Sinopse - "No meio de uma terrível nevasca, a cadelinha Rose insiste em dar conta de seu trabalho como pastora enquanto nos deixa a par de suas curiosas reflexões: onde está Katie, que ela nunca mais viu, embora seja capaz de sentir sua presença em todo lugar? Quem será aquele cachorro selvagem que parece seu amigo? Por que Carol, a mula, fica parada mesmo debaixo de toda a neve que cai? E onde foi parar Sam, que sumiu depois daquele barulho todo? Mas Rose não tem muito tempo para suas reflexões divertidas — e às vezes bem corretas. Agora ela deve voltar sua atenção para uma coisa muito mais séria: correr atrás de Sam, tentar encontrá-lo e, quem sabe, salvá-lo. No entanto, alguns perigos podem ser intransponíveis para uma cachorrinha..." 

Minha opinião - O livro é narrado em terceira pessoa e conta a história de Rose, que vive há seis anos na fazenda de Sam, pois foi adotada aos dois meses de idade. Sam é um homem calado e taciturno, que perdeu alguém que amava muito e tornou-se introspectivo. Em alguns momentos, conversa com Rose ou às vezes sozinho, durante o trabalho na fazenda.
Rose é uma cadelinha com habilidades incríveis: seu talento nato de realizar um mapa na sua cabeça permite que saiba onde estão todos na fazenda: Blackface, o líder das ovelhas e seu rebanho, Brownie, o gigantesco touro, as gatas Eve e Jane, Winston, o velho galo com uma postura altiva, a mula Carol e tantos outros animais. Todos os dias Rose e Sam dirigem a fazenda com punhos e patas de ferro, até que uma grande tempestade acontece e muda completamente a situação dos moradores da fazenda.
O livro conta com descrições detalhadas da fazenda, seus habitantes e peculiaridades. A escrita do autor é surpreendente, pois consegue fazer o leitor entender os sentimentos dos animais, quase como se eles estivessem falando conosco.  Até mesmo os animais "selvagens" tem uma história própria, como se fornecesse ao leitor explicações para os seus atos.
A trama é bem desenvolvida, mas graças ao detalhamento das cenas e personagens e por quase não ter quase diálogos, em alguns momentos se torna um pouco pesada. De qualquer maneira, é um livro gostoso de ler, principalmente para os fãs de obras que tem como protagonistas animais heroicos e carismáticos.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um excelente trabalho. A capa é lindíssima e está totalmente relacionada com a trama.

"Ela parecia ter um tipo de mapa da fazenda dentro da cabeça, uma imagem de como tudo tinha de ser. Sempre que algo estava errado ou fora do lugar, um animal doente, uma cerca derrubada, um intruso, ela sabia no mesmo instante, e chamava a atenção para o fato, farejando, latindo, andando em círculos. Parecia a Sam que Rose atualizava constantemente o mapa". (p. 10)

Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.