A vida aos dezoito anos está muito diferente do que Anna Hills havia sonhado. Sozinha em uma cidade estranha, reprovada no vestibular e demitida do emprego, ela enfrenta a difícil batalha para superar o desânimo e ir em busca de um lugar no mundo que possa chamar de seu. Determinada a deixar os fracassos para trás, Anna descobre nos classificados a vaga para baby sitter de uma garotinha que vive com o tio. No entanto, ela não imagina que aquele pequeno anúncio de jornal se tornará o passaporte para as maiores emoções da sua vida, colocando-a face a face com mudanças, escolhas e com John, o rapaz que amava em segredo desde a infância, em um encontro que os levará a desvendar o verdadeiro sentido do amor, da vida e da importância de fazer cada instante vivido valer a pena. Em uma tortuosa e apaixonante jornada, Anna descobrirá a força de uma grande amizade, a dificuldade de se conquistar o coração de uma criança e, acima de tudo, o poder transformador do amor, naquele que será o melhor e o pior outono da sua vida.


Renascer do Outono fala sobre perda, superação, amor, escolhas, amizade e diversos sentimentos que vivenciamos no nosso dia a dia.

Anna é uma jovem que perdeu sua mãe muito antes do que esperava; se é que alguém sequer imagina algo assim. Então traçou para si um plano de vida que era sair de casa assim que pudesse para que não mais desse trabalho ou despesa financeira ao seu pai, que além de carregar o peso da mesma perda, também se viu em meio a três filhos e um universo onde teria de ser pai e mãe! 
Com isso Anna, aos dezoito anos muda-se para uma cidade distante de sua cidade natal, confiante que iria passar para a faculdade de medicina veterinária, porém as coisas não saem como planejado e Anna se vê solitária, sem alcançar seu objetivo de estudo, e tão logo sem um emprego, pois foi pega aos beijos com Rob, seu companheiro de trabalho. Isso foi um acaso, já que Anna, desde sempre sente uma paixão por John, que hoje cursa medicina em algum lugar longe de Anna e eles jamais tiveram qualquer envolvimento.
Anna está sofrendo ainda a perda de sua amada mãe, mesmo que tenha passado algum tempo, elas eram ligada uma a outra.. E, além disso, ela está se descobrindo.
Por mais que as coisas em sua vida não estejam como ela gostaria que fosse, não vejo Anna como alguém fraca, ela busca oportunidades e acredita em algo melhor; tem esperanças; ela é bondosa, generosa, mesmo que um tanto ingênua demais em algumas situações, porém no geral gostei mais do que desgostei dela, pois vivemos em um mundo tão descrente, que mesmo as esperanças de um personagem fictício já me fazem acreditar que um pouco dessa magia possa transpor as páginas e afetar realmente aqueles que estão lendo!

Uma coisa que me incomodou um pouco foi a Anna ser por demasiado "apaixonada" por alguém que sequer ela teve algo, uma paixão platônica, ok! Quem nunca, não é mesmo? Porém acho que ela não é mais uma garotinha adolescente, sei lá, dezoito anos hoje em dia, as mulheres principalmente são mais maduras em seus sentimentos e acho que esse tipo de sentimento é mais para alguém de dezesseis! Mas essa é minha opinião! E Anna é retratada de uma forma muito pura, muito ingênua, muito doce, muito.. Perfeita demais, se é que assim vocês conseguem me entender?!
Toda a história é narrada em primeira pessoa, nem sempre é meu tipo favorito, pois o autor pode acertar, como pode acabar pecando, tornando o personagem um porre. Anna é um personagem que diversas vezes, me peguei pensando se eu realmente gostei dela, pois em alguns momentos ela foi repetitiva e chata. E no fim eu posso afirmar que fiquei em cima do muro com esse personagem!

Além de John, o personagem pelo qual Anna é apaixonada desde sempre que eu citei acima, em determinado ponto haverá também outro personagem, alguém que de certa forma irá mexer com Anna também e dividir seu coração por assim dizer. Mas para saber qual será a decisão de Anna, leia!

O que eu achei do livro?
Por diversas vezes, me peguei enjoada da leitura por sentir a falta de interação entre personagens. Muitos momentos Anna pensando, Anna narrando.. Isso cansa! Enjoa! E acaba de certa forma tirando a emoção dos fatos se eles tivessem sido "vividos" "curtidos" de outra maneira! 
O livro tem toda aquela fantasia romântica para pessoas sonhadoras e românticas que curtem livros do gênero. Ele é bem fantasioso, fugindo a realidade, pois em vários momentos os excessos de coincidências eram gritantes e isso me incomodou, pois esperava algo mais "real". Mas não perdeu o charme de qualquer forma, deu para "entrar na onda"!
Nunca li nada da autora antes, essa foi à primeira vez. Já ouvi falar.. Claro! Posso dizer que minha experiência foi comum, nem maravilhosa, nem ruim! Satisfatória! Espero ter a oportunidade de ler outros títulos da autora e poder ver o crescimento da mesma e até a forma como ela se expressa em situações diferentes, histórias diferentes.. Quem sabe eu não possa me encantar e ficar maravilhada?!

Não posso deixar de colocar que adorei os personagens Ricardo e John. Eles, mais do que Anna me ganharam e foi um prazer imenso conhecê-los!

A história de Samantha Holtz, apesar de seus altos e baixos é uma história boa e de fácil leitura, com várias questões sentimentais retratadas que irá encantar diversos leitores!

9 Comentários

  1. Infelizmente não gostei muito do que li na sua resenha. Pensava que a história fosse mais envolvente e apaixonante. Achei, pelo que você descreveu aqui, uma trama chata e sem graça. Não sei se vou ler. Vou pensar um pouco.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Não entendi, por que resenha nacional? sobre avisar ser nacional ou para avisar a quem ler a resenha, bom mesmo assim a capa é linda o que já da um pensamento positivo sobre a obra.
    "Mas para saber qual será a decisão de Anna, leia!" me senti em red shot '_' poxa vida kkkkkkkkkkk
    A obra realmente me interessou, li a resenha e gostei, espero poder ler!
    Beijos Karini, ThaynáQ.

    ResponderExcluir
  3. Karini!
    Fiquei me perguntando como uma personagem doce, pura e inocente é demitida do emprego por estar 'nas pegadas' com um colega de trabalho?
    Geralmente os livros românticos tendem mesmo um pouco para a fantasia, afinal, é assim que nos sentimos quando estamos apaixonadas, porém, tudo que extrapola, perde um pouco o tom.
    Ler para ver o que acontecerá.
    Domingo maravilhoso!!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Hum, a Ana te deu trabalho hein. Eu conheço a autora de O Pássaro (Que ainda não li mas tenho na estante haha) e sempre ouvi maravilhas sobre ela, não sei se leria Renascer de um outono no meu momento atual de leituras mas como não dispenso um nacional vou colocar como lembrete para ler mais resenhas dele depois.

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
  5. Apesar de nunca ter lido nada da Samanta, sou um grande fã seu, pelo espaço que ela vem conquistando com seu esforço. E sou louco pela nova capa do livro O Pássaro e quero muito lê-lo, assim como tenho curiosidade de ler Quero ser Beth Levitt. Mas essa obra dela, Renascer de Outuno, não sei se estará em minhas leituras.

    Não curto livros romanticamente românticos (assim como personagens perfeitos). Gosto de romance nas obras, mas não quando o romance é tratado como o ar que os protagonistas respiram e se tornam a espinha dorsal de toda a trama, que é a conclusão que tirei através da resenha e já tinha ideia pela capa.

    Autor de A Página Certa
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia ainda esse livro, mas gostei do que você apresentou na resenha... Sou exatamente o tipo de pessoa que gosta de ler esses tipos de livros, aquela romântica sonhadora, e que ás vezes ainda se pega desejando encontrar o "príncipe encantado"... Parece ser um romance bem leve e um tanto quanto fofo... Curiosa pra saber quem será esse terceiro que balançará o coração dela e com quem ela irá ficar, ainda que seja bem previsível... Vou procurar para ler...
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  7. Oi, Karini. Tudo bem?

    Você escreve pra outro blog também?
    Eu tenho vontade de ler os livros da Samanta Holtz, sempre vejo vários elogios para seus livros. Mas também gosto de ler resenhas como a sua que também aponta as coisas que não agradou durante a leitura. Eu prefiro livros em terceira pessoa que assim conseguimos acompanhar todos os personagens de um livro. Quando é em primeira pessoa e quem narra não nos agrada aí a leitura fica bem complicada. Irei ler ele e tirar minhas conclusões.

    Visite: http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. OI! Achei a proposta do livro até fofa. A capa é algo lindo de se ver. Gostei dessa independência da personagem, não senti ela como "uma adolescente que sempre que se perde chama por alguém", acho que ela sabe se vivar sozinha. Me parece ser um romance mais água com açúcar, nada uqe nos faça ansiar por mais.

    ResponderExcluir
  9. Nossa, que capa é essa me apaixonei.
    Não conhecia o livro, mais adorei saber um pouco mais sobre as obras da Samanta.
    Apesar de ter me decepcionado com alguns livros desse gênero, ainda sim chegou um livro que me ganhou so de eu olhar a capa. Tomara que eu não me decepcione.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.