Sinopse - "Era para ser um simples intercâmbio na Inglaterra, se não fosse o fato de Clarisse ficar hospedada na casa de sua amiga Gio, uma garota que namora nada mais, nada menos do que um dos integrantes da banda Flight 08 , de quem é fã, assim como outras garotas também. Igual a um sonho maravilhoso, a brasileira conhece e acaba se envolvendo com Mark, um dos vocalistas da banda. Porém, como saber se realmente essa ficada é para valer ou não? Como é difícil o amor nessa fase da vida! Ainda mais quando o famoso vocalista é cobiçado pela maioria das meninas, que rejeitam e até invejam a estrangeira que, aparentemente, conquistou o coração... do líder do Flight 08. Mais do que uma viagem até outro continente e outra cultura, A vivência de Clarisse é uma jornada para dentro de si mesmo, em que os conflitos da personagem são postos à tona, de forma profunda, sensível e cativante".

Minha opinião - Todos nós somos fãs de um determinado artista, seja cantor, ator, compositor, escritor e muitas vezes desenvolvemos uma grande paixonite por eles. Imaginem se um dia estivessem frente a frente com ele (a), compartilhando a mesma roda de amigos e rolasse algo mais entre vocês dois? Clarisse sabe exatamente como é isso...
Narrado em primeira pessoa e apresentando apenas a visão de Clarisse nas situações, o livro conta a história da adolescente Clarisse Agnelli, de 17 anos, que mora em São Paulo, mas que graças a um intercâmbio cultural vai para a Inglaterra, onde conhece a banda de rock Flight 08.
Giovanna é a inglesa que veio para o Brasil e morou por 8 meses com Clarisse e sua família. O pai dela era um dos empresários da gravadora da banda e a própria Gio namora com o vocalista principal Scott March.
Apesar do leitor imaginar que o livro trata exclusivamente do romance entre Clarisse e Mark, existe também o aspecto de crescimento pessoal e amadurecimento da protagonista. A Clarisse é muito insegura, tímida e chora por qualquer coisa. Estar morando com estranhos e longe dos pais e amigos é também uma situação atenuante, pois não é fácil não ter o apoio das pessoas que conhecemos e amamos de perto.
A escritora criou diálogos condizentes com o grupo jovem, mesmo que muitas vezes focando um pouquinho demais em Mark e Clarisse e não mostrando mais da nova experiência cultural da garota. O modo como eles interagem, os constrangimentos e silêncio, tudo deixou bastante "real" e possível de visualizar.
Por se tratar unicamente da visão de Clarisse, a história fica um pouco imparcial, pois não temos acesso aos sentimentos e pensamentos dos demais personagens, inclusive do restante da banda que está sempre presente. A construção da trama é boa, mas ainda precisa amadurecimento pois existem muitos momentos de "reflexão" da protagonista que parecem ser lições de vida que poderiam ser aperfeiçoados quando mesclados com as situações e não dando uma pausa entre a cena e a lição.
A história é repleta de música, paixões, triângulos amorosos e ex-namoradas possessivas. Perfeito para o público-alvo e com direito a muito brigadeiro!
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa combina com a trama.

"Tive a sensação de que eu podia ver o que todos faziam na cidade; sentia-me protegida ali, perto do sol, mesmo não podendo vê-lo, e me deu uma saudade do Brasil, do calor, dos meus amigos e da família. Mas era como se eles estivessem comigo - sabe quando a presença de alguém ausente preenche o seu interior?" (p. 35)

Deixe um comentário

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.