Sinopse - "Com passagens por Brasília, Estados Unidos, China e França, O Vale dos Mortos baseia-se na profecia de que um planeta intruso ao sistema solar, ao raspar por nossa orbita, fatalmente desencadearia a transformação de grande parte da humanidade, não havendo lugar seguro, ambientes sem infecção, pois ela ocorreria simplesmente pela aproximação do astro. Pegos de surpresa, e tentando entender o que acontecia enquanto buscavam se salvar, um casal e seus filhos iniciam uma jornada para restabelecer alguma condição de vida no que restou de seu próprio mundo. Uma história com muita ação, suspense, que vai deixar você eletrizado".  



Minha opinião -  Narrado em terceira pessoa "O Vale dos Mortos" acompanha inicialmente a família de Ivan, um homem de 35 anos, ex-militar e atualmente trabalha na área da ciência da computação. Sua esposa, Estela, também tem 35 anos e é analista de sistemas na Avibrás, uma indústria bélica. O casal mora em São José dos Campos - SP, com seus dois filhos: Matheus de 8 anos e Ana de 6 anos de idade. A vida dessa família é normal, até mesmo pacata como de muitas outras famílias. 
Até que um certo dia foi descoberto um grande planeta que estava se movendo em direção à Terra. Esse planeta, chamado de Absinto, inicialmente gera uma certa comoção negativa na população, pois todos estão temendo que ele extermine o nosso planeta. Após muitos cálculos dos cientistas descobriu-se que não existe motivo para pânico, já que Absinto passará perto da Terra mas não causará nenhum dano. Será?

"Havia diversas perguntas sem resposta ainda. Qual era exatamente a rota do planeta? Do que ele era feito? Existia alguma chance de haver vida nele? Como ele conseguira ficar tanto tempo escondido, sem que ninguém fizesse ideia de que se encontrava tão perto?" (p. 21)

O dia 14 de julho de 2018 torna-se o dia "D". Em todo mundo diversas pessoas desmaiam e quando acordam seus olhos estão brancos e vazios. E ainda por cima acordam famintos por carne humana!!

"Algo que simplesmente não existia até aquela tarde de sábado, um personagem saído diretamente dos confins do inferno, nascido para uma vida maldita, naquele dia que seria lembrado geração após geração. O dia em que o reinado da raça humana chegara ao fim como espécie soberana na Terra, após milênios de dominação". (p.16)

O leitor acompanha os acontecimentos com o presidente dos Estados Unidos Peter Sumlin e em Pequim com o presidente Xi Jinping e na França, e na Nasa. Para os leitores que querem notícias locais também poderá acompanhar a presidente e os acontecimentos em Brasília.
Além de acompanharmos Ivan, Estela e seus filhos, conforme avançamos na trama conhecemos diversos outros personagens que terão um papel importante no enredo: Oswaldo, Silas, Bob, Arnaldo, Adriana, Gisele, Zac e muitos outros. Esses personagens irão demonstrar no decorrer do livro o amadurecimento pessoal, mas também fará o leitor questionar sobre a índole das pessoas. Mesmo com uma situação apocalíptica temos pessoas egocêntricas, egoístas e até mesmo más.
O escritor trouxe em seu texto descrições detalhadas dos locais, permitindo que fosse possível visualizar as cenas e para aqueles que passarem por São José dos Campos, se assustarem um pouco mais.
Alguns leitores podem questionar o fato de Ivan e Estela terem um comportamento quase fantástico em meio a uma situação absurda e inesperada. Na primeira impressão podemos pensar que os personagens são um pouco "forçados", mas também devemos levar em consideração que o objetivo principal deles é manter a família viva e unida. Para isso, é natural que os pais tentem ter o maior controle possível de uma situação imprevisível. 
A escrita do autor é fluida e viciante. Fica difícil fazer uma pausa do livro, pois a necessidade de se descobrir o que vai acontecer em seguida é inevitável. O enredo não tem momentos tranquilos: a luta pela sobrevivência faz com que os personagens estejam em constante movimento.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. Existem alguns errinhos de digitação, mas nada que influencie ou atrapalhe o entendimento. A capa é assustadora e chama a atenção. 
"O Vale dos Mortos" não é um simples livro sobre zumbis. É um livro sobre comportamento humano. O que uma pessoa é capaz de fazer para sobreviver? O que ela faria para não perder alguém que ama?

"- Não tenho medo de lutar contra mil feras. Tenho medo mesmo é de pensar no que vai acontecer com os que eu amo se eu não tentar. E por mim, o reinado dessas criaturas começa a desabar a partir de agora". (p. 162)




6 Comentários

  1. Já li algumas resenhas sobre o livro e minha vontade de conferir a história só faz aumentar.
    Eu simplesmente amo esse cenário pós apocalíptico, juntando os zumbis vagando e os poucos sobreviventes lutando por suas vida.
    Minha leitura atual e sobre zumbis, por isso que eu fiquei com mais vontade ainda de ler esse livro, quanto mais por ser de um escritor nacional.
    Gostei da resenha, beijos.

    ResponderExcluir
  2. A capa me lembrou O Grito Vermelho, sou muito medrosa, mas não resisto...
    Obrigada pela oportunidade de participar, bjks de tds de Pratinha.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não sou muito fã de livros sobre zumbis, mas o que eu li na resenha me deixou com vontade de ler. Até porque parece ter bastante ação, e eu sou apaixonada por ação. Vou colocar esse na minha extensa lista pra ler. Vamos ver se eu vou amar.

    PS: Linda resenha.

    ResponderExcluir
  4. Oiee
    Super morro de medo de mortos vivos,num mundo apocalíptico eu seria a primeira a morrer.
    Adorei a história desse livro,quando vi a capa em outro site não parei para ler realmente sobre o que era,pois esse não é um dos meus gêneros preferidos,mas me surpreendi por ficar atraída por essa obra.
    E essa é outra capa que sem dúvidas me daria pesadelos.
    beijos

    ResponderExcluir
  5. Que eu tenho medo de zumbis e coisas do gênero eu admito, tento não pensar que talvez um dia possamos realmente viver um momento apocalíptico, que a raça humana pode deixar de existir, extinta por um vírus ou catástrofe natural, admiro a criatividade de quem escreve obras assim e mais ainda quem lê, porque esta capa realmente está assustadora, e imaginando que a capa faz jus a história, o terror deve correr solto...

    @jan_araujo7

    ResponderExcluir
  6. Quando vi a capa e a premissa pela primeira vez, fiquei com muito medo de ser um livro de terror. Mas, agora lendo sua resenha, percebo que estava enganada, é sobre Zumbis e um evento apocalíptico. Gostei bastante do que li e percebo que vou adorar ler esse livro, quero muito saber o que as pessoas farão em momentos críticos... Parabéns pela resenha,f icou ótimn...bjs

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.