Sinopse - "As aventuras de Patrick Bowers ao longo de cinco livros nos levam por um mundo de violência psicopata. Com uma inteligência acima da média, o agente especial do FBI chega, nessa série, ao limite de suas capacidades, enfrentando criminosos cada vez mais habilidosos. Trazido da Carolina do Norte para ajudar no caso de um serial killer, o agente especial do FBI Patrick Bowers se vê no meio de um jogo de gato e rato. Astuto e letal, o assassino está sempre um passo à frente da lei e está prestes a marcar mais um ponto novamente. Bowers vai ter que usar todos os seus instintos, habilidades e suas modernas e controversas técnicas de criminologia ambiental para deter o homem que se autodenomina o Ilusionista"


Minha opinião -  "O Peão" é o primeiro livro de uma série policial que traz como protagonista Patrick Bowers, o primeiro agente do FBI da história a se tornar PhD em criminologia ambiental.
Patrick é um homem extremamente inteligente e sagaz, mas que nos últimos tempos teve uma grande perda pessoal. Sua família consiste em seus pais e sua enteada Tessa de 17 anos de idade. 
O livro alterna em capítulos narrados em primeira e terceira pessoa, sendo que os capítulos em primeira pessoa apresentam a visão de Patrick e os em terceira pessoa apresentam principalmente a visão do "Estrangulador da fita amarela".
A construção do enredo é excepcional. O modo como o autor conseguiu juntar o prólogo que se passa em 1985 à história principal que ocorre em 2008 é muito inteligente. 
A caracterização do assassino é assustadora, pois ele se tornou um personagem bem humanizado, já que foi permitido ao leitor conhecer alguns elementos essenciais para torná-lo o que ele é. O mais assustador de tudo é relacionar o passado e as suas ações no presente, mostrando durante a leitura que as vezes as pessoas mais cruéis são aquelas que vivem sobre uma superfície de normalidade.
Os personagens secundários possuem um papel essencial na trama: os agentes especiais Ralph Hawkins, Brent Tucker, Margaret Wellington e a Jiang formam o quadro geral do cotidiano de Patrick e seus relacionamentos no trabalho. Alguns desses agentes são amigos, outros vingativos e invejosos, montando assim subtramas que podem ser desenvolvidas nos próximos livros.
Um dos pontos positivos do livro é observar a relação da Tessa e Patrick. Tessa tem uma personalidade muito parecida com a de Patrick e demonstra uma grande inteligência por trás da atitude de típica adolescente.
É impossível ler o livro e não se impressionar pela maneira como o autor organizou a trama, deixando claro que o criminoso do livro não é o único expert em xadrez, pois o leitor se surpreende com uma virada importante quase no final do livro.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um excelente trabalho. Do cuidado na revisão aos pequenos detalhes como o desenho de peões no final das páginas e início dos capítulos até a capa que mesmo em sua simplicidade apresenta elementos essenciais a trama e consegue despertar o interesse do leitor.

"E foi então que o Ilusionista percebeu que o espetáculo inteiro, do início ao fim, com todos os seus falsos erros e falas irreverentes, fora perfeitamente planejado, cuidadosamente ensaiado. O próprio espetáculo era uma grande ilusão". (p. 37)

2 Comentários

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.