Dois Rios SINOPSE:                                                                                       Harper Montgomery vive ofuscado pela tristeza. Desde a morte de sua mulher, há 12 anos, ele aprisionou-se em uma pequena cidade, Dois Rios, onde todo mundo se conhece, porque ali — justifica-se — poderia criar melhor sua única filha. Atormentado pelo desgosto, Harper prefere esconder-se. Mas a verdade é que a morte de sua mulher é somente um dos motivos de sua dor. Além de sofrer por sua perda, ele se sente culpado por um ato abominável: quando mais jovem foi cúmplice de um crime brutal e sem sentido. Há muito sentimento em jogo quando se trata de sua vida cheia de remorsos... Então, um acidente de trem oferece a Harper a chance de redenção: uma das sobreviventes, uma menina de 15 anos, grávida, precisa de um lugar para ficar, e ele se oferece para levá-la para casa. No entanto, a aparição dessa menina, Maggie, não tem nada de simples acaso, talvez, ela tenha alguma coisa a ver com o crime do qual ele participou um dia...
Minha opinião - Esse é o segundo livro que eu li da autora T. Greenwood. Para falar a verdade eu não ia pedir esse livro, mas achei interessante a sinopse e a capa linda.

Nesse livro conhecemos Harper Montgomery, um homem que passou por uma fase difícil em sua vida: sua mulher morreu, deixando a filha para ele criar. Com a ajuda dos tios da falecida esposa, ele consegue sobreviver por 12 anos, só que Harper acha que é a hora de encontrar uma casa,  ter seu cantinho, já que a sua filha está crescendo.

Já fazem 12 anos desde que Besty morreu no parto de Shelly, mas só sabemos o porquê quando chegamos ao final do livro, achei isso um ponto alto para o livro, pois ficamos curiosos.

Como no primeiro livro da autora, esse tem um pouco de mistério, lembro-me que quando li Um mundo brilhante eu fiquei morrendo de raiva, mas como nesse ilvro a autora manda bala no final e nos prende.
"Você vê, as coisas que nos apavoram, as coisas que nos assustam são, às vezes, as melhores coisas para nós. Se não fosse por você, provavelmente eu teria feito todas as coisas que tinha planejado fazer.." pág. 182
Voltando ao livro: um acidente de trem terrível acontece, deixando 40 mortes. Como Harper trabalha na ferrovia, ele vai até o local para ajudar as pessoas, e é quando ele conhece uma jovem, chamada Maggie, de apenas 15 anos, que está grávida. A mãe de Maggie morreu no acidente e o seu pai não quer saber dela, pois já havia expulsado a menina de casa. A jovem está sozinha e sem abrigo e acaba pedindo ajuda para Harper, que decide leva-lá para casa.

O livro intercala os capítulos com o passado de Harper, quando ele ainda era criança e começa a se apaixonar por Besty, até o presente. A autora discute o amor, achei impressionante como esse livro é emocionante, mesmo passando por vários momentos difíceis ele ainda amava Besty.

Sabe aquele personagem que você se encanta logo de cara? Esse é Harper, ele é ótimo, em vários momentos senti vontade de consolar ele pelo que passou e está passando, pois mesmo depois de 12 anos da morte da sua amada esposa, ele continua apaixonado por ela. Mas algo o marca, algo deixou uma cicatriz que não será apagada facilmente.

O livro é ótimo, mas eu ainda achei que faltou algo. Amei o modo como a autora intercalou os capítulos, adorei o romance no livro, o mistério é ótimo para o leitor, avançamos as paginas e não percebemos quando acabamos o livro. Não posso me esquecer da Maggie, leiam o livro e estejam atentos a todos os detalhes, pois ela é digamos importante.

Amei o livro, a autora está de parabéns, pois consegue prender o leitor até o fim. Li em uma tacada, pois queria saber o que iria acontecer no final do livro. A capa do livro está linda demais e a sobre a revisão não encontrei erro nenhum.

Bem minha resenha é essa espero que gostem...
Ká Guimarães

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.