Sinopse - "Lenny Cyrus, o supervírus, convida a uma aventura nanotecnológica em meio aos dramas comuns da adolescência Tímido, apaixonado e nerd: conheça Lenny Cyrus, o novo herói da ficção científica criado por Joe Schreiber O que você seria capaz de fazer para conquistar seu grande amor? A maioria das pessoas provavelmente pensaria em comprar flores ou chocolates. Uma ou outra apostaria em um jantar a dois ou numa declaração de amor escrita num papel perfumado. Mas encolher-se quanticamente a ponto de entrar na corrente sanguínea do ser amado para ter a chance de convencer os neurônios dele a se apaixonarem por você – essa ideia só poderia sair da cabeça de um gênio de 13 anos como Lenny Cyrus. Com QI demais e traquejo social de menos, o personagem criado por Joe Schreiber é o protagonista de Lenny Cyrus, o supervírus, lançamento infantojuvenil da Globo Livros. Filho de dois vencedores do Prêmio Nobel e dotado de uma inteligência acima do normal, Lenny coloca toda sua mente para funcionar para conseguir entrar na cabeça e no coração da menina por quem é apaixonado, Zooey Andrews, uma descolada colega de escola que parece não notar sua existência. A única pessoa com quem Lenny divide seu segredo é o melhor amigo, Harlan. Mas nem mesmo o bom senso de Harlan consegue refrear a capacidade imaginativa de Lenny, que descobre uma forma de reduzir seu tamanho ao de um vírus e de entrar no corpo de Zooey para tentar contar à menina sobre seu amor – não sem antes passar por uma incrível aventura pelo sistema circulatório da garota, fazer amizade com algumas células do seu corpo, cair na farra com seus hormônios e, finalmente, se dirigir ao cérebro com a missão de declarar seus sentimentos. Tudo, claro, sem esquecer de um importante detalhe: o garoto precisa cumprir todo seu itinerário em algumas horas, antes que seu corpo volte ao tamanho normal. Encerrado esse limite, se ele ainda estiver dentro do organismo de Zooey, será o fim de ambos. Inspirado nos filmes Viagem Insólita (1987) e Querida, encolhi as crianças (1989), Lenny cyrus, o supervírus conta a história alternando os pontos de vista de Zooey, Harlan e do próprio Lenny, que lidam não apenas com paixões não correspondidas, mas com ciúmes, expectativas, relacionamentos complicados com os pais e com os colegas mais valentões, e com outros de dramas típicos da adolescência".
Minha opinião - "Lenny Cyrus, o supervírus" é um livro voltado para o público teen repleto de bom humor, tiradas inteligentes e muito fofa com um lado nerd. Narrado por três protagonistas Zooey, Harlan e Lenny, três pré-adolescentes que estão passando por aquela fase estranha do crescimento, em que nos encontramos entre a infância e o início da vida "adulta". 
Lenny é o gênio da trama, apaixonado pela Zooey desde que era um garotinho (ela o salva de um valentão), mas infelizmente não consegue chamar a atenção da garota de modo positivo (pois não tem habilidades sociais muito encantadoras). Seu melhor e único amigo é Harlan, um garoto que pode ser considerado academicamente mediano. Ele é o principal incentivador, para que Lenny faça um movimento em relação a Zooey. O problema é que Lenny não pensa como os demais do resto do planeta e envolve a bendita  "Constante de Planck" no meio, causando uma grande confusão.
Um dos pontos positivos do livro são as descrições que o autor utilizou para explicar o corpo humano visto do lado de dentro. Com muito bom humor Joe Schreiber deu "vida" a várias células, colocando características de personalidades capazes de fazer o leitor dar ótimas risadas:
"- Glóbulos Brancos ..... aqueles sacos de pus cheios de si são completos otários. Sempre tagarelando sobre o bem maior. Eles se acham os maiorais". (p. 83)
O desenvolvimento dos personagens também foi bem realizado pelo autor: Zooey é doce e inteligente, Harlan é um amigo verdadeiro e defensor daqueles que gosta, Lenny é aquele nerd fofo, desengonçado, seus pais são emocionalmente ausentes, o que permite ao leitor ter um momento de raiva com eles e é claro temos os arqui inimigos Mick Mason e Aria Keen, sendo que Mick é o típico garoto popular brutamontes e Aria quer ser a "mais" a qualquer custo. 
Mas não são apenas esses personagens que ganham destaque. Os personagens do corpo da Zooey são hilários: o Astro, os estrogênios e tantos outros conseguem prender o leitor do início ao fim do livro. 
"Vocês simplesmente vão levando a sua vida, fazendo o que bem entendem e seguindo em frente com os seus experimentos ou sei lá, mas alguma vez pensaram  sobre como isso o afeta? Vocês algumas vez pensaram nas consequências?". (p. 120)
O livro tem um ar de primeiro amor, aquele amor inocente só que repleto de poesia geek:

"Por trás dos óculos, os seus olhos tinham aquele azul de metileno puro que só se vê em soluções químicas perfeitamente balanceadas". (p. 10)
Em relação a revisão, diagramação e layout a editora realizou um trabalho excelente. Os detalhes dos inícios dos capítulos , as imagens dos três personagens, o rodapé, a revisão, e tantos outros detalhes enriqueceram a trama. A capa é totalmente relacionada à trama, conseguimos até mesmo ver o Lenny por ali. 
Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol

2 Comentários

  1. Carol, amo o Lenny, rs! Me diverti muito com a história... Os personagens são envolventes, carismáticos e tudo é muito fofo! Ótima dica...

    Abraços, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.