Sinopse - "Ótimo panorama. A minha mãe e a minha sogra planejavam o meu casamento, eu nem sequer sabia se o meu namorado queria se casar comigo e eu não parava de pensar em um cara cujo nome eu desconhecia. Naquele momento, pensei: “Sou a pior espécie de mulher que já existiu, mas não posso desistir de mim mesma, senão estou perdida”. Decidi dar uma chance para o que é real e tentar esquecer a história de cinema com o gerente de banco que era baterista. Até porque história de cinema é escrita para cinema e só acontece no cinema. Seria diferente comigo?"

Minha opinião - Esse é o primeiro livro da Fernanda França que eu tenho a oportunidade de ler, e definitivamente me tornou fã da autora. A trama conta a história de Blanda, uma jovem advogada que está desempregada, que tem um relacionamento com Max, um cara que não quer saber nada da vida, muito menos de assumir um relacionamento, até que no primeiro jantar entre as duas famílias, as mães falam em casamento. Como Blanda está "temporariamente fora de serviço" (pois ficou chocada demais por estarem falando de casamento), as duas mães acabam assumindo tudo e uma confusão está sendo criada.
Blanda é fofa, engraçada, um pouco neurótica, detesta o despertador (assim como eu) e não planejava ser advogada e sim artista. Mas seguindo os passos da mãe, que deixou claro que arte deveria ser um hobbie, Blanda se transformou em um "espelho", refletindo as vontades alheias como sua. Blanda é uma personagem que fez com que eu me identificasse com ela através dos seus comentários e reflexões hilários, além das suas neuroses sobre alguns assuntos:

"Eu não conseguia me olhar no espelho, aquela não poderia ser a minha bunda. Há menos de um ano ela era tão durinha, tão linda e com pouca celulite, que não havia roupa proibida para aquele corpinho. Não dava para crer que em tão pouco tempo aquele território havia se tornado uma estrada esburacada, um plástico com bolhas, um doce de sagu! Eu só conseguia pensar que, se saísse na rua daquele jeito, eu estaria fadada à chacota eterna de todo o planeta". (p.16)

Conforme eu lia o livro, percebi que Blanda estava "conformada" com a sua vida: seria uma advogada infeliz, deixaria sua mãe e sua sogra decidirem tudo sobre a cerimônia e se casaria com  Max, mesmo não tendo aquela "paixão" no relacionamento. Bom, tudo isso provavelmente iria acontecer, se Blanda não tivesse ido ao banco pagar uma conta do Max (o cara é muito folgado) e ao passar pela maravilhosa porta giratória (que apitou algumas vezes), com uma calcinha pink em mãos não desse de cara com um lindo gerente de banco. É claro que uma única situação não a faria mudar de ideia, mas não é que o destino resolve agir, e durante uma noite com os amigos, Blanda dá de cara novamente com o lindo gerente (o Bernardo), só que dessa vez ele é o baterista da banda que está tocando! Blanda começa a questionar porque as suas pernas tremem ao ver Bernardo, seu coração dispara e ela não consegue tirar os olhos dele?
Bernardo é um personagem meio que enigmático, porque em muitos momentos do livro nós o vemos através dos olhos de Blanda. Mas quando ele está presente: uau, eu quero um Bernardo pra mim.
No livro também temos personagens maravilhosos, como a vizinha de Blanda, a Dona Cotinha e seus incríveis biscoitos amanteigados, amigos de infância como a Teca, o Roberto, o Jaime e a Catarina. Amigos que apesar de não estarem constantemente presentes, estão lá quando é essencial. Seus pais: sua mãe com um gosto "exótico" e um segredo antigo e seu pai, um homem amoroso e honrado. E também podemos contar com uma personagem irritante, sim, estou falando da Manuela. Os personagens do livro são simplesmente apaixonantes. Apesar dos defeitos, eles são capazes de dar o apoio e o amor incondicional. Lindos! Vocês perceberam que eu não falei muito do Max né? Digamos que a minha opinião sobre ele é imprópria para publicação rs...
"9 minutos com Blanda" é um livro muito fofo, que de forma engraçada nos conta a importância de refletir sobre as nossas necessidades, lutar pelos nossos sonhos e não nos conformarmos com menos do que merecemos.
Outro detalhe muito importante que eu preciso comentar é a capa: ela é linda, vibrante, contêm detalhes sobre a trajetória da Blanda (tem até o seu gato Freddy Krueger, personagem indispensável do livro), mas mais do que isso, é totalmente perfeita para a personalidade dela. Quanto a revisão, escolha de fonte, diagramação, perfeitos. Só tenho a agradecer a editora pelo trabalho bem feito que foi realizado.
O que eu achei do livro? Simplesmente maravilhoso. Sinceramente, se vocês procuram um livro com muito humor, com personagens incríveis e com uma escrita envolvente, "9 minutos com Blanda" é o livro !
Beijos
Carol

7 Comentários

  1. Olá, vim avisar que tem selinho para o Acordei no meu blog. o/

    ResponderExcluir
  2. gente não tem mais resenha de livros de outras editoras? Livros sem ser os nacionais?

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela resenha Carolina! Já li Nove Minutos com Blanda e curti bastante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  4. Carol,
    Muito obrigada pelo carinho. Adorei a resenha! :-)
    Espero que goste de Malas, Memórias e Marshmallows também.
    Alegrias!!!
    Fernanda.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carol.
    Morro de curiosidade para ler esse livro.
    Estou com outro livro da autora na estante e vou ler em breve. Conforme for, já leio esse também.
    Beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Só não li a resenha toda pra não saber demais sobre o livro. Só o início do seu texto já me fez ter vontade de ler este livro! Ótima escrita, parabéns!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.