SinopseAntes de o tempo como nós o conhecemos começar, deuses e deusas viveram na cidade de Asgard, que significa Local dos Deuses. Uma era de mágica, quando seres míticos podiam usar seus poderes e definir os caminhos do futuro, e proteger o mundo. Entre as cruzadas de Odin para encontrar a sabedoria necessária para salvar o mundo, os feitos incríveis de Thor e seu martelo e as travessuras de Loki, o agente do bem e do mal, Padraic Colum reconta as sagas nórdicas revelando o tempo em que a magia, os poderes e as maravilhas fantásticas corriam pelo universo. Em Os filhos de Odin, descubra a origem das histórias de Odin, Thor e Loki, onde Asgard foi construída e o que estava escondido durante o Ragnarök, o Crepúsculo dos Deuses. As histórias que encantam a todos nós nos cinemas possuem um enredo ainda mais fascinante do que você imagina! Leia as maiores aventuras dos deuses nórdicos! A origem daqueles que ainda hoje nos surpreendem com sua força e seu poder! 


"Os filhos de Odin" de Padraic Colum é um livro dividido em quatro partes e narrado em terceira pessoa. O leitor é levado à Asgard, onde irá conhecer seus habitantes e termina a longa jornada na era conhecida como Crepúsculo dos Deuses.
Na primeira parte somos apresentados a diversos personagens, como Lef, Iduna, a responsável pela macieira que concede longevidade e os personagens mais populares, como Odin, Thor e Loki.
Entendemos que existe uma guerra entre os Gigantes e os Deuses; a ambiguidade do comportamento de Loki, o agente do bem e do mão e conhecemos a história da criação do martelo de Thor. 
São pequenas histórias contadas que encantam o leitor. Em cada uma delas um evento espetacular acontece e ficamos surpreendidos com os Aesir, Asynuir e Vanir da história.
Na segunda parte do livro temos o início da jornada de Odin propriamente dita. Odin se transforma em Vegtam, o Errante e viaja rumo à Midgard, o Mundo dos Homens, na tentativa de salvar Asgard. No caminho, ele passa por inúmeras aventuras, como entrar em Jotunheim, o reino dos gigantes, e ir até o Poço de Mimir a procura de respostas.
A terceira parte do livro apresenta os efeitos das ações de Loki e como isso irá impactar os reinos.
E é claro, a quarta parte irá trazer o desfecho e discutirá o crepúsculo dos deuses.
As histórias contadas não são lineares, porém a ordem escolhida permite ao leitor entender suas relações. Como todas as histórias de deuses, existe uma lição moral ou um aprendizado enraizado em cada uma delas. 
A narrativa é fluida e o ritmo é cativante. A maneira como foi construída permite que o leitor sinta-se confortável para ler o livro do início ao fim de uma única vez.
Para aqueles que não conhecem muito bem a história dos deuses da mitologia nórdica, sem dúvida, "Os filhos de Odin" é uma leitura super recomendada por seu conteúdo claro e explicativo.
O trabalho da editora também foi muito bem feito. Apesar de simples, a escolha da letra inicial de cada capítulo foi o suficiente para enriquecer a obra. 
A capa chama a atenção e tem alguns dos famosos elementos das histórias.



4 Comentários

  1. Oi Carol!
    O pouco da mitologia nórdica que eu conheço descobri com o filme Thor, então estou bem curiosa sobre esse livro desde que vi entre os lançamentos. Acho que vou gostar dessa divisão do filme, deve ficar bem organizado, sem contar que quero conhecer mais personagens, alguns desses eu nunca tinha ouvido falar...
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. É não faz bem o meu gênero. e embora a história pareça até ser legalzinha, nada ao ponto de me fazer querer ler este livro. Gostei de saber da ideia de várias histórias em um mesmo mundo, digamos assim. Mas essa de crespuscúlo dos deuses não me animou nadinha mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Carol!
    Apaixonada pelo mitologia nórdica e pelos personagens da Marvel, nem posso ficar sem ler esse livro que parece maravilhoso com tantos Deuses, disputas e guerras.
    Desde que vi o lançamento coloquei nos meus desejados.
    “Os homens não desejam aquilo que fazem, mas os objetivos que os levam a fazer aquilo que fazem.”(Platão)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Isso eu não vi, mas Chris Hemsworth sim, e eu não gostava tanto. Uma das grandes atrações de "Thor" é uma fita que foi recuar mais do que o esperado do padrão habitual de produções da Marvel, mas ser diferente não significa ser melhor. Isso não quer dizer que considera que "Thor" é um filme ruim, mas uma bonita descompensada e abaixo do resto das produções da Marvel. Honestamente, eu decidi ver porque eu sou um fã de filmes de Chris Hemsworth, mas no geral eu acho que o filme tem mostrado que as coisas poderia ser feito melhor, tanto em termos artísticos e natureza da palomitero grande passatempo.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.