Sinopse - "A família de Max não permitiria nenhum desvio na imagem perfeita que havia construído. Karen, a mãe, é uma advogada renomada, determinada a manter a fachada de boa mãe, esposa e profissional. Steve, o pai, é o exemplo do chefe de família presente em sua comunidade, favorito a um importante cargo público. O ponto fora da curva é Daniel, o caçula, que, para os padrões da família Walker, é “estranho”: não é carinhoso, inteligente ou perfeito como Max. Melhor aluno da escola, capitão do time de futebol, atlético, simpático, sucesso entre as garotas: Max, o primogênito, é o menino de ouro. Ninguém poderia dizer que sua vida não é perfeitamente normal. Ninguém poderia dizer que Max esconde um segredo".

Minha opinião - "Menino de ouro" é um livro que expressa uma delicadeza ímpar e aborda uma temática pouco explorada de maneira emocionante. 
O livro é narrado em primeira pessoa por diversos personagens: pelo próprio Max, seu irmão Daniel, sua mãe Karen, seu pai Steve, Archie uma médica incrível e compreensiva. Todos os narradores possuem um papel importante na vida de Max, um jovem que é visto por todos como o garoto perfeito: é um ótimo aluno, filho, popular, gentil, inteligente, bondoso, mas que nasceu com uma alteração genética que altera toda a sua perspectiva em relação ao mundo.
Confiando o seu segredo há apenas algumas pessoas fora do núcleo familiar, um acontecimento chocante muda a vida de Max. É uma situação que deixaria qualquer um desnorteado, mas a forma como a autora abordou traz um impacto muito grande durante a leitura, deixando o leitor emocionado e com lágrimas nos olhos.
A partir desse instante, a fachada de perfeição de Max é derrubada e uma sensação de confusão emocional o assola.
A autora escreveu de modo impactante a história, focando principalmente nas emoções de Max e dos envolvidos. O modo como ela descreve a parte médica da situação, as descrições, o relato do histórico médico de Max e até mesmo a visão clínica da médica são perfeitamente encaixados, tornando a leitura fluida e emocionante.
Ter a visão dos pais em um caso tão atípico é emocionante. Apesar do leitor não concordar com algumas das atitudes tomadas por eles é possível compreender as ações, pois sabemos como a sociedade destrata aqueles que são considerados "diferentes" e os pais sempre tentam proteger as crias, mesmo que suas ações sejam vistas como irracionais.
A narração de Daniel, o irmão mais novo de Max, é brilhante. Com apenas 9 anos e 4/5 ele traz a visão da pureza de uma criança ao mesmo tempo que debate como um adulto. É o personagem mais perspicaz e ao mesmo tempo mais cativante com seus acessos de raiva e temperamento volátil. 

"Tantas coisas mudam quando se é um adolescente. Nos tornamos conscientes do sexo e do amor. Apressamos as coisas porque achamos que os amigos estão experimentando mais do que nós". (p. 80)

Sem dúvidas "Menino de Ouro" é um dos melhores livros lidos nos últimos tempos.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa é simples mas muito bonita. 







Sobre a escritoraAbigail Tarttelin nasceu na Inglaterra e é uma artista compulsiva. Já compôs músicas, escreveu roteiros para cinema e TV e trabalhou como atriz. Foi eleita como uma das 1000 pessoas mais influentes pelo jornal inglês London Evening Standard, recebendo ainda destaque na seção “25 com menos de 25”. Atualmente, é editora de livros da Phoenix Magazine, além de escrever para os veículos The Huffington Post e The Guardian. Menino de Ouro é o seu segundo romance. O primeiro livro de Abby, “Flick”, publicado em 2011, foi descrito pela GQ como um futuro “clássico alternativo que se absorve aos poucos”.

2 Comentários

  1. parece ser uma história linda.. se vc diz que é a melhor leitura de todos os tempos, fico cheia de curiosidade para ler. Vai pra lista! =D

    ResponderExcluir
  2. Parece ser uma história linda, entrou pra minha wishlist...
    Forever a Bookaholic

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.