Sinopse - "Ano 2018. À passagem de um planeta próximo da órbita da Terra, o que era para ser um dia de festa... Pessoas do mundo inteiro prepararam-se para um espetáculo astronômico mas o evento se transforma num pesadelo. Um dia após à maior aproximação do planeta, um imenso calor sobrevêm e 2/3 de todas as pessoas do mundo transformam-se em zumbis. Em São José dos Campos, um grupo cria um centro de refugiados para milhares de pessoas... eles reuniram condições de sobrevivência com água, alimentos e criaram uma grande fortaleza. Agora dedicam-se a encontrar outros focos de resistência e ajudar peregrinos do grande apocalipse. Eles não sabem, mas essa pode ser a maior comunidade de vivos na face da terra. No entanto, próximo a eles, uma outra resistência - perversa e potente -, também cresce. Um grande Comando do Exército é tomado por criminosos do presidio de segurança máxima de Taubaté. Eles resistiram aos zumbis, escravizaram outros humanos e, fortemente armados, se tornam uma ameaça letal à comunidade vizinha. Uma batalha está para acontecer. Um cerco para salvar vidas. E em meio a isso, inúmeras histórias de pessoas vivendo em situações-limite, muito além da sua imaginação."



Minha opinião - "A Batalha dos Mortos" é o segundo livro da série As Crônicas dos Mortos. Composto por introdução + 09 capítulos, a história tem como foco central (além dos zumbis, é claro), a história de Isabel.
Para aqueles que leram o primeiro livro, perceberam que um grupo de presos haviam escapado. Acontece que duas facções, uma delas, liderada pelo psicótico Emmanuel, e outra pelo Canino dividem um complexo, onde Emmanuel e sua trupe são os líderes, e seu reinado é de puro terror. Eles capturam pessoas que estão tentando sobreviver para trabalharem como escravos e as mulheres são constantemente violentadas. Entre essas mulheres, está Isabel, que tem algumas peculiaridades muito interessante.
Isabel é uma personagem forte, mesmo que ela mesma não perceba isso. Desde o seu nascimento, a sua vida foi uma constante batalha e apesar de todo sofrimento ela não desiste. Então ela decide escapar do complexo e acaba encontrando o grupo de Ivan e Estela, lá do condomínio Colinas. 
Esses dois, que tem como objetivo salvar o máximo de vidas possíveis estão tendo alguns desentendimentos sobre como liderar o grande grupo formado. Aqui o autor faz uma reflexão sobre os tipos de liderança e o leitor fica apreensivo, torcendo para que Ivan mantenha-se honrado e bom e não se torne um tirano.
Outros personagens serão inseridos na trama. Eles irão demonstrar que ainda existe esperança ao mesmo tempo que descobertas científicas realizadas pelo Dr. Oscar indicam que existem diferentes tipos de zumbis, o que pode mudar de maneira definitiva a abordagem pela sobrevivência.
Uma história de zumbis, mas que fala de esperança, recomeços, amor, família, lealdade. Personagens fortes, impactantes que representam as diversas facetas do comportamento humano.
Existem alguns errinhos de digitação, como na página 150 (quote abaixo), mas nada que interferisse na leitura.

"Entreolharam-se por alguns instantes e depois de beijaram. Sorriram, ambos saboreando aquela cumplicidade que era tão lendária quanto as proezas realizadas pouco menos de um ano antes." (p. 150) 

Para os leitores que ainda não leram as resenhas dos livros anteriores:

* Elevador 16 - clique aqui

* O Vale dos Mortos - clique aqui

12 Comentários

  1. Oi Carol =)
    Eu não sou muito fã deste tipo de livro, na verdade nunca li hahahah mas as sinopses nunca m deixam com aquela vontade de lçer e conhecer a história sabe?
    Vou tentar um dia!
    Adorei sua resenha!
    Bjos!

    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É normal, nem sempre os livros nos despertam a atenção. Mas essa série está sendo ótima rs
      Bjkas

      Excluir
  2. Não costumo gostar desses tipos de livros, a história desse me deixou até curioso, mas não vou adicioná-lo a lista dos mais desejados, rs.
    É isso. Adorei a resenha.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruno, quem sabe mais para frente você não adiciona essa série?
      Bjkas

      Excluir
  3. Indo ler as outras resenhas não é??? Como posso não conhecer esses nacionais tudo de bom??? Olhaaaa a capa... parece poster de filme. Gostei!

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jhey, as capas dessa série são magníficas. Assustadoras e ao mesmo tempo prendem a atenção.
      Bjkas

      Excluir
  4. Carol!
    Na verdade na verdade não li ainda nenhum dos livros da série, entretanto gosto demais de ficção futurista, tenho certeza que apreciarei a leitura.
    Já anotei aqui como desejado.
    Final de semana cheio de luz e paz!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, tudo bem?
      Espero que quando realizar a leitura venha nos contar o que achou ;)
      Bjkas

      Excluir
  5. Esse autor fez mágica, não sei de nenhum livro brasileiro que trate do mesmo gênero a não ser os livros do Rodrigo.
    Esse cara foi muito inteligente ao escrever um livro baseado em um apocalipse zumbie no Brasil.
    Virei fã dele hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você Lissandro. Há um diferencial na obra dele e acredito que quando ele descreve as localizações e o leitor se sente familiarizado com elas acaba se sentindo mais conectado com a história.
      Bjkas

      Excluir
  6. Já ouvi falar bastante desse livro. Me disseram que a história de zumbis mais original que já leram. Pela forma como ocorre a contaminação, que foi uma ideia que nunca tiveram antes; porque a história se passa no Brasil, e vemos poucas obras sobre o assunto aqui em nossa terra. E pelo ritmo da leitura também, pela forma como algumas ações acontecem. Se não me engano esse livro até já está na minha estante do Skoob entre os livros que pretendo ler. Não lembro se é esse ou se só o primeiro volume por enquanto.

    Laplace Cavalcanti
    Autor de Mestre de Marionetes
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Laplace!!!
      A história é diferente sim exatamente pelos motivos que você comentou e acho que vale muito a pena ler. Primeiro, por ser uma obra que é bem delineada e com personagens marcantes, mas também para muitos leitores perceberem que o CEP do autor não interfere na qualidade da obra rs
      Bjkas

      Excluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.