser melhor ainda.
    Bjos...

    ResponderExcluir
  2. eu to esperando o segundo livro,pois me parece uma historia super bacana, gosto desse ar mistico e com essa coisa de magia, da um ar de ilusão e de poder quando leio :)

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da história, achei ela bem interessante, é bom também porque é uma trilogia, gostei muito.

    ResponderExcluir
  4. A ânsia da sinopse já me deixa louca para ler, que isso?!
    Adorei a resenha e adorei conhecer a obra. Doida para ler agora.

    Beijos.
    http://dehkretli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela resenha Carolina! Já li O Clã dos Magos e confesso não ter gostado muito. Achei a história muito parada esó começou a deslanchar depois das 100 primeiras páginas. Também senti a falta de mais desenvolvimento e magia no enredo. Mesmo assim, estou ansiosa para ler A Aprendiz! Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Apesar de você ter gostado, eu ainda não sei o que pensar desse livro. Ele está chegando na listinha de leitura, espero gostar.

    Beijos,
    Mandi - Book and Cupcake.

    ResponderExcluir
  7. Li outras resenhas bem negativas desse livro e como a temática não me agradou, não pretendo lê-lo.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.