Sinopse - "Will Henry é assistente de um médico com uma especialidade incomum: a monstrologia, isto é, o estudo dos monstros. Ao receber em casa o cadáver de uma menina atrelado a um desses seres que se acreditava extinto, Will e o médico sairão à caça de outros antropófagos antes que seja tarde demais. O Monstrologista é o primeiro de uma eletrizante trilogia para aqueles com estômago forte!"







Minha opinião -  "O Monstrologista" é o primeiro livro da trilogia e traz as aventuras do Doutor Pellinore Warthrop e seu jovem assistente William James Henry.
O prólogo do livro é de junho de 2007, quando encontram os diários de um falecido paciente de uma instalação médica. Esse paciente seria o William, que até então teria 131 anos de idade, já que nasceu em 1876.
Após o prólogo, o livro é uma transcrição desses diários e é dividido em três fólios.
William é um jovem órfão, seus pais faleceram e ele vai parar aos cuidados do Dr. Warthrop, que era o patrão de seus pais. A interação entre os dois protagonistas, William e Warthrop é um pouco distante, e existe uma ausência quase total de demonstrações de afeto entre os dois. O bom Dr. não sabe como lidar com o garoto e esquece de suas necessidades pessoais, expondo o jovem a situações horripilantes e apresentando à William diversas provas de que os monstros realmente existem e não são frutos da imaginação humana. 
A história ocorre em 1888 em Nova Jerusalém, que fica na Nova Inglaterra (EUA). O primeiro livro foca em um espécie de monstro, os Anthropophagi, uma espécie que devora seres humanos.
Acontece que um violador de túmulos chamado Erasmus Gray traz algo horrendo ara o casarão na Harrington Lane, onde mora os dois. O que Erasmus apresenta é uma evidência de que esse mal chegou à cidade e que tudo o que se sabia sobre essa espécie pode estar equivocado.
E a partir desse instante, diversas descobertas são realizadas na expectativa de se conduzir uma caçada com o menor número de vítimas possíveis.
Um livro com um ar sombrio e uma história mirabolante muito bem desenvolvida. A escrita de Rick Yancey é viciante e a trama prende o leitor do início ao fim. Existem descrições detalhadas, cenários macabros e um final de tirar o fôlego. É o tipo de livro que consegue fazer com que o leitor prenda a respiração, grite em busca de socorro e ainda queira participar da caçada. 
Um livro que fala sobre criaturas sobrenaturais, mas que também fala de comportamento humano e da verdadeira existência dos monstros. Será que os Anthropophagi são os monstros dessa história?
Personagens estranhos, cheios peculiaridades que acrescentam a esse enredo elementos que deixam tudo ainda melhor.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um trabalho espetacular. Existem vários desenhos da anatomia humana na parte interna do livro e outros detalhes que enriqueceram o livro. A capa é linda, sombria e combina perfeitamente com a história.

"Uma coisa era certa: eu era tudo o que ele tinha. Sempre me perguntei se um dia já ocorrera àquele homem, cuja capacidade de concentração me inspirava ainda mais respeito, que o contrário também era verdadeiro: ele era tudo o que eu tinha". (p. 29)

3 Comentários

  1. Oi!
    Amei esse livro, gosto de livros de terror e suspense, mesmo achando que esse não seja muito aterrorizante, mas é do estilo que eu gosto. Estou com vontade de lê-lo só para ver como é esse monstro e o resultado da caçada.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Não gosto muito de livros dessa temática, meu foco é no romance.
    Mesmo a sua resenha sendo maravilhosa, não me interessei,
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não me interessei muito por esse livro , achei tudo muito complicado e estranho :(
    http://blog-princesadosenhor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.