Sinopse - "Aos trinta e um anos, a sorte de Kat Fallon com os homens já se mostrou longe de ser algo positivo. Mas quando ela convida seu melhor amigo e vizinho Nav Bharani para ser seu par no casamento de sua irmã mais nova em Vancouver, ela não imagina que está para embarcar na maior surpresa de sua vida... Nav é apaixonada por Kat desde que ela se tornou sua vizinha, e quando ela diz para ele que adora viagens de trem, principalmente pela possibilidade de "conhecer" estranhos, Nav bola um plano para ganhar o coração de Kat. Em cada parada do trem durante a viagem ele aparecerá disfarçado como "um desconhecido sexy". Kat cai nesta brincadeira sensual, mas o que começa como uma simples diversão transforma-se em algo mais denso e Kat se vê em dúvida se permanece em suas fantasias sexuais de solteira ou investe no seu par perfeito. Sexy, divertido, intrigante... Susan Fox é um dos novos talentos da ficção erótica".


Minha opinião - A premissa do livro é simples: um vizinho apaixonado e não correspondido que irá através de uma viagem de trem tentar conquistá-la. Kat é uma mulher de 31 anos que se relaciona sempre com os homens errados. Ao invés de procurar por conteúdo, ela corre atrás de homens com status social. Durante a leitura, é possível perceber que a dinâmica familiar dela a afetou profundamente. Sua irmã mais velha é um gênio, então, não podendo competir com isso, ela se tornou a srta sociável. E nada mais óbvio do que procurar um homem com um bom status para se relacionar não é? Mas ela age dessa forma sem perceber e conta com Nav, seu vizinho e melhor amigo para aconselhá-la e ajudá-la nos finais dos relacionamentos.
"Eu sei que não está desesperada. Mas, talvez, quando olhe esses caras, você veja o que quer. Um possível marido. Em vez de enxergar o que está realmente diante dos seus olhos". (p.35)
Nav é um personagem fofo, sonho de consumo de muitas pessoas. Bonito, educado, inteligente e sedutor, ele não aguenta mais ver Kat nos braços de outros homens e resolve usar a criatividade para seduzi-la. Nada melhor que uma viagem de dias de trem, para usar vários personagens e mostrar a ela que o homem ideal está na sua frente.

"O que ele estava pensando com o seu plano maluco? Mesmo que aparecesse de terno no trem, ele ainda seria Nav. Um homem três anos mais novo que ela, que estava apenas começando a sua carreira, que não tinha nada de deslumbrante. Ela lhe diria a mesma frase de sempre, que o via como um amigo e blá-blá-blá". (p. 42)

Falando das cenas hots do livro: elas são muitas e uau! A química entre os dois é explosiva e os dois aproveitam cada instante da fantasia criada. Existem momentos em que o leitor fica pensando se os dois não são movidos a bateria.

Os capítulos alternam entre os sentimentos e percepções dos dois personagens, então é possível entender o que os dois vão sentindo em cada situação.


Em meio a tantos livros eróticos sendo lançados no mercado, "De repente, o amor" entra na categoria "gostosinhos de ler, mas nada extraordinário". Um dos pontos positivos do livro é que além das cenas hots o livro tem conteúdo: é discutida a dinâmica familiar de Kat, suas inseguranças, a família dela tem uma presença marcante também e até mesmo vamos conhecer um pouco sobre a família do Nav. 

Para os fãs do gênero que procuram um romance hot, sem muitas pretensões o livro "De repente, o amor" é uma boa pedida.

Em relação a diagramação, revisão e layout a editora realizou um bom trabalho. A capa é simples, sexy e o toque de vermelho chama a atenção.

"O que eu tinha achado por dentro não era tão maravilhoso - havia inveja, insegurança, alguns sentimentos sombrios -, mas ele me mostrara que eu também não era tão horrível. Ele não havia me rejeitado. Com ele, eu podia ser forte ou vulnerável, brincalhona ou séria, e ele ainda me amaria". (p.307)

Essa resenha foi primeiramente publicada no blog Viaje na Leitura

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.