Sinopse - "A recessão econômica obriga Clay Jannon, um web-designer desempregado, a aceitar trabalho em uma livraria 24 horas. A livraria do Mr. Penumbra — um homenzinho estranho com cara de gnomo. Tão singular quanto seu proprietário é a livraria onde só um pequeno grupo de clientes aparece. E sempre que aparece é para se enfurnar, junto do proprietário, nos cantos mais obscuros da loja, e apreciar um misterioso conjunto de livros a que Clay Jannon foi proibido de ler. Mas Jannon é curioso…"


Minha opinião - Quando Clay Jannon começa a procurar por um novo emprego, desesperado pela crise econômica existente, não esperava trabalhar em uma livraria.

"Mas eu insistia com os anúncios de emprego. Meus padrões estavam caindo rapidamente. No início, insisti que só aceitaria trabalhar numa empresa que tivesse uma missão na qual eu acreditasse. Depois, achei que estaria tudo bem se pelo menos eu estivesse aprendendo algo novo. Ainda depois, decidi que só não podia ser uma empresa do mal. Agora, estava revendo com cuidado a minha definição de "do mal". (p. 14)
Expert em informática, Clay vai parar em uma livraria que basicamente não tem clientes e é quase totalmente desprovida de tecnologia. 

"Há uma cliente que já vi duas vezes, uma mulher que, estou quase certo, trabalha na Booty's ao lado. Tenho quase certeza disso porque nas duas vezes seus olhos estavam delineados como se fossem os de um guaxinim, e ela cheirava a fumaça. Tinha um belo sorriso e cabelo loiro-acinzentado. Não sei quantos anos tem, pode ter 23 ou ter sensacionais 31, nem seu nome, mas sei que gosta de biografias" (p.19)
Além desses clientes habituais normais, aparecem algumas figuras marcantes a procura de livros específicos, escondidos em prateleiras altas. Livros esses que são codificados e trazem um mistério à trama. Apesar da trama ter uma proposta interessante, faltou "algo" para torná-la excepcional. O início do livro é um pouco lento, mas interessante. É ao avançarmos na história que o autor se perde em devaneios, elogios ao google e perde o foco da trama principal.  O livro é repleto de personagens peculiares, porém nenhum deles realmente me fascinou: do próprio Mr. Penumbra, até o Oliver Grone que também trabalha na livraria, ao melhor amigo de Clay, o Neel Shah e a Kat. Todos eles possuem pelo menos um detalhe que os deixam "diferentes" das pessoas consideradas normais, mas nenhum teve carisma o suficiente para se tornar o meu favorito. Em relação a revisão, diagramação e layout a editora está de parabéns pelo trabalho.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol

3 Comentários

  1. Só pelo nome me interessei pelo livro. Nunca tinha ouvido falar sobre ele, e estou curiosa.
    Espero lê-lo algum dia.

    Beijos
    utopiaincessante.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. O livro (físico) parece lindo, pena que a história decepciona.
    Acho que passo essa leitura então.

    ResponderExcluir





  3. Uma
    livraria aberta 24 h acho que é um sonho pra qualquer leitor! Quero muito ler esse livro! Adoro essa temática de sociedade secreta
    , tenho certeza que vou amar!!!!mar!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.