Sinopse - "Desde que a mestiça Cat Crawfield e seu amante vampiro se conheceram, há seis anos, já enfrentaram mortos-vivos trapaceiros, combateram um vampiro Master vingativo e celebraram sua devoção mútua com a união pelo sangue. Agora merecem um descanso. Mas sua esperança de uma viagem perfeita a Paris é abalada quando, certa noite, Cat acorda aterrorizada. Ela tem visões com um vampiro chamado Gregor, ainda mais poderoso que Bones, que afirma ter laços com Cat no passado, laços que ela própria desconhece. Na batalha iminente entre o vampiro que assombra seus pesadelos e aquele que tem seu coração, Cat vai precisar de todo o poder que puder convocar para destruir o pior sanguessuga que já enfrentou... Mesmo que obter esse poder resulte numa “ida à sepultura”". 

ESSA RESENHA CONTÊM SPOILERS E INFORMAÇÕES DOS LIVROS ANTERIORES.



Minha opinião -  Esse quarto livro foi uma virada positiva na trama. Se nos livros anteriores Cat era sempre a insegura da relação, em Destinada à Sepultura, Bones experimenta do próprio veneno. Cat começa a ter sonhos vívidos com um vampiro que ela nunca viu antes, Gregor. Mas será que eles realmente nunca tiveram o seu caminho cruzado? Como explicar a janela de tempo na memória dela, de quando ela ainda era uma adolescente? Por que ela não consegue se lembrar, por mais que se esforce?

De Paris, curtindo as férias com os anfitriões, Sonya e Noel, para Nova Orleans, para procurar a ajuda da Rainha de Nova Orleans, Marie Laveau, uma poderosa ghouls. É assim que começa a nova jornada desse casal.


"Marie estava sentada numa confortável poltrona, provavelmente de um designer famoso, curvada sobre algo tão ameaçador quanto um bordado. Ela usava um vestido preto com um xale branco jogado nos ombros. Nos pés, sapatos de salto que poderiam ser Prada. Com os cabelos pretos, na altura do ombro, emoldurando seus traços delicados, tive um flashback estranho da cena de um filme. Ela poderia estar curvada sobre biscoitos dizendo: "Cheiro gostoso, não acha?", enquanto eu quebrava um vaso que, na realidade, não estava ali.- Oráculo?Escapou da minha boca, antes que eu pudesse segurar. Não é de se estranhar que Bones quisesse vir comigo. Eu a deixaria irritada antes mesmo de me apresentar". (p.67)
Diante de algumas situações inusitadas, eu admito que o Bones me decepcionou. Algumas atitudes dele, por mais que tenha justificado durante o decorrer da leitura, não me convenceram.
Nesse livro um personagem me surpreendeu de modo positivo e ganhou muitos pontos comigo, o Vlad. Por trás de toda aquela atitude de bad boy, talvez se esconda um grande urso de pelúcia.
Tate.... O que falar dele? Olha, a Cat não o quer, então podem mandar ele aqui pra casa. A cada livro, eu fico mais e mais encantada com ele.
Novos personagens vão sendo adicionados na trama, como a tenente Geri Hicks e o Fabian Du Brac, o fantasminha camarada.
A lealdade de alguns será questionada. E será que quando a confiança é quebrada, a amizade continuará fortalecida?
E eu que vivo reclamando da mãe da Cat, meio que surpreendi com a atual situação dela.
O livro continua com muita ação, intriga, humor e sarcasmo, e se eu estava um pouco decepcionada com o terceiro livro, o quarto simplesmente apagou isso.
Em relação a revisão, diagramação e layout, alguns erros foram encontrados. A capa continua seguindo o perfil da série.
Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol

3 Comentários

  1. Não tenho muita curiosidade em ler essa serie, mas amei a capa.

    ResponderExcluir
  2. Gostar de TATE ? SÉRIO, a Cat nunca vai ficar com ele graças a deus mais eu to abismada, como alguém pode gostar daquela coisa chata e insuportável ? desculpa. Só to abismada. eu ódio algumas atitudes do Bones também concordo com você. eu amei esse como amei todos os outros da série BONESVEMNEMIM
    *-*

    ResponderExcluir
  3. POSSIVEIS SPOILERS
    SPOILER
    ...
    ...
    Velho, esse quarto livro é muito bom!!! Mas sério, to no cap 20 e desde o inicio do livro to achando o Bones insuportável. Sério, ele ta totalmente louco e tratando a Cat como se fosse um cachorro, e ela ainda se sente culpada por isso. Porra, Red Reaper tenha amor próprio jovem. Bones não deixa ela tomar as próprias decisões... sérioo minha vontade e jogar o computador longe toda vez que ele tira as a oportunidade de escolha dela e ela fica querendo pedi desculpas pra ele. E a ceninha dele quando ela volta... pelo amor, sériooooo.... to indignada. Velho, só eu acho que ela tinha que sai e conhecer uns caras legais?? Da uns pegas nuns homens bonitos e tals. E só depois, quando o Bones aprender a não tratar ela como cachorro e ela aprender a ter amor próprio eles podem voltar. Mudando de assunto... Nossa velho, simplesmente AMO o Vlad, hahah ele tem muito senso de humor adoro a relação dele com a Cat. E o fato do Bones não gostar dele é melhor ainda. Só espero que a autora não cague com a relação deles. E sobre o Tate, que falaram ai nos comentários, gosto muitoo, só não acho que a Cat deveria ficar com ele. (no segundo livro eu torcia muito pra eles ficarem)... enfim... é isso

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.