SinopseUm ano depois dos acontecimentos que mataram sua irmã e transformaram Vanessa em sereia, ela tenta desesperadamente manter sua família unida e retomar a vida 'normal'. Mas, não importa quantas vezes mergulhe ou quanta água salgada beba, Vanessa se sente cada vez mais fraca. Ela não tem ideia de como viver na condição de sereia e não quer mais ter que lidar com sua recém-descoberta identidade. É tudo assustador demais. De volta a Winter Harbor para passar o verão, as lembranças do ex-namorado, Simon, estão em toda parte. Vanessa o ama e faria tudo para que o relacionamento desse certo. Mas como pode pedir que ele a aceite de volta, se ela é uma criatura que só trará mais problemas a ele? E como Simon poderá amá-la quando descobrir a terrível verdade - que, para permanecer viva, Vanessa precisa satisfazer seus desejos de sereia, não importando quem saia machucado?

Minha opinião - O final da trilogia Sereia deixou à desejar. Para aqueles leitores que esperam um final repleto de reviravoltas provavelmente ficará decepcionado. Vanessa passa a maior parte do livro lamentando a sua vida e relembrando os acontecimentos e os personagens dos livros anteriores: a perda da sua irmã, o descobrimento da sua mãe biológica, o término com Simon e Zara. Além disso, a trama principal é basicamente uma repetição do primeiro livro, com exceção de que agora, as vítimas são do sexo feminino.
Vanessa insiste com os seus pais em voltar à Winter Harbor, onde novamente vai trabalhar no restaurante da família de Paige. Como se não bastasse todo esse "dejá vu", alguns personagens aparentemente não aprenderam que segredos custam muito quando estão relacionados as sereias. A protagonista vai aprender um pouco mais sobre suas "necessidades" e desenvolver alguns talentos, mas nada de extraordinário realmente acontecesse.
De modo geral, o livro não agradou. Faltou um enredo forte e tanto Vanessa quanto Paige não convenceram. Simon e seu irmão Caleb continuam presentes na trama e como sempre, acabam se envolvendo na nova confusão. Uma das personagens que acabou ganhando destaque foi Charlotte, a mãe biológica de Vanessa, que trouxe ao livro algumas explicações sobre o que Vanessa pode esperar para o seu futuro. 
Apesar do livro não ter convencido, alguns personagens ganharam pontos positivos em seu desenvolvimento. Além da Charlotte que já foi mencionada, Jacqueline (a mãe de criação) mostrou seus sentimentos em "Profundezas", assim como o pai de Vanessa.
Novos personagens foram inseridos na trama, como Anne, uma corretora de imóveis e seu filho Collin, como também Natalie uma nova garçonete. Esperava-se que esses personagens colaborassem para que a obra tomasse rumos diferentes, mas eles também não tiveram personalidade suficiente para que isso ocorresse.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um bom trabalho. A capa segue o esquema das duas capas anteriores, com detalhes que se destacam, mas não é exatamente atrativa.

"Ela jamais quisera se acomodar, se apegar às coisas. Porque era difícil se sentir confortável no presente quando o seu futuro podia mudar a qualquer momento". (p. 335)

Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol

Um Comentário

  1. Acho que esse livro é dedicado a leitores mais jovens, por isso não te agradou tanto.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.