Sinopse - "Doutor Barnes, um famoso neurocirurgião, começa a desenvolver na Universidade onde trabalha uma pesquisa científica tentando transformar os dados do cérebro em arquivos de dados, codificando-os de modo que possam ser copiados. Com o avanço da pesquisa, acaba conseguindo copiar para o computador todos os dados de memória que formam o ser humano, como suas experiências, suas emoções, suas recordações, enfim, sua vida. Deslumbrado com a descoberta, começa a perceber que estes arquivos possuem uma estrutura totalmente diferente e uma sinfonia divina, e começa a ficar obcecado pela ideia de que seja possível copiar cérebros de um paciente para outro. Ao contrário do que deveria ocorrer, Barnes, cada vez mais, esconde suas pesquisas, pois seu objetivo passa a ser implantar seu próprio cérebro em outro paciente, mais jovem e sadio, pois está acometido de uma séria doença. Busca, desta forma, alcançar a tão almejada eternidade. Para isto, não mede as consequências de seus atos, que passam a ser justificados pela ambição que lhe domina. Conseguirá Barnes o seu intento?"

Minha opinião – Quando terminei a leitura do livro, precisei de um tempo para poder expressar o que achei da obra do autor Salustiano Luiz de Souza. Através de Barnes, o autor debate um tema sempre presente na humanidade: o medo da morte. Como poderíamos “enganar” a morte? E é nesse contexto que constrói a pesquisa do Dr. Barnes – seria possível transferir as informações que possuímos para outro corpo?
Em alguns momentos, os debates internos do Barnes me lembraram da complexidade do Dr Jekyll e Hyde: momentos de lucidez alternados com loucuras. Outros personagens ganham destaque durante a leitura, alternando os capítulos com os seus anseios e medos. O final do livro foi surpreendente, quando li esse trecho comecei a falar: “O que? Não acredito”.
O livro é reflexivo, boa parte da leitura é baseada nos “devaneios” dos personagens. A minha única crítica ao livro é que as reflexões tornaram o livro um pouco lento. Talvez se houvesse mais diálogos a leitura poderia se tornar mais dinâmica.
Para os leitores fãs do tema, é uma obra recomendada.
Quanto à revisão, diagramação e layout a editora está de parabéns. Encontrei uns dois erros de digitação, mas nada que atrapalhasse a leitura.

Espero que tenham gostado da resenha.
Beijos
Carol

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.