SinopseO Silêncio das Montanhas traz como protagonista os irmãos Pari e Abdullah, que moram em uma aldeia distante de Cabul, são órfãos de mãe e têm uma forte ligação desde pequenos. Assim como a fábula que abre o livro, as crianças são separadas, marcando o destino de vários personagens. Paralelamente à trama principal, Hosseini narra a história de diversas pessoas que, de alguma forma, se relacionam com os irmãos e sua família, sobre como cuidam uns dos outros e a forma como as escolhas que fazem ressoam através de gerações. Assim como em O Caçador de Pipas, o autor explora as maneiras como os membros sacrificam-se uns pelos outros, e muitas vezes são surpreendidos pelas ações de pessoas próximas nos momentos mais importantes. Segundo o próprio Hosseini, o novo título "fala não somente sobre a minha própria experiência como alguém que viveu no exílio, mas, também sobre a experiência de pessoas que eu conheci, especial os refugiados que voltaram ao Afeganistão e sobre cujas vidas tentei falar tanto como escritor quanto como representante da Organização das Nações Unidas. Espero que os leitores consigam amar os personagens de O Silêncio das Montanhas tanto quanto eu os amo". Seguindo os personagens, mediante suas escolhas e amores pelo mundo - de Cabul a Paris, de São Francisco à Grécia -, a história se expanda, tornando-se emocionante, complexa e poderosa. É um livro sobre vidas partidas, inocências perdidas e sobre o amor em uma família que tenta se reencontrar. 


Minha opinião -  A sinopse do livro é bem explicativa. A trama conta a história de dois irmãos, mas foca em Pari, uma garotinha de quatro anos de idade separada do adorado irmão Abdullah. O livro conta a jornada dessa garotinha, tanto de forma direta como indireta. Durante a leitura, percebemos que alguns personagens aparecem e inicialmente sua presença não tem muito sentido, mas graças a complexidade da trama e a capacidade do autor em escrever uma obra tão bem desenvolvida, não existem pontas soltas, todos os personagens são importantes, pois cada um deles irá interferir na vida de Pari.

"Um teste de seu amor. Foi um desafio difícil, admito, e devo reconhecer quanto custou a você. Mas você passou. E esta é a sua recompensa. E a dele". (p.19)

A narração varia, pois o autor mescla diversos modelos narrativos como fábulas, diálogos, fala em tempo presente e em passado. A habilidade do autor é tanta que o leitor não se sente sufocado nessa miscelânea, pelo contrário, ela se torna essencial para dar o tom em cada momento da vida dessa garotinha.
O cenário utilizado pelo autor nos é conhecido em seus livros: o Afeganistão. Juntos com Pari, exploramos sua cultura, seus valores, suas belezas. Infelizmente, nem tudo que é visto e descrito tem um lado "bonito". O autor nos apresenta também a tristeza, a dor, a perda e o sofrimento. É o equilíbrio de todas essas características que torna o livro único.
Os fãs do autor irão perceber que "O silêncio das montanhas" é uma obra um pouco diferente das anteriores. Existe um lado mais terno na escrita e o fato de existirem múltiplos personagens com histórias individuais torna o "fardo" desses personagens mais leve, pelo fato deles o dividirem.
É uma história que fala de fé, esperança, a força de um ser humano e o destino. Um livro envolvente, repleto de personagens carismáticos e humanos, com trajetórias que irão deixar o leitor com lágrimas nos olhos.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um excelente trabalho. A capa é lindíssima e combina perfeitamente com a obra.

"Finalmente, faz sua escolha. Vira-se, abaixa a cabeça e anda em direção a um horizonte que não consegue enxergar. Depois, não olha mais para trás. Sabe que, se fizer isso, vai enfraquecer. Perderá a pouca certeza que tem...” (p.70)

Aguardo comentários!

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.