Sinopse: Ira Levinson está em apuros. Ao 91 anos de idade, com a saúde debilitada e sozinho no mundo, ele se vê preso em um barranco isolado após um acidente de carro. Sofrendo várias lesões, ele se esforça para manter a consciência até que Uma imagem borrada se materializa e entra em foco ao lado dele: sua amada esposa Ruth, que faleceu há nove anos. Insistindo para que ele espere, ela o obriga a manter-se alerta, contando as histórias de sua vida juntos – como eles se conheceram, as pinturas preciosas que eles compraram, os dias sombrios da Segunda Guerra Mundial e seu efeito sobre eles e suas famílias. Ira sabe que Ruth não pode estar no carro com ele, mas ele se apega a suas palavras e as suas memórias, revivendo as tristezas e as alegrias cotidianas que definiram seu casamento. A poucos quilômetros de distância, em um rodeio local, a vida de um estudante da Wake Forest College está prestes a mudar. Recuperando-se de Um recente termino, Sophia Danko conhece um jovem cowboy chamado Luke, que tem pouca semelhança com os meninos privilegiados das fraternidade que ela encontra na sua escola. Através de Luke, Sophia é apresentado a um mundo em que os riscos de sobrevivência e sucesso, arruinar e premiar – até mesmo a vida e a morte – pairam grandemente na vida cotidiana. Enquanto ela e Luke se apaixonam, Sophia encontra-se a imaginar um futuro muito distante de seus planos – um futuro que Lucas tem o poder de reescrever... se o segredo que ele está mantendo não destruí-lo primeiro.”

Título: Uma Longa Jornada
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Ano: 2013
Gênero: Literatura estrangeira, Romance
Páginas: 368

Minha resenha:

Posso confessar uma coisa primeiro??? Não gostei da capa desse livro, prefiro as outras que a Arqueiro estava fazendo. Mudando de assunto, acho que Nicholas Sparks se reencontrou e voltou a ser o que era antes viu, confira a resenha ai.

O livro é narrado por três persongens, um é Ira Levinson, que sofreu um terrível acidente; a outra é Sophie Danko que está tentando se livrar do seu ex-namorado que está te perseguindo e Luke Collins, que é um cowboy.  Eu ameia maneira que o autor escreveu o livro, me fez sentir mais próxima de cada personagem.

Vou contar um pouco mais de cada personagem: Ira, acha que está na hora de morrer, que finalmente irá encontrar sua Ruth, a esposa que faleceu e não é que ela aparece para fazer companhia a ele e para avisar que não chegou a hora dele ainda? Eé ai que vamos conhecer mais um pouco dos dois, pois eles começam a relembrar de seu passado e vai até o dia em que o acidente aconteceu.

Já Sophie é uma estudante que foi traída pelo ex-namorado, só que ele não se conforma com o fim do namoro e começa a perseguir a menina. Ela sonha em se formar para trabalhar em um museu. Luke, bem o que dizer dele pessoal, o que Luke quer no momento é dinheiro para salvar a fazenda que era de sua mãe.

Mesmo sendo personagens bem diferentes um do outro, tendo anseios diferentes sobre o amor, o amor os laça. O modo como Nicholas escreve esse amor é lindo: um amor cheio de simplicidade. Só que como sempre, o autor não deixa a felicidade vir rapidamente: os conflitos aparecem e um segredo pode acabar com tudo que eles construíram.

Não posso me esquecer do Ira, enquanto a história de Luke e Sophie está se desenvolvendo, a de Ira também está,e  já aviso é emocionante, é uma linda a história desse senhor. O modo que ele ama Ruth é incrível, ele nos faz crer que um casamento pode dar certo sim.

E ai você me pergunta: o que esses três têm a ver? No final do livro conseguimos entender o porquê o autor os colocou assim, apesar de que as duas histórias mostram o amor e do que ele é capaz.

Tenho certeza que todos vão amar esse livro, assim como eu amei, o final é lindo, não consegui parar de ler. A editora novamente fez um excelente trabalho, a capa como eu disse não gostei, mais achei alguns pontos positivos com o livro, sobre a revisão está ótima, diagramação perfeita, parabéns a Arqueiro.

Beijos

Ká Guimarães

8 Comentários

  1. Adoro os livros do Nicholas Sparks, tinha todos na época da Novo Conceito, mas deste que mudou de editora, por acaso do destino, acabei não lendo mais nenhum. A resenha fez o livro parecer bem interessante e me deu uma saudaaaaaaaaaade dos livros dele...

    ResponderExcluir
  2. Gizeli, eu amo os livros do Nicholas, como sempre ele escreve muitoooooooooo... Aconselho vc ler todos da Arqueiro viu ^^ são otimos ^^ beijos

    ResponderExcluir
  3. nunca li nada do Sparks, mas leria numa boa esse, que parece ser muito bom e apaixonante.
    só senti falta de um mistério/suspense/reviravolta em vez de só romance.

    ResponderExcluir
  4. Eu achei essa capa bonita, mas confesso que não consigo associa-la aos romances de Nicholas Sparks. Também preferia que a Arqueiro continuasse com o padrão que ela estava seguindo em relação aos livros do autor. Já em relação à trama, sempre com a mesma estrutura, mas com uma narrativa envolvente que, apenas ele sabe muito bem fazer. Claro que tentarei ler esse também.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  5. Oieeeeee
    Interessante a ideia que Nicholas teve p/a a narrativa que foi dividida em 3 partes. Acredito que o autor acertou na escrita que me pareceu perfeita e tbm pelos sentimentos despertados pela escrita que foram responsáveis por tornarem o livro especial.
    A leitura parece ser gostosa e acredito que o romance é bem cativador.
    Muito curiosa pela leitura.
    Bjus

    ResponderExcluir
  6. Sou fã do Nicholas e acabo sendo suspeita para falar sobre um livro dele.
    Histórias que se passam em meio a guerras são encantadoras por natureza e a forma que o autor descrever cada detalhe dá um toque especial.

    ResponderExcluir
  7. Amo o Nicholas, sou fã da sua obra.
    Histórias passadas em meio a guerras são encantadoras por natureza e a forma com que o autor descreve os fatos torna tudo mais belo. A narrativa dividida em parte foi um ponto a favor para que a história não se torne monótona. Creio que a forma com que os sentimentos são expostos pelos personagens contribuem para que a história se torne única.

    ResponderExcluir
  8. Amo o Nicholas, sou fã da sua obra.
    Histórias passadas em meio a guerras são encantadoras por natureza e a forma com que o autor descreve os fatos torna tudo mais belo. A narrativa dividida em parte foi um ponto a favor para que a história não se torne monótona. Creio que a forma com que os sentimentos são expostos pelos personagens contribuem para que a história se torne única.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.