Sinopse - " Ninguém sabe exatamente quais são os critérios de seleção da Escola Avançada de Champ-Bleux, mas não há como discutir sua eficácia. Seus exames de ingresso não erram nunca! Entre milhares de candidatos de todos os pontos da Terra, apenas duzentos e cinquenta são escolhidos a cada semestre. E, num mundo onde ser cientista é o maior status que alguém pode desejar, a Escola Avançada de Champ-Bleux forma aqueles que são disputados a peso de ouro. Doris e Henry Melbourne são cientistas formados por Champ-Bleux. Aparentemente, são biólogos marinhos. Aparentemente, suas vidas se centram no Cisne, barco de pesquisas onde moram com os filhos. E, também aparentemente, são terráqueos... Seus filhos acreditam em todas essas aparências – ao menos por enquanto. Seguindo os passos dos pais, os jovens Melbourne fizeram os exames de ingresso para Champ-Bleux. Enquanto, cheios de expectativa, aguardam os resultados para saber se ao menos um deles entrou na Escola Avançada, veem-se envolvidos numa questão diplomática entre Terra e Tarilian, o único outro mundo habitado que os terráqueos conhecem. Inesperadamente, o futuro das relações entre os dois mundos vai ser decidido em um barco no meio do oceano! Mal sabem eles que isso é apenas o começo... Logo precisarão decidir pela Terra inteira!"
Minha opinião – Se eu tivesse que resumir em uma única palavra o que eu achei do livro: espantoso, maravilhoso, incrível, divino, mirabolante, extraordinário. Nossa, eu não sei qual palavra eu escolheria, mas vocês podem perceber que definitivamente seria uma positiva.  Confesso que sempre que tenho em mãos um livro de estreia dos autores com muitas páginas, fico um pouco receosa. Eu entendo que o autor queira expressar os sentimentos de todos os personagens, detalhar os acontecimentos, deixar a trama bem fechada, mas às vezes isso causa alguns trechos maçantes na leitura. Fiquem tranquilos leitores, definitivamente isso NÃO ocorre no livro da Eleonor. Sim, o livro é grande (tem mais de 800 páginas); mas em momento algum é enfadonho, eu fiquei o tempo todo querendo saber o que iria acontecer em seguida. Vou tentar falar um pouco do livro (senão minha resenha fica quilométrica) e não fazer spoiler (não quero estragar as surpresas para vocês leitores). O livro no princípio foca na família Melbourne, os cientistas renomados Doris e Henry e seus filhos maluquinhos (tem um monte deles): Teo e Ted, os gêmeos mais velhos (com 16 anos), Tim e Tom (com 15 anos), Pam (14 anos), Lis (com 13 anos) e Bobby (com 8 anos). Além disso, o casal adotou Peggy (14 anos) filha de um casal de amigos deles que faleceu.  O interessante nessa prole é que a autora conseguiu desenvolver personalidades fortes, bem definidas em cada um dos personagens. E o melhor de tudo é a interação deles. As crianças estão sempre aprontando umas com as outras (principalmente Tim e Peggy), fazendo travessuras com os moradores das cidades que aportam. Sinceramente, estou apaixonada por toda a família.  Peggy também foi incorporada à família e é uma graça, mas tem muitos mistérios envolvidos em torno da sua história. Mistérios que nem mesmo a pobre garota tem conhecimento (mas totalmente interessante). Essa animada trupe é a tripulação do cisne, um barco científico de tecnologia de ponta que serve de residência para família. Após uma tremenda confusão no intercâmbio intergaláctico (sim, vocês leram certo), a família Melbourne irá receber em sua casa alguns cientistas e um jornalista. Para equilibrar a situação, convidam o fogueirinha (apelido carinhoso dado pelos jovens), um jovem jornalista (que tem uma chance única em mãos, pois os Melbourne não permitem que jornalistas entrem em sua casa). Além dessa situação, os jovens Melbourne (incluindo a Peggy) fizeram as provas para ingressarem na Escola Avançada de Champ-Bleux, a melhor escola para formar cientistas. Nesse momento, começamos a conhecer outros personagens, totalmente viciantes que irão ingressar na escola (amei, amei, amei o modo que um deles utilizou para vencer a solidão rs). E temos um terceiro núcleo de personagens, que estão envolvidos nos mistérios da Peggy. Não quero me estender mais para que a resenha não se torne cansativa, então vou finalizar dizendo o seguinte: leiam “Cisne”, pois a autora conseguiu com maestria desenvolver cenários magníficos, personagens intrigantes e mistérios fantásticos. Não vejo a hora de ler o segundo livro!
Quanto ao layout, design e outros detalhes; eu dou os parabéns a editora. A revisão está impecável (situação rara em um livro tão grande), a escolha da fonte foi perfeita, os detalhes no início dos capítulos são um charme à parte e a capa é simplesmente fofa demais!

Espero que tenham gostado da resenha!
Beijos
Carol

9 Comentários

  1. Adoro a Dracaena!
    Sempre nos oferece ótimos livros, e sem dúvidas não seria diferente com está obra.
    Gostei de conhecer o livro através da ótima resenha.
    Parabéns
    Bjos
    Ni
    @ciadoleitor

    ResponderExcluir
  2. Quando vi essa capa entre os lançamentos da Dracaena nem imaginava que a história era tão complexa assim. Mas através da sua resenha pude perceber que é algo muito mais elaborado do que se supõe.

    De acordo com o que você falou, a autora está de parabéns. Trabalhar com diversos personagens, principalmente uma família tão grande, é trabalhoso. Ainda mais de crianças. É preciso muito laboratório para criar de forma coerente todas as estripulias e comportamentos adequados.

    Muito boa a sua resenha e é bom saber sobre a qualidade do livro!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, você empolgou mesmo, né? Parece que o livro é bom...e a capa é linda! Mas 800 páginas, uau! Tenho que finalizar alguns menores primeiro! rs

    ResponderExcluir
  4. Uau! Mais de 800 páginas, bem se o livro for interessante essa quantidade a gente nem percebe, mas se for chaaaaaato, aí fica enfadonho demais... Não costuma ser uma observação relevante e decisiva feita por mim para eu escolher ou não a leitura de um livro pela quantidade de páginas, mas é fato que um livro enorme tem que ser muito bom para dar tesão da gente continuar lendo, né?! Eu só acho a capa bem infantil... é um livro para crianças? É a segunda vez que vejo a divulgação desse livro em blog literário e a minha dúvida continuou... :(
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  5. Já li algumas resenhas de "Cisne" e confesso que estou mmuuuiiittooo curiosa. É impressionante a criatividade de Eleonor para construir esse enredo! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  6. Já li algumas resenhas de "Cisne" e estou mmmuuuiiittooo curiosa! Imprecionante a criatividade de Eleonor para construir esse enredo... Parabéns!!!
    Keila Gon

    ResponderExcluir
  7. Legal essa resenha, eu não suspeitava que o livro fosse tão intrigante e repleto de elementos que adoro. Já está na lista. Bjooo

    ResponderExcluir
  8. Parece muito bom. Parabéns a autora.

    ResponderExcluir
  9. Ooooi, querida!

    UAUUUUU, mais de 800 páginas??? E é tudo isso aí que você falou? (lindo, maravilhoso, encantador... rs rs)

    Só tenho que parabenizar a autora!!!! E a você, pela ótima resenha :) Ainda não conhecia o livro e fiquei bastante curiosa para ler!

    Mais um para minha interminável lista de desejados kkkkkk

    Beijos, querida!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.