Sinopse - "Alexandria Houton e seu irmãozinho órfão se deparam com um terrível mal em meio às brumas da agitada San Francisco, até que surge Aidan Savage, um ser dourado saído das sombras, mais sexy e misterioso que qualquer outra criatura da noite. É ele, um Cárpato macho e centenário, quem os arranca do destino medonho que os aguardava. Mas seria Aidan um milagre… ou um monstro? Alexandria se vê tomada por uma paixão avassaladora, capaz de desafiá-la a explorar um lado desconhecido, extremamente sensual – e perigoso. O que ele oferece parece seguro, sedutor e prazeroso... Se ela se render ao desejo selvagem de Aidan e lhe der a luz pela qual ele tanto anseia seria realmente possível que ele salvasse o seu irmão?"


Minha opinião - O terceiro livro da série "Os Carpátos" deixa o leitor com os sentimentos divididos: o livro é bom, mas tinha potencial para ser melhor. O local da história é São Francisco onde encontramos a jovem Alexandria, ou Alex e seu irmãozinho Joshua. Alex cuida de seu irmão desde que ficaram órfãos. Infelizmente, durante uma entrevista de emprego, ambos irão se deparar com Yohenstria, um vampiro que rapta os dois e tortura Alex, que será salva por Aidan, um médico dos Cárpatos, aprendiz do Gregori, o sombrio.
Uma das características dessa série são os romances hots e avassaladores e nesse quesito o leitor não se decepciona. Mas a ação deixa a desejar. Talvez pelo fato desse livro não ter os demais Cárpatos e suas companheiras presentes, ou porque o único Cárpato que aparece é o Gregori e lá no final do livro (depois da página 300), o leitor pode ter a impressão de que falta algo. Além disso, ficaram faltando algumas explicações: o motivo dos vampiros estarem atacando em São Francisco e a falta de uma "briga" entre Aidan e o outro pretendente de Alex. 
O lado positivo desse livro foram os momentos fofos. Como Alex se nega a acreditar na nova vida que terá que levar, assim como nas criaturas da noite, sejam vampiros ou Cárpatos, Aidan (um Cárpato muito paciente por sinal), irá praticar a arte da sedução, não apenas a sedução romântica, mas também seduzir para trazer Alex para o "mundo sombrio". O problema desse lado "fofo" do livro é que acabou enrolando muito, testando não apenas a paciência do Aidan, como também dos leitores.
O destaque do livro são os personagens coadjuvantes: Marie, a governanta e o seu marido Stefan, além do Joshua o irmãozinho da Alex. Marie e Stefan são a família de Aidan, e automaticamente adotam Joshua e Alex. Joshua é um garotinho muito esperto, e repleto de amor, mesmo já tendo sofrido tantas perdas em pouca idade. Essa situação familiar traz um grande conforto para os leitores e também acaba gerando muitos momentos engraçados.
Aidan é um homem incrível, mas meio "machão" querendo mandar em Alex o tempo todo, o que cria um certo conflito pois ela está acostumada a cuidar de tudo.
"Ela tinha a sensação de que os homens dos Cárpatos jamais tinham compreendido o movimento de libertação feminina ocorrido no século XX". (p. 337)
Do mesmo modo que os livros anteriores, a leitura é gostosa, rápida e flui muito bem. A autora cria cenários e situações engraçadas e sexy ao mesmo tempo e faz o público suspirar com os Cárpatos. "Pecado Sombrio" também deixa os fãs da série na expectativa, pois temos mais informações sobre quando Gregori irá atrás de sua parceira.
Em relação a diagramação, revisão e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa é linda mas não se forma um conjunto com os livros anteriores, cada livro têm uma capa muito diferente da outra. 
Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários!
Beijos
Carol

2 Comentários

  1. Oiiiiiiiii
    já li a sinopse dos outros livros livros e assim q parte da minha listinha for lida vou qrer ler essa série

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Pecado Sombrio é bom. Mas não tão envolvente quanto o vol.1 e 2. Espero a publicação do volume 4, pena que demora tanto, é desanimador

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.