Sinopse - "Pedro é um jornalista aficionado pela história de seu país, sobretudo no que diz respeito ao episódio conhecido como Revolução Fraterna. Em meio a conflitos internos que envolvem a culpa pelo fim do casamento e a frustração causada pela derrocada de sua carreira, ele tem a grande oportunidade de se dedicar a um projeto que lhe permite extravasar o seu idealismo. Mas essa também será a forma de descobrir que tudo vai muito mais além do que aquilo que se pensa conhecer". 

Minha opinião -  A construção da trama do livro "A base do iceberg" é complexa, cheia de camadas a serem descobertas conforme o leitor avança na leitura. A primeira impressão que temos do protagonista Pedro, é de que ele tem uma vida completa: tem um bom emprego, é casado, tem amigos, todos os elementos que consideramos necessários para alcançar a felicidade. Conforme os capítulos avançam percebemos que a realidade que está por trás da fachada de normalidade é outra: seu patrão, o seu Iago vive perseguindo-o; seu casamento não é um conto de fadas e seus amigos podem ter segundas intenções.
Como a sinopse explica Pedro irá envolver-se em um grande projeto que está relacionado com o passado histórico do país e ao aprofundar-se na pesquisa as suas reflexões irão levá-lo ao verdadeiro sentido da vida.
A narração é em primeira pessoa, muito reflexiva e às vezes um pouco lenta. Nem todos os capítulos são narrados por Pedro: conforme as pessoas da sua vida são apresentadas ao leitor, elas começam a contar a história de acordo com a sua perspectiva. Após o envolvimento de Pedro com o projeto, acompanhamos também um pouco do passado na narração, observando então a verdade dos fatos.
Pedro é um personagem complexo, que não é nem herói nem anti-herói. Durante a sua trajetória, ele comete erros, foca-se demais no passado e de certa forma, não vive o presente. A sua própria construção do protagonista deixa o leitor refletindo sobre a própria vida, sobre aprender com o passado os erros que não devem ser repetidos.
Catarina, a ex-esposa de Pedro é uma mulher que desde jovem sofre com a insegurança sobre a sua beleza. Com ela, realizamos uma análise sobre o casamento e o que a sociedade espera dele, sobre a falta de amor e sobre as inseguranças humanas.

"O tempo se encarregou de dissolver as expectativas, e aquele rosto refletido na superfície escura representava duas realidades excludentes entre si: a de um garoto ingênuo ou a de um adulto fracassado". (p.12)

Todos os personagens são compostos de modo que o leitor se identifique, pois todos realizaram um ato de qual se arrependem, e vivem discutindo internamente sobre a dualidade que todos carregamos: agir de modo correto ou pegar um atalho para atingir o nosso objetivo.
"A base do Iceberg" é uma leitura voltada para o público que gosta de refletir, que se interessa pelos debates internos que cada um carrega. Como comentado anteriormente é uma leitura complexa, rica e com uma trama bem delineada.
Em relação à revisão, diagramação e layout foi realizado um ótimo trabalho.

"Hoje, a resposta é bem clara: eu sentia a estranha necessidade de ser infeliz". (p. 39)

Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol

2 Comentários

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.