Sinopse -Um romance arrasador, que vai muito além da grande falácia do 11 de Setembro e das fictícias “armas de destruição em massa” de Saddam Hussein. Este novo romance do espanhol Patrick Ericson mostra como funcionam as mentes doentias que dirigem o mundo. Mistura de realidade e ficção, o livro revela antecedentes do ataque terrorista ao World Trade Center e os reais motivos da invasão do Iraque pelos EUA. É a sede de vingança que move o personagem central do romance, Jack Parsons, um tenente norte-americano que perdeu a mulher no atentado às Torres Gêmeas. Ele participa da guerra e descobre o interior da alma de Lúcifer. Um livro de arrepiar”.

Minha opinião – Com uma trama muito bem desenvolvida, o autor mescla fatos verídicos com um romance que mostra a conspiração que envolveu o terrível acontecimento de 11 de setembro. Deixando a opinião pessoal sobre política e religião de lado, o livro conta de modo coerente, os dramas que procederam ao 11 de setembro a partir da visão de Jack Parsons. Mas antes disso, o livro retrata uma conversa de dois membros muito importantes do clube Bilderberg, que ocorreu em 1998 na Escócia:
“O peso político e financeiro daqueles homens que coordenavam o futuro do mundo não era nada comparado ao poder dos que lhes asseguravam seus cargos. O chamado clube Bilderberg, que tinha entre seus membros banqueiros, magnatas da imprensa, especialistas em defesa militar, ministros de vários governos e líderes políticos da Europa e da América do Norte, representava – simbolicamente falando – a cartola do ilusionista; e ambos, por assim dizer, eram como o coelho que ficava escondido desde o início da representação. Mas, obviamente, não sairiam de seus esconderijos até ouvir os aplausos”. (pág. 18)
Cada início de capítulo é representado pelo local e o ano do acontecimento. Após o prólogo, que ocorre em 1998, damos um pulo para o ano de 2003, onde conhecemos Jack, que perdeu sua esposa Sharon e o filho que tanto desejavam no 11 de setembro. Com toda a dor que ainda sentia, e fazendo o que sabia fazer, Jack vai como soldado para o Iraque, em uma tentativa de ter justiça/vingança pela perda dos entes amados.
Uma história que começa em paralelo no livro é do repórter da BBC World News, Rory Moore, que recebe uma informação que poderá mudar o modo que o atentado é visto. Na busca pela informação o caminho de Rory e Jack se cruzam, e algumas crenças serão colocadas a prova.
O livro é muito bem escrito, com um enredo questionador do início ao fim da leitura. Independentemente da crença individual dos reais acontecimentos de cada leitor, o modo que o autor construiu a história é ao mesmo tempo comovente e aterrorizadora. Não há dúvidas quanto ao talento do autor em escrever uma obra que prende o leitor do começo ao fim.
Espero que tenham gostado da resenha.
Beijos
Carol

10 Comentários

  1. Livro que parece ser interessante,deu vontade de ler.

    ResponderExcluir
  2. Vish... muitos dados tempos etc... não gosto de gravar muito isso uhauhau. Tirando didáticos, meu tipo ideal de livro são aqueles que vai divertindo sem muita ligação. Mas agora a resenha, como sempre bem leve e entendível, mas não consegui ler toda, não por estar ruim mas sim por preguiça. Segunda e terceira estrofe me remeteu a um texto muito informativo e carregado de informações. Mas bom =).

    ResponderExcluir
  3. Parece ser bem profunddo e complexo, o tipo de livro escrito para questionar a nossa percepção de fatos históricos. Eu ainda não tinha ouvido falar nesse livro mas acho que gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  4. Pelo que ouvi falar, o modo como o autor escreveu o livro é simplesmente chocante. É um livro que se você realmente se interessa, pode ter certeza que vai te prender e que vai prescrever os fatos de uma maneira que só com uma "imaginação aberta" você irá entender...
    Muito boa a resenha!!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Livros como esse devem ser lidos com muita calma e prestar devida atenção ao conflito e acontecimentos relatados no contexto. O livro me parece ser forte e cheio de relatos conflitantes.

    ResponderExcluir
  6. Não o li ainda, mas parece ser bom, gostei da resenha.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Nossa parabéns,adorei a resenha um livro com romance,fatos verídicos,conspiração... pela sua opinião o escritor conseguiu conduzir de forma coerente a história.

    ResponderExcluir
  8. Gostei da resenha. Achei bastante interessante a história, espero que seja realmente isso tudo. Parece ser um livro rico em informações. E o que mais me agradou em saber é que há fatos verídicos, o que me instiga mais em querer lê-lo.

    ResponderExcluir
  9. Parece um bom livro pra quem gosta desse tipo de gênero. Infelizmente, não é o meu caso, mas se ele parar na minha mão com certeza vou ler. Gosto de livros de investigação, mas esse acho que não me gradaria muito...

    ResponderExcluir
  10. Também li o livro e gostei tanto que estou relendo. Pelo que procurei do autor ele é do tipo que gosta de "história oculta" (tanto é que ele tem livro sobre a maçonaria). Não sou muito fã deste tipo de abordagem pelo simples fato de que não precisamos descobrir se houve ou não uma maquinação de magnatas para escrever um projeto Brainwashing. Os fatos é que as invasões ao Afeganistão e Iraque não foram feitas para "exportar a democracia", "combater o terror" (nem existia al-Qaeda no Iraque antes da invasão) ou para procurar "armas de destruição em massa". Isso pelo simples fato que os EUA não se envolveriam nesse bilionário esforço de guerra só para ajudar e "libertar" os povos daqueles países, enquanto no próprio país, nos EUA, o povo sofre com desemprego, falta de saúde pública e etc. As ações dos EUA mostram que eles estão atrás de uma coisa: petróleo. Acho, inclusive que o "combate ao Estado Islamico" é a continuação da guerra pelo petróleo disfarçada convenientemente de Guerra ao Terror.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.