Sinopse - "Uma Escolha Capaz de Mudar o Futuro. É 2100 e o mundo como conhecemos não existe mais. As cidades estão debaixo d’água e a civilização foi revertida a um estado primitivo. Em uma ilha isolada do norte, Mara, de apenas quinze anos, tem vontade de liderar seu povo em busca de um recomeço. Esta história comovente e poderosa leva à reflexão sobre a crise climática que enfrentamos hoje e as relações humanas levadas ao extremo".


Minha opinião  -  "Exodus" é o primeiro livro da trilogia da autora Julie Bertagna, voltada para o público infanto-juvenil. A trama se inicia no ano de 2099 e apresenta ao leitor um mundo onde a água invadiu diversos territórios e como consequência uma determinada comunidade mora em uma ilha chamada Wing, onde vive a jovem protagonista chamada Mara. Logo no início é interessante ressaltar a escolha da autora em retratar um mundo caótico devido as inundações que ocorrem graças a alterações climáticas. Cada vez mais vemos semelhanças entre as situações atuais e a possibilidade de um futuro aterrorizante. Outro detalhe é a escolha do ano em que a trama começa: 2099, 2100. A autora descreve um futuro, mas um futuro não tão distante, talvez como forma de reflexão para os leitores. 
O livro irá se dividir basicamente em dois momentos: a vida de Mara em Wing e a vida dela fora da ilha, quando as inundações tomam proporções acima do "normal".
No primeiro momento vemos uma jovem que tem uma vida simples e normal dentro do padrão descrito da época. Mara é uma jovem esperta, inteligente e curiosa, que indaga as situações e gosta da vida ao ar livre. Ela acompanha muito Tain, um ancião respeitado da ilha. A relação entre os dois é cativante, é como uma relação de avô e neta e Tain é um senhor muito inteligente que percebe logo que Wing em breve não mais existirá.
"Mas e se o milagre que tanto esperamos não acontecer? Escutem. Precisamos começar a planejar o futuro. Temos que nos preocupar com o mundo que há além dessas ilhas". (p.15)
Apesar das sábias palavras de Tain, a comunidade não quer acreditar que um dia Wing não proverá mais abrigo a eles. Infelizmente, a profecia de Wing se torna verdade antes do previsto e Mara irá liderar a todos a uma viagem ao desconhecido. A escolha de Mara como líder é motivada por alguns fatores, como o fato dela ter acesso à  Weave, velha rede mundial de computadores e o ciberwizz, que é como uma realidade virtual (um jogo).
"A weave não é um jogo ou uma ruína pitoresca para se brincar. É um mundo perdido. O mundo dos mortos. Pende no ciberespaço tal qual uma teia de aranha, abandonada, extinta e morta - uma teia-fantasma suspensa entre os velhos satélites de comunicação que orbitam o afogado planeta Terra. É um túmulo virtual". (p. 64)
Além de Tain, seus pais e seu irmãozinho Corey, Mara conta com os melhores amigos Rowan e Gail.  Rowan aparenta ser uma pessoa mais pé no chão, ciente da realidade, enquanto que sua irmã Gail demonstra um lado mais superficial. Ambos são personagens cativantes a sua maneira.
Na segunda etapa, temos a busca pelo Novo Mundo. Se em Wing os moradores tinham alguns contratempos, a aventura pela busca do Novo Mundo se mostra cheia de emoções, pois diversos desafios serão colocados no caminho de Mara. Em muitos momentos o leitor se emociona pelo modo como as pessoas são caracterizadas pela autora, pois o instinto que prevalece na maioria dela é o da sobrevivência. 
"De mãos dadas, as pessoas fazem um momento de silêncio ao redor da luz, sob o calor do fogo solar, juntas num mundo triste e frio. Uma centena de esperanças e desejos dispara em direção à fogueira e ao sol, com as fagulhas e fumaça". (p.16)
Durante essa busca, diversos personagens cruzam o caminho de Mara, trazendo esperança e inocência como o Gorbals e a Candleriggs, ou a alienação como a Dol ou até mesmo uma chama de esperança como o David. Cada personagem apresenta ao leitor uma característica importante, que exige a reflexão sobre as atitudes dos seres humanos quando estão frente a frente com a possibilidade de extinção.
Os personagens são cativantes e a trama é interessante, mas existem alguns momentos em que o desenrolar da história torna-se confuso, pelo excesso de informações como nomes de pessoas e lugares, explicações sobre culturas e costumes. Tal confusão pode ser explicada pelo fato de que é o primeiro livro da trilogia e por isso precisou apresentar e explicar ao máximo locais e personagens. O livro também aproveita para trazer um pouco de misticismo, com uma profecia que é apresentada a Mara durante a sua busca. O final do primeiro livro deixa o leitor curioso pela sua continuação.
Em relação a revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa é simples, mas ao mesmo tempo, ao observarmos o centro dela é possível verificar diversos detalhes.
"O peixe com o anel, 

o sino, o pássaro e a árvore.
Quando eles se juntarem
A profecia da pedra se cumprirá, salve!". (p.126)

Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol

Um Comentário

  1. Segunda resenha que eu leio do livro e confesso que me interesse em o ler está aumentado.
    Achei a história um tanto instigante e o leria pra saber como que tudo ira se suceder.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.