Sinopse - "Os irmãos Zac e Daniel Coleman juraram que jamais retornariam a Peoria, sua cidade natal, onde sofreram durante a infância e a adolescência com as tragédias de sua família, causadas pela mãe louca e violenta. Na vida nova em Nova York, como profissionais bem sucedidos, achavam que conseguiriam suprimir quem foram no passado. Mas a decisão de esquecer o que ficou para trás começa a perder força quando a irmã mais nova, Samantha, resolve visitá-los e traz junto com ela as vozes que os assombraram durante tantos anos. Ao mesmo tempo, frases colocadas na vitrine da loja em frente ao prédio onde eles moram parecem falar com Daniel e expor as verdades mais escondidas sobre ele. Por conta de uma doença na família, os dois então se vêem obrigados a voltar e a confrontar a dor que se esforçaram tanto para enterrar". 

Minha opinião - Narrado em terceira pessoa "Os recados" apresenta ao leitor a desestruturada e disfuncional família Coleman. Daniel é um consultor ambiental que namora com Shirley, uma garota considerada uma "típica nova iorquina". É um namoro superficial, de interesses, mas que pelo ponto de vista de Daniel, é perfeito. Sua vida profissional também está alavancando, mas sem perceber Daniel está sabotando o seu futuro. Em um comércio em frente a sua casa, começam a colocar algumas placas com recados, uma a cada dia. O intrigante dessas placas é que parecem estar falando da vida de Daniel e ele começa a analisar sua vida. 

"COMO ANEL DE OURO EM FOCINHO DE PORCO, ASSIM É A MULHER BONITA, MAS INDISCRETA". (p. 18)

Seu irmão mais novo Zachary é psicólogo e é um tanto analítico demais, dando a impressão de arrogante em alguns instantes.
Mary é a melhor amiga de Daniel e está sempre presente no apartamento dos Coleman. É uma jovem com uma baixa auto-estima e por isso tem dificuldades em aceitar que Zachary pode estar interessado nela e acaba se envolvendo em relacionamentos sem futuro com caras que não valem nem a pena citar.

"SABOROSA É A COMIDA QUE SE OBTÉM COM MENTIRAS, MAS DEPOIS DÁ AREIA NA BOCA". (p. 20)

Apesar da vida sentimental enrolada desses três, seu cotidiano não é de todo ruim. Isso até o momento em que a irmã deles, Samantha, aparece para visitá-los em NY e acaba trazendo péssimas notícias de Peoria, a cidade natal dos Colemans.
A partir desse momento o leitor é convidado a conhecer a conturbada família Coleman e a analisar e vivenciar toda a violência e falta de amor que esses irmãos tem no lar, graças a uma mãe que tem sérios problemas e um pai que tenta a qualquer custo ignorar o óbvio.
Um livro emocionante e que desperta no leitor tantas contradições: a necessidade de proteger, a indignação, dor, felicidade, a alegria de enxergar o amadurecimento dos protagonistas, a tristeza em presenciar algumas cenas.

"Na boca de Mary ele descobriu que se escondia a exultação de uma vida a dois. Em seu cheiro, o mistério da criação divina. No corpo dela, sua motivação ardente para desempenhar o homem que sempre quis ser, mas não sabia que podia". (p. 305)

"Os recados" é um livro escrito de forma magnifica, pois é capaz de envolver o leitor e ao mesmo tempo apresentar uma família que qualquer um poderia se identificar, pois possui elementos verdadeiros e os personagens são tão humanizados tanto pelas suas fragilidades quanto pela sua força que a leitura se torna irresistível.

"- Acho que não tem como fugir de Peoria, não é? - ele disse, por fim. - Ainda que você tente ser diferente, more em outro estado, ela sempre vai estar com você. Uma merda, sem dúvida". (p.223)

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.