Bom dia leitores do Acordei! Mais um sábado chegando e mais uma autora no Divã. Vamos conferir?

BiografiaFormada em Museologia pela UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), desde criança, muito sonhadora, gostava de inventar histórias, mas a timidez impedia de expor seus textos, apesar da avó incentivá-la. Ávida leitora, um dia pesquisando novas histórias na internet, descobriu sites no qual além de desfrutar de novos contos, poderia também expor seu trabalho. Para sua surpresa, seu primeiro romance foi lido e amplamente comentado. Incentivada por seus diversos leitores, foi em busca de lançar seu primeiro livro. Carioca, é mãe de um menino e atualmente vive na Região dos Lagos do estado do Rio de Janeiro.



Amor no ninho - "E se você fosse escolhida, para ser irmã do amor de sua vida? Num mesmo ninho, podem nascer diferentes tipos de amor. Irmãos adotivos, Marina e Daniel se tornam grandes amigos. O tempo passa e à medida que eles crescem a semente do amor, enraizado em seus corações desde a infância, começa a germinar, desafiando assim as regras impostas por seus pais. Ao tentar viver esse amor, o futuro se revelará traiçoeiro e cheio de armadilhas. Eles estarão preparados, para enfrentar todos os desafios que o destino lhes apresentar? Daniel e Marina uma surpresa, o conflito, um segredo e a oportunidade de viver um “Amor no Ninho”." 

Amor Inteiro - "Quando a mente se encontra na escuridão, deixe o coração ser seu guia. O amor de Marina e Daniel foi eclipsado por um trágico acidente. Ela recebeu uma nova oportunidade do destino, porém não se recorda do grande amor de sua vida. Ele está firme no propósito de reconquistá-la. O jovem apaixonado enfrentará todos os desafios que lhe forem impostos, provando através de sua perseverança e dedicação, o sentimento puro e intenso que sente por sua bailarina de longos cabelos cacheados, olhos cor de mel e pele com perfume de baunilha. Marina e Daniel um novo começo, uma nova história".



Olá Mari, tudo bem? Agradeço por ceder essa entrevista. Conte um pouquinho sobre você. Quem você é? O que faz? Quando foi que decidiu ser escritora?
Maribell – “Profissionalmente falando sou formada em Museologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Mas escrever é uma paixão que tenho desde criança e que por vários motivos encarava como um hobby. Apenas de uns anos pra cá percebi que não podia mais ignorar o “chamado”, rsrs... E aqui estou eu!”

Lendo seus livros eu acabei me apaixonando mais pela dança, da onde tirou inspiração para escrever sobre uma bailarina?
Maribell – “Sou uma bailarina na alma, amo dançar! No entanto minha excessiva timidez me impediu de desenvolver essa arte. Então quando pensei na personagem da Marina projetei nela esse desejo. Passei a dançar pelos pés dela”.

Quando nasceu a ideia, de escrever um livro sobre irmãos que se apaixonam? É um tema bem polêmico esse não?
Maribell – “Quando jovem li o livro Helena de Machado de Assis onde relata uma trágica história de amor entre supostos irmãos. Apesar de linda e emocionante, fiquei muito triste e inconformada com o destino dos personagens. Foi daí que surgiu a vontade de um dia desenvolver uma história com temática parecida, porém com um final diferente.Sabe que sempre me espanto com a questão da “polêmica”, porque na minha visão como Marina é uma irmã adotiva, não seria tão complicado para os leitores. Fiquei surpresa com algumas reações e passei a compreender que para muitos o assunto ainda era um tabu, apesar de não existir laço sanguíneo”.

No segundo livro vemos que Marina perdeu a memória, quando teve essa ideia, você não ficou com dó de Daniel?
Maribell – “Lógico que fiquei! Pobre Dan, ele penou! Porém, desde o início Daniel foi criado para ser testado e provado em seu amor. Ele era bom e ingênuo demais e precisava amadurecer, e isso só ocorre quando enfrentamos grandes desafios. Infelizmente, era o mal necessário”.

Podemos esperar um livro de Shanti e Lance?
Maribell – “Um livro de Shanti, Lance e mais uma nova turma que promete agitar”!

O que você acha do mercado literário brasileiro? O que falta nele para nossa literatura crescer?
Maribell – “Dificílimo! A competição com os livros estrangeiros é desleal, somos esmagados por eles! Mas sou otimista e acredito que estamos começando a abrir uma fresta nesse mercado. Faltam editoras e distribuidoras que acreditem no potencial do autor nacional, que apostem e invistam nele. Se fizessem para nossos autores a mesma propaganda que fazem para os internacionais, muitos estariam na lista dos 10 mais vendidos no Brasil”.

Sei que foi há pouco tempo o lançamento de Amor Inteiro, mas a curiosidade é muita, tem mais livros sendo escritos? Conte um pouco deles:
Maribell – “Pergunta complicada, rsrs... Tenho uma pasta de ideias no meu note, aguardando seu lugar na fila para serem escritos. No momento estou escrevendo dois projetos, o volume 3 da série Amor no Ninho e uma outra trama bem mais ácida, envolvendo vingança, pitadas de amor e desejo de justiça. Mas sempre fico me coçando, com vontade de começar ainda mais! Nessa hora o tempo é meu inimigo”.

No meio literário encontramos várias editoras que destroem sonhos, o que você pode falar disso?
Maribell – “Já fui vítima de uma e posso falar por experiência própria o quanto é doloroso ser tratada com tanta falta de respeito. Foi muito duro, decepcionante, mas nunca pensei em desistir. Se você acredita no que faz, sabe que essa é sua paixão, tem que insistir, buscar outros caminhos e foi o que fiz. Tenho a sorte de ter amigos fiéis que sempre me apoiaram nessa jornada. Hoje agradeço por ter passado por isso, me fez abrir os olhos para muitas coisas e entender como essa indústria funciona. Tenho aprendido a separar os inescrupulosos, dos profissionais sérios e honestos”.

Em algum momento pensou em desistir e guardar seus livros em gavetas?
Maribell – “Se estivesse sozinha, talvez. Mas tive os amigos certos, na hora certa, que me apoiaram e me ajudaram a manter a fé”.

Todo autor tem uma mania digamos assim, uns gostam de escrever no silêncio, outros com música e você do que gosta?
Maribell – “Música é meu combustível! Quase todas as minhas cenas tem trilha sonora. Também gosto de ler poesia antes de escrever, parece que atrai a inspiração”.

Bate- Rebate
Um livro: Maribell –E O Vento Levou”
Amor: Maribell – “É um remédio incolor, não indolor e sujeito a efeitos colaterais imprevisíveis”.
Um sonho: Maribell – “igualdade”.
Família: Maribell – “minha base”.
Um autor: Maribell – “Fernando Pessoa”.
Dinheiro: Maribell – “Permite alcançar os sonhos, mas não garante a felicidade”.
Amigos: Maribell – “Poucos e bons”.
Deus: Maribell – “Meu Pai Eterno”.
Escrever: Maribell – “meu oxigênio”.

Obrigada pela entrevista, e quero mais livros rsrs Deixe um recado para os leitores do blog e deixe os links para entrar em contato com você.
Maribell – “Agradeço o apoio e o carinho com que sempre fui recebida por todos vocês. Se não fosse pela generosidade de colegas, blogueiros e leitores comprometidos em apoiar a nova literatura nacional, não teria chegado até aqui. Vocês são demais! Um grande beijo!”

Blog - Acesse aqui
Facebook - Acesse aqui
Twitter: @MaribellAzevedo
Skoob - Amor no ninho - Acesse aqui
Skoob - Amor inteiro - Acesse aqui
Espero que tenham gostado da entrevista! Na próxima semana teremos mais um autor no Divã do Acordei.
Beijos
Carol






2 Comentários

  1. Amei a entrevista!
    Linda autora!
    Lindas histórias!

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia a autora, me pareceu super simpática.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.