Sinopse - Após quase ser morto em sua última missão, o ex-agente israelense Gabriel Allon não quer mais pensar no serviço de inteligência. Dedicando-se a seu trabalho como restaurador de arte, ele se refugia no Vaticano para dar nova vida a uma das maiores obras-primas de Caravaggio. Certa manhã, ele é chamado à Basílica de São Pedro pelo monsenhor Luigi Donati, o poderoso secretário pessoal do papa Paulo VII. Sob o magnífico domo de Michelangelo, jaz o corpo de uma linda mulher. A polícia suspeita de suicídio, mas Donati não acredita nessa hipótese e pede a Gabriel que investigue discretamente o caso. Ele só recomenda que Allon fique atento à regra número um do Vaticano: “Não faça perguntas demais.” Gabriel logo fica sabendo que a mulher descobriu segredos perigosos que ameaçam uma organização global envolvida com o comércio ilegal de antiguidades. Sem saber aonde sua caçada o levará, ele precisa impedir um atentado devastador que mergulharia o mundo em um conflito apocalíptico. Uma inebriante mescla de arte, intriga e história, Anjo caído conduz o leitor por câmaras obscuras do Vaticano, pistas de esqui glamourosas de St. Moritz e avenidas graciosas de Berlim e Viena, até alcançar o inesperado clímax nos subterrâneos do território mais sagrado e disputado do mundo.

Minha resenha

Não sou muito ligada em romances policiais, acho que nasci para ler romance água com açúcar é isso.  Esse foi o primeiro livro que li do autor Daniel Silva, não sabia o que esperar direito, confesso que não gostei muito do livro, pois achei que o autor deveria ter colocado mais suspense para os leitores, só que em algumas partes eu gostei sim e até fiz aquele: NOSSA...

O livro nos conta história de Gabril, que após anos trabalhando para inteligência israelense, decide que é hora de levar uma vida tranquila. Mas quando é chamado para restaura uma obra de Caravaggio no Vaticano, tudo muda em sua vida, pois um corpo é encontrado no Vaticano e o Papa que que ele investigue a morte da mulher.

Uma coisa legal na escrita de Daniel é os detalhes, ele não nos poupa de detalhes sobre os cais, e até parece que estamos lá. A morte dessa mulher é só o ponto de partida para história.

Para quem gosta de livros de espionagem e conspiração, esse é o livro certo, mas para quem ainda não leu nenhum livro desse tema é melhor começar por outro livro, mas quem quiser se arriscar vai em frente.

A narrativa do livro todo é feita em terceira pessoa, e não nos da diálogos, eu gosto de livro com diálogos então foi nesse ponto que eu me decepcionei. Mas nas demais coisas gostei muito, e tenho certeza que para quem gosta de livros desse tema será uma ótima leitura.
Beijos
Ká Guimarães

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.