Sinopse - "Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor. Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas. Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário".


Minha opinião - "Querida Sue" é um livro extremamente delicado e escrito de maneira tão extraordinária pela autora Jessica Brockmole que se torna impossível largá-lo antes de finalizar a história.
Para começar o livro é escrito em forma de cartas trocadas entre os personagens. Inicialmente lemos algumas cartas do ano de 1912 de David Grahm e Elspeth Dunn. Ele nos EUA e ela na Escócia. Dois desconhecidos que começam a desenvolver uma grande amizade, confessam um para o outro seus sonhos, seus receios, seus amores. Anos e anos de correspondências até que a guerra se interpõe e muda a vida dos dois. 
Agora é a filha de Elspeht, Margaret, que no ano de 1940 passa por uma situação semelhante, onde troca cartas com Paul. E é conhecendo a história de sua mãe que Margaret poderá encontrar as respostas que tanto procura.
O livro é espetacular. A ideia do livro ser em forma de cartas, a escrita poética, as personalidades fortes e cativantes dos personagens e suas imperfeições, os acontecimentos tristes e caóticos, os diversos tipos de amores descobertos, tudo isso e muito mais é encontrado em "Querida Sue".
A maneira como as cartas são escritas, a intimidade que simples palavras de afeto conseguem transmitir fazem com que o leitor se sinta próximo aos protagonistas. Imaginar como Elspeth sorria ao receber uma carta engraçada de David, com as piadas internas que ambos criaram é espetacular.
Para os fãs do gênero é uma leitura obrigatória. Não há hesitação em indicar esse livro. É uma história tão bem construída, tão complexa e cheia de nuances que é impossível não se apaixonar pelos personagens. 
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa é linda, traz uma sensação de tranquilidade e serenidade que combina com a trama.  

"Acha realmente que precisa provar algo sobre si mesmo para mim? Acha que tem de fazer alguma coisa além de continuar a existir aí? É só isso que eu peço. Apenas exista". (p. 94) 

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.