Sinopse - "A meia-vampira Catherine Crawfield está indo atrás dos mortos-vivos como uma vingança, esperando que um destes sem batimentos cardíacos seja seu pai - o responsável por arruinar a vida de sua mãe. Então ela é capturada por Bones, um caçador de vampiros, e é forçada a uma profana parceria. Em troca de encontrar seu pai, Cat concorda treinar com o sexy caçador da noite até que seus reflexos de batalha estejam tão afiados quanto as suas presas. Ela está espantada que ela não terminou como o seu jantar- há realmente bons vampiros? Rapidamente Bones a terá convencida de que ser meio-morto não tem que ser de todo ruim. Mas antes que ela possa aproveitar seu novo status de caçadora chutadora de traseiros de demônios, Cat e Bones são perseguidos por um grupo de assassinos. Agora, Cat terá que escolher um lado... e Bones está se tornando tão tentador quanto qualquer homem com um batimento cardíaco".
ESSA RESENHA CONTÊM SPOILERS

Minha opinião - Eu ando um pouco saturada de livros com vampiros e em uma conversa com a Karini, do blog Mix Literário, fui convencida a dar uma chance para essa série. Então, antes de começar a resenha, preciso agradecer a Karini. Obrigada Karini rs.
"A caminho da sepultura" é o primeiro livro da série Night Huntress, onde somos apresentados a protagonista Catherine Crawfield, mais conhecida como Cat. Nessa série, que tem uma trama mais adulta, temos personagens sarcásticos, carismáticos e apaixonantes. Nesse primeiro livro, vamos nos focar na história de Cat, e como ela e Bones se conheceram. Além disso, eles estarão investigando a morte de diversas jovens. O livro é uma mistura de ação, romance e sobrenatural. 
Cat vive em uma cidadezinha: Licking Falls, Ohio. É o tipo de cidade considerada uma comunidade pequena, onde todo mundo sabe da vida de todo mundo, e Cat vive uma vida dupla:
"Os homens sempre se aproximavam de mim. Talvez, por eu ser uma mulher jovem e solteira, era como se eles me vissem com um letreiro luminoso escrito "transe comigo". Educada e, quando necessário, grosseira, eu os rejeitava, de acordo com o grau de persistência deles. Eu não estava lá para encontros. Depois do meu último namorado, o Danny, não queria mais namorar ninguém". (p.13)
E é nessas saídas de Cat, que vamos ver que ela caça os vampiros com um objetivo já definido.
"Há alguns anos, minha mãe namorou alguém que ela pensava ser um cara legal. Então, ele se revelou um vampiro e a estuprou. Cinco meses depois, lá estava eu, prematura, mas totalmente desenvolvida e com uma porção de habilidades estranhas. Quando finalmente me contou sobre meu pai, jurei a ela que mataria todos os vampiros que cruzassem meu caminho. Para vingá-la. Para ter certeza de que ninguém mais sofreria o que ela sofreu. Até hoje ela tem medo de sair de casa. Eu caço por ela!" (p.23)
Mas é claro que um dia algo teria que dar errado (ou certo?) e o caminho de Cat cruza com Bones. Bones é um personagem irresistível.  Não apenas por ser bonito, mas pelo seu humor e sarcasmo. Sempre que pode, ele tenta desequilibrar o humor da Cat e a interação dos dois é irresistível (ele só chama a Cat de Gatinha, não é fofo?).
"Vestia um pulôver cinza-carvão que era justo em seus ombros e deslizava por sua clavícula. As calças pretas pareciam ter sido coladas nele; imaginava se ele tinha qualquer outra cor de calça. As cores escuras apenas acentuavam seus cabelos claros e sua pele pálida, tornando-os ainda mais incandescentes. Não era à toa, eu sabia. Tudo era proposital em Bones. Com aquele incrível maxilar e seu físico definido, ele era deslumbrante". (p.69)

Mesmo durante os momentos de ação e tensão, o sarcasmo não fica de fora:
"Concordei. Eu estava então vestida como Cat, a Piranha matadora de Vampiros". (p.66)
"Charlie assobiava Amazing Grace enquanto dirigia. Era tudo o que eu não tiraria da cabeça, e mentalmente rosnei: Está de brincadeira? Ele não poderia escolher algo mais apropriado como Shout at the Devil ou Don't fear the Reaper? Algumas pessoas não tinham o menor senso de músicas apropriadas para um sequestro". (p.169)
Outros personagens como Winston, Tim, vizinho da Cat, Ted e Spade (Charles), aparecem no livro não apenas para enriquecer a trama, mas para de alguma forma reforçar a interação entre Cat e Bones.
Cat não é a donzela em perigo que estamos acostumados. Ela luta, xinga, berra, reclama. E ao mesmo tempo mostra uma fragilidade ao leitor que faz com que nos apaixonemos por ela.
"- Estou dizendo que sou mal-humorada, insegura, intolerante, ciumenta, marginal homicida e quero que você me prometa que está de acordo com isso, porque é quem eu sou e é de você que eu preciso". (p. 253)
E ainda nesse livro seremos apresentados ao Donald Williams e Tate Bradley, dois agentes da unidade do FBI chamada Divisão do Comportamento Paranormal. 
Um livro de sobrenatural mais adulto, com uma trama muito bem desenvolvida, tiradas inteligentes, cenas de tirar o folego e uma química explosiva entre os protagonistas. Para os fãs do gênero, é imperdível.
Em relação a revisão, diagramação e layout, encontrei alguns erros de digitação, mas fora isso não visualizei outros problemas.
Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários.
Carol

Um Comentário

  1. AAAAAAH EU AMO ESSA SÉRIE *-* Bones que saudades, eu li todos os livros e amo cada página *-* mais a editora ta demorando uma eternidade pra lançar o proximo ;/

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.