LeYa publica “As lembranças de Alice”, de Liane Moriarty.Alice Love está para fazer quarenta anos e sofre um acidente, perdendo dez anos de sua memória.
“– Quantos anos você tem, Alice?– Tenho vinte e nove, Jane. – Alice estava irritada pelo tom dramático deJane. Onde estaria querendo chegar? – A mesma idade que você.·.Jane se sentou, encostou e olhou, triunfante.Ela disse:– Acabo de receber um convite para seu aniversário de quarenta anos.”
“E esse foi o dia em que Alice Mary Love foi para a academia e, num descuido, perdeu uma década de sua vida.” Sim, uma década inteira. Prestes a completar 40 anos, Alice só lembra de sua vida até os 29. Tendo se transformado em uma pessoa um tanto quanto complicada, com três filhos e um casamento instável, a personagem se vê em uma situação nada invejável: a perda quase completa da memória e uma vida também quase completa que passou deixando poucas lembranças.
“– Não me lembro de nada – disse Alice. Parecia tão cruel que ela não conseguissese lembrar de férias tão maravilhosas, como se outra Alice tivesse vivido aquela vida em seu lugar.”
A editora LeYa lança em junho “As lembranças de Alice”, da escritora Liane Moriarty. Contando a história de uma mulher que, por um pequeno incidente, vê-se em uma situação muito complicada: tem que recuperar – e logo – as lembranças de seus últimos 10 anos que se esvaíram em uma queda na academia.
Em 1998 Alice era ainda quase uma menina. Mesmo com 28 anos, acabara de se casar com o amor de sua vida, Nick, um homem simpático, gentil e amoroso, tinha uma irmã e uma melhor amiga que não desgrudava e estava grávida de seu primeiro filho (ou filha). De engraçada, amorosa, destrambelhada e apaixonante, a personagem se descobre sendo uma mulher beirando os 40, fria, poderosa, rica, excessivamente organizada e divorciada. Mais do que isso, odiada pelo marido, invejada pelas colegas, sem amizades verdadeiras e quase maluca. Sua irmã, Elisabeth, ou Libby como costumava chamá-la, sempre fora a mais controladora e hoje, já na quarta tentativa de engravidar, beirava à loucura, com cartas sem respostas a um psiquiatra. Seria tudo um sonho? Se fosse, Alice não via a hora de contar tudo para Nick, o verdadeiro, não aquele de voz grossa e petulante que falara com ela ao telefone logo depois do acidente.
Com capítulos intercalados, começando por Alice que, assim como o leitor, de nada sabe sobre sua vida desde 1998; Elisabeth, sua irmã mais velha que interage com o leitor por meio de cartas a seu psiquiatra; e capítulos com a moderna bisavó Frannie, em forma de posts de seu blog quase famoso, “As lembranças de Alice” é mais do que um livro sobre perda de memória, mas sim uma lição sobre as reviravoltas que a vida pode dar e as posições que decidimos tomar, às vezes involuntariamente.
Assim, simples assim. Em dez anos muita coisa pode acontecer e nós podemos mudar de maneiras que nem podemos imaginar. Uma história tocante e forte, para os corações fortes que veem a realidade da vida, mesmo na literatura e nos romances. Uma resposta ao que devemos fazer quando o destino nos prega uma peça.
Sobre o autor - Liane Moriarty é australiana, autora de romances adultos e uma série de livros infantis. Sua obra é publicada nos Estados Unidos, Reino Unido e em países da Europa. A autora vive em Sydney com o marido e dois filhos.

O primeiro romance histórico do selo Quinta Essência no Brasil: Um romance que vai fazer você sonhar
 

Da autora inglesa que a Leya Portugal descobriu.  O que as blogueiras portuguesas acharam dele: «Este livro tem tudo para agradar a uma mulher romântica: um solteirão inveterado e um amor que o leva a mudar e repensar tudo à sua volta! E sim, como num romance digno desse nome, leva-nos às lágrimas quando em vez e apetrecha-se de um happy ending. Como disse, gostei. E recomendo.» (Blog Jardins Suspensos)
«Um livro que se lê num só fôlego, uma história riquíssima e maravilhosa, daquelas que nos fazem sonhar sem sair do lugar.» (Blog As Leituras da Fernanda)
«Feminino, encantador e de fazer estremecer o coração, é assim que encaro o final da leitura deste estonteante romance.» (Blog Pedacinho Literário)
«Um romance enternecedor vivido por príncipes, duquesas, marqueses e condessas que não deixará indiferente quem o ler.» (Blog Clorofórmio do Espírito)
«Uma pequena jóia preciosa, elegante e feminina que fará as mulheres sonharem com o amor numa época em que reinava a conveniência.»(Blog As Histórias de Elphaba)
«Um enredo encantador, que nos emociona e envolve com a sua ternura desde da primeira página. Faz-nos acreditar em finais felizes, em segundas oportunidades.»
(Blog Esmiúça o Livro)
Sinopse - Paris, 1854. Um dos homens mais ricos da França, o marquês de Villeclaire tem uma vida luxuosa e despreocupada, onde não falta nada que o dinheiro e a sua posição social possam pagar. Mulheres, jogo, festas, caçadas, palácios… Mas uma aposta faz com que os destinos de Villeclaire e Catherine Duvernois, uma jovem e misteriosa viúva, se cruzem, numa fase em que uma nuvem negra assombra os dias do belo marquês, prestes a casar, contra sua vontade, com Blanche de Belfort. A vida de Louis de Villaclaire desmorona-se…
Quem é Catherine Duvernois? E Blanche de Belfort? Alguém está mentindo. Mas quem? Por quê? A resposta mudará para sempre o futuro destas três personagens.
Um romance arrebatador, que se desenrola entre os sofisticados salões da aristocracia parisiense e as deslumbrantes paisagens do vale do Loire, levando os leitores numa viagem inesquecível por cenários de sonho, durante o reinado do Imperador Napoleão III.
Sobre a autora: MATILDA WRIGHT nasceu em Londres, em 1968. Estudou Literatura Inglesa em Cambridge e vive com o marido na região de Cúmbria, no norte da Inglaterra, onde criam cavalos. Têm quatro filhos que, de vez em quando, também vivem na mesma casa.
Editora: Leya – Quinta Essência
N.º Páginas: 240
Preço de capa: 29,90
Preço de ebook: 19,99
ISBN: ISBN: 978-85-8044-794-1
ISBN e-book: 978-85-8044-837-5
1ª Edição: Junho de 2013


 «O Negociador é Você foi escrito a pensar naquelas pessoas que não se enxergam tipicamente como negociadoras. A lista inclui empregados, maridos, filhos, consumidores…»
(Joshua N. Weiss)
 

Sinopse - Este livro é uma introdução a negociações, especialmente para aqueles que não se enxergam como negociadores. Negociação é uma palavra que todos conhecemos e ainda assim não consideramos muito relevante para nossas vidas. Negociação é algo que outras pessoas realizam em salas de reuniões ou acordos de paz. E então você pode achar que negociaçõesnão desempenham um grande papel em sua vida. No entanto, a verdade é que todos somos negociadores! Nós nos envolvemos em diferentes tipos de negociações a cada dia – comnossos parceiros, parentes, filhos, credores hipotecários, companheiros de trabalho ou clientes. Como o ato de negociar está cada vez mais presente em nosso mundo, você deve enxergar o negociador que há dentro de si. O negociador é você visa abrir os seus olhos para todas as negociações que acontecem ao redor e que talvez você não tenha percebido como tal. Do seu diálogo com companhias de cartão de crédito a conversas com seu cônjuge sobre como organizar as finanças, você está negociando. Ao longo deste livro você perceberáas habilidades de negociação que já possui, aprenderá a aprimorá-las em espaços nos quais não se sente à vontade, ou nos quais teme se aventurar, e também a se engajar em negociações de forma estratégica para ganhar a confiança que pode estar lhe faltando.Sobre o autor: O Dr. Joshua N. Weiss é cofundador do Projeto de Negociação Global da Universidade de Harvard. Recebeu seu título de Ph.D. do Instituto de Análise e Resolução de Conflitos naUniversidade George Mason, em 2002. Weiss publicou diversos trabalhos sobre processos de negociação e é reconhecido mundialmente pelas palestras e cursos que ministra sobreo tema. Mora em East Longmeadow, no estado de Massachusetts, Estados Unidos.Editora: LeyaPreço de capa: 19,90Preço de ebook: 13,99ISBN: 978-85-8044-798-9ISBN e-book: 978-85-8044-835-11ª Edição: Junho de 2013 

Amor por interesse -  Ruth Cardello
SINOPSE Nicole Corisi pode ser deserdada se não se adaptar às exigências feitas por seu pai no testamento, mas terá que se aliar a um irmão desconhecido para se encaixar às regras. Stephan Andrade planeja sua vingança desde que Dominic Corisi assumiu, inescrupulosamente, a companhia de seu pai. reputação da Corisi Enterprises depende do sucesso de um novo software desenvolvido pela China e Stephan finalmenttem a chance de retomar seu legado. A irmã mais nova de Dominic, Nicole, pede que Stephan a ajude, dando a oportunidade de elevar sua vingança ao vel pessoal. Tudo corre bem, até que eles se apaixonam… Ao passo que o faz de conta” se torna dolorosamentreal, Nicole terá que escolher entre Stephan e a família, à qual ele está determinado a destruir.
Sobre a autora - Mary C. Neal é educadora e vive em uma pequena fazenda no norte de Rhode Island com o marido, três filhos, três cachorros, dois cavalos e algumas galinhas. Se existe lugar mais feliz na Terra, ela ainda não encontrou.


Editora LeYa lança em junho “Por dentro da série da HBO Game of Thrones”, o guia oficial da premiada série homônima. Em edição de luxo e com tiragem limitada, este guia mergulha no universo criado por George R.R. Martin que ganhou vida pela HBO revelando as curiosidades dos bastidores de uma das séries mais populares da TV no mundo.“David Benioff e D.B.Weiss são homens corajosos ou loucos. Só assim para aceitar o trabalho de levar A Guerra dos Tronos (e o restante de minha maciça série de fantasia épica, Crônicas de Gelo e Fogo) para a televisão” George R.R MartinSe foi por coragem ou por insanidade, a verdade é que David Benioff e D.B. Weiss aceitaram o desafio e provaram que sim, era possível! No dia 17 de abril de 2011, estreava, pelo canal HBO, o piloto de uma das séries mais bem sucedidas dos últimos anos: Game of Thrones.A editora LeYa lança em junho o aguardado “Por dentro da série da HBO Game of Thrones”, guia oficial das duas primeiras temporadas do seriado que arrebatou milhares de fãs ao redor do mundo – em edição de luxo e com tiragem limitada. Com prefácio de George R.R Martin – autor da saga “As Crônicas de Gelo e Fogo”, que deu origem à adaptação –, entrevistas dos atores, produtores e dos criadores da série – e malucos – David Benioff e D.B.Weiss, este guia mergulha no universo medieval de Westeros, mostrando, em detalhes, como foi toda a produção desta grandiosa série. O responsável por este guia é Bryan Cogman, produtor executivo, que entrou para o time de roteiristas do seriado e escreveu dois episódios ao longo das duas temporadas. Cogman reuniu curiosidades sobre os figurinos, a escolha das locações e a construção dos cenários mais marcantes como a Muralha e o castelo de Winterfell, as adaptações de diálogos dos livros para a série e as brincadeiras e erros de bastidores. Em “As crônicas de Gelo e Fogo”, uma saga singular da literatura fantástica mundial, há descrições de lugares onde o frio é brutal, indo até os distantes reinos de plenitude e sol, George R. R. Martin narra uma história de lordes e damas, soldados e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos.  “Por dentro da série da HBO Game of Thrones” vai transportar o leitor para o interior desta brilhante adaptação da HBO. Afinal... "Quando se joga o jogo dos tronos, ou você vence ou você morre”.Ficha técnicaTítulo: Por dentro da série da HBO Game of Thrones
Formato: 22,5 x 28 cm
Capa dura acolchoadaNº de páginas: 192
Preço: R$99,00
Sobre os autoresBryan Cogman  é editor executivo de Game of Thrones e escreveu dois episódios da série. Quando não está em Belfast, filmando o programa, vive com a esposa e a filha em Los Angeles, Califórnia.
David Benioff é autor de City of Thieves, seu livro mais recente. É coautor e produtor executivo da série da HBO indicada ao Emmy, Game of Thrones. Vice em Los Angels com a esposa e as duas filhas.
D.B. Weiss é autor de Lucky Wander Boy e tem trabalhado em numerosos projetos de filmes como Halo, Ender’s Game e The Game. Dan é coautor e produtor executivo de Game of Thrones, série da HBO indicada ao Emmy. Vive em Los Angeles com a esposa e dois fihos.
George R.R. Martin é escritor premiado de livros e roteiros, incluindo o épico fantástico, sucesso de vendas, As crônicas de Gelo e Fogo. Vive em Santa Fé, Novo México, com a esposa.



GERAÇÃO EDITORIAL




Um campo de concentração em pleno Brasil. Livro Holocausto Brasileiro, da jornalista mineira Daniela Arbex, resgata história de 60 mil mortos no Hospital Colônia de Barbacena. Neste livro-reportagem fundamental, a premiada jornalista Daniela Arbex resgata do esquecimento um dos capítulos mais macabros da nossa história: a barbárie e a desumanidade praticadas, durante a maior parte do século XX, no maior hospício do Brasil, conhecido por Colônia, situado na cidade mineira de Barbacena. Ao fazê-lo, a autora traz à luz um genocídio cometido, sistematicamente, pelo Estado brasileiro, com a conivência de médicos, funcionários e também da população, pois nenhuma violação dos direitos humanos mais básicos se sustenta por tanto tempo sem a omissão da sociedade. Pelo menos 60 mil pessoas morreram entre os muros da Colônia. Em sua maioria, haviam sido internadas à força. Cerca de 70% não tinham diagnóstico de doença mental. Eram epiléticos, alcoólatras, homossexuais, prostitutas, gente que se rebelava ou que se tornara incômoda para alguém com mais poder. Eram meninas grávidas violentadas por seus patrões, esposas confinadas para que o marido pudesse morar com a amante, filhas de fazendeiros que perderam a virgindade antes do casamento, homens e mulheres que haviam extraviado seus documentos. Alguns eram apenas tímidos. Pelo menos 33 eram crianças. Quando chegavam ao hospício, suas cabeças eram raspadas, suas roupas arrancadas e seus nomes descartados pelos funcionários, que os rebatizavam. Daniela Arbex devolve nome, história e identidade aos pacientes, verdadeiros sobreviventes de um holocausto, como Maria de Jesus, internada porque se sentia triste, ou Antônio Gomes da Silva, sem diagnóstico, que, dos 34 anos de internação, ficou mudo durante 21 anos porque ninguém se lembrou de perguntar se ele falava. Os pacientes da Colônia às vezes comiam ratos, bebiam água do esgoto ou urina, dormiam sobre capim, eram espancados e violados. Nas noites geladas da Serra da Mantiqueira, eram deixados ao relento, nus ou cobertos apenas por trapos. Pelo menos 30 bebês foram roubados de suas mães. As pacientes conseguiam proteger sua gravidez passando fezes sobre a barriga para não serem tocadas. Mas, logo depois do parto, os bebês eram tirados de seus braços e doados. Alguns morriam de frio, fome e doença. Morriam também de choque. Às vezes os eletrochoques eram tantos e tão fortes, que a sobrecarga derrubava a rede do município. Nos períodos de maior lotação, 16 pessoas morriam a cada dia. Ao morrer, davam lucro. Entre 1969 e 1980, 1.853 corpos de pacientes do manicômio foram vendidos para 17 faculdades de medicina do país, sem que ninguém questionasse. Quando houve excesso de cadáveres e o mercado encolheu, os corpos foram decompostos em ácido, no pátio da Colônia, diante dos pacientes, para que as ossadas pudessem ser comercializadas. Nada se perdia, exceto a vida. No início dos anos 60, depois de conhecer a Colônia, o fotógrafo Luiz Alfredo, da revista O Cruzeiro, desabafou com o chefe: “Aquilo é um assassinato em massa”. Em 1979, o psiquiatra italiano Franco Basaglia, pioneiro da luta pelo fim dos manicômios que também visitou a Colônia, declarou numa coletiva de imprensa: “Estive hoje num campo de concentração nazista. Em lugar nenhum do mundo, presenciei uma tragédia como essa”.
Sobre a autora - Daniela Arbex é uma das jornalistas do Brasil mais premiadas de sua geração. Repórter especial do jornal Tribuna de Minas há 18 anos, tem no currículo mais de 20 prêmios nacionais e internacionais, entre eles três prêmios Esso, o mais recente recebido em 2012 com a série “Holocausto brasileiro”, dois prêmios Vladimir Herzog (menção honrosa), o Knight International Journalism Award, entregue nos Estados Unidos (2010), e o prêmio IPYS de Melhor Investigação Jornalística da América Latina e Caribe (Transparência Internacional e Instituto Prensa y Sociedad), recebido por ela em 2009, quando foi a vencedora, e 2012 (menção honrosa). Em 2002, ela foi premiada na Europa com o Natali Prize (menção honrosa).




Espero que tenham gostado das novidades de hoje.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol

Um Comentário

  1. Esse As lembranças de Alice foi o que mais me chamou a atenção! Quero ler também o do Game Of Thrones, mas é pura curiosidade, nao terá prioridade nenhuma na minha listinha! Amor por interesse tambem quero, mas tenho que ler o volume anterior antes; e ate agora nao tive tempo!

    Beijokas
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.