Sinopse - "Em 1002, Emma da Normandia, uma nobre de apenas 15 anos, atravessa o Mar Estreito para se casar. O homem destinado a ser seu marido é o poderoso rei da Inglaterra, Æthelred II, muito mais velho que ela e já pai de vários filhos. A primeira vez que ela o vê é à porta da catedral, no dia da cerimônia. Assim, de uma hora para outra, Emma se torna parte de uma corte traiçoeira, presa a um marido temperamental e bruto, que não confia nela. Além disso, está cercada de enteados que se ressentem de sua presença e é obrigada a lidar com uma rival muito envolvente que cobiça tanto seu marido quanto sua coroa. Determinada a vencer seus adversários, Emma forja alianças com pessoas influentes na corte e conquista a afeição do povo inglês. Mas o despertar de seu amor por um homem que não é seu marido e a iminente ameaça de uma invasão viking colocam em perigo sua posição como rainha e sua própria vida. Baseado em acontecimentos reais registrados na Crônica Anglo-saxã, A rainha normanda conduz o leitor por um período histórico fascinante e esquecido, no qual fantasmas vigiam os salões do poder, a mão de Deus está presente em cada ação e a morte é uma ameaça sempre à espreita. Governando na época compreendida entre o rei Artur e a rainha Elisabeth I, a rainha Emma é uma heroína inesquecível cuja luta para encontrar seu lugar no mundo continua fascinante até hoje."

"A Rainha Normanda" é o primeiro livro da trilogia Emma da Normandia da autora Patricia Bracewell e irá apresentar uma protagonista forte que passa por inúmeras provações graças aos jogos políticos.
O prólogo se passa em novembro de 1001, na véspera da festa de Santa Hilda, nas proximidades de Oxfordshire, onde uma vidente confidencia que uma jovem irá mudar toda a hierarquia da coroa inglesa.
A história tem início na véspera de natal do ano de 1001 em Fécamp, na Normandia, onde conhecemos o cotidiano de Emma, uma jovem de 15 anos. Ela é um espírito livre, ama sua irmã Mathilde, cavalgar e o seu lar. Seu irmão é o duque Richard, um homem que aparentemente é ambicioso e inteligente.

"Nem Richard nem seu irmão Robert, o arcebispo, tinham conhecimento desse dom de Emma para os idiomas,como sua mãe o chamava. Gunnora aconselhara a filha a manter em segredo sua notável habilidade. Use-a para escutar, dissera, em vez de falar. Ficará surpresa com o que acabará descobrindo". (p.23)

Na mesma época em Rochester, Kent na Inglaterra, o rei está de luto, pois sua esposa faleceu no parto do seu 11º parto. Esse homem de 35 anos, cansado pelo tempo e pelo peso de sua coroa, é uma pessoa rude, que não demonstra afeição nem mesmo pelos filhos. É um homem assombrado pelo passado.

"Deu outro longo gole no recipiente de bordas de ouro, mas o doce hidromel que deveria ter feito correr fogo em suas veias não o aqueceu. Pelo contrário: um calafrio, gelado como um mausoléu, serpenteou por seus braços e desceu como um dedo glacial por sua espinha. Um peso o oprimia, uma apreensão sombria e implacável, e ele murmurou uma maldição contra o enviado que sabia estar se apoderando dele e do qual não podia fugir". (p. 29)

Seu casamento nunca foi oficial então, a esposa não era uma rainha. Não é necessário dizer que existe inúmeros interessados em oferecer a filha para a posição de rainha, inclusive Aelfhelm, conde da Nortumbria.
O duque Richard é esperto e oferece uma barganha estratégica para Aethelred, em troca da coroação de sua irmã como Rainha. Dessa forma, Emma é oferecida como esposa e se vê obrigada a deixar tudo o que conhece para trás, para se casar com um estranho.

"Você não é a primeira noiva, Emma, a ir para a cama de um rei estrangeiro, e é preciso que saiba muito bem o que se espera de você. Tenha em mente que está indo para o seu senhor não como uma mulher, mas como uma rainha. Da mesma forma, ele virá até você não como homem, mas como um rei. Ele não será um pai para você, nem um amante, nem mesmo amigo. Não conte com nada disso. Só espero o que qualquer um dos súditos dele pode esperar, ou seja, justiça e benignidade. Como rainha, porém, você deve exigir mais uma coisa: respeito. Nunca se esqueça disso nem por um momento, e nunca faça nada que possa colocar isso em risco". (p.67)

A recepção de Emma não é calorosa. O próprio Aethelred a trata como uma prostituta, como se fosse escolha dela o casamento.  Entre o péssimo relacionamento com o marido e antipatia de alguns de seus enteados, Emma vai começar a aprender os jogos de intrigas que a Corte reserva a ela.
Sua principal "adversária" é Elgiva, a filha do Conde de Nortumbria. Mimada, egocêntrica e sem escrúpulos, Elgiva quer a coroa a qualquer custo, não importando com quem tenha que dormir ou o que tenha que fazer.
A história conta os primeiros anos de Emma na Inglaterra e deixe-me dizer, não foram nada fáceis. São inúmeros personagens que ganham destaque nesse livro que dificulta comentar sobre todos eles.

"A noiva normanda de AEthelred não será uma simples consorte, e sim coroada como sua rainha. Terá riqueza e posição muito superiores às da primeira mulher dele. Estará ao lado do rei com privilégios que ele não poderá revogar com facilidade, por mais que seja provocado". (p.56)

Quanto à construção dos personagens, Patricia Bracewell realizou um trabalho espetacular. Os personagens e alguns eventos são baseados em fatos reais, mas a construção das personalidades, a forma como a autora conseguiu colocar a dualidade em todos eles, comprova o seu dom de escrever. É muito complicado classificar os personagens em mocinhos e vilões. A maioria deles demonstra que em determinadas situações, são capazes de realizar atos impensáveis em nome do amor e da proteção, enquanto outros se tornam omissos a atos inescrupulosos. É o cenário perfeito para a reflexão do comportamento humano.
A editora realizou um trabalho espetacular em relação à revisão, diagramação e layout. Temos alguns elementos pré-textuais, como glossário, uma listagem da corte anglo-saxã do período de 1001 até 1005 e até mesmo um mapa. Tais ferramentas auxiliam o leitor a se localizar na história e também a compreender melhor os laços familiares das pessoas presentes na Corte.


Mapa presente no livro nas páginas iniciais.

Uma leitura imperdível sobre uma jovem que não teve escolha sobre o seu destino, mas que o enfrentou como uma rainha!

"... e a vida de uma moça, mesmo a de sua própria irmã, tem pouco peso em relação ao destino de um povo inteiro". (p.59)





7 Comentários

  1. Que lindo esse livro!! Quando vi o lançamento e li a sinopse achei super incrível a história... Mds! Ser rainha aos 15 anos? sei que isso era mais que comum neste período da história,mas ainda me deixa meio pasmo e ainda com um homem tãaao mais velho!
    Estou super interessado em começar esta leitura

    ResponderExcluir
  2. Fiquei curiosa ela casa no final...e ser feliz rs, agora preciso ler.
    A sinopse do livro ja havia me chamado a atenção, e assim como sua resenha eu fiquei com vontade de ler, mas tem tanto livro nos meus desejados que alguns vão ficando pra depois.
    beijos.

    ResponderExcluir
  3. Essa capa chama muito a minha atenção e menina quem me dera ser rainha aos quinze sério ksksksks
    Apesar de que o que eu queria ser mesmo era princesa, mas sabe, eu acho que poderia me contentar em ser apenas rainha. :-D

    ResponderExcluir
  4. Oi Carol!
    Só ouço comentários positivos sobre esse livro e a cada dia estou mais curiosa sobre ele. Ultimamente tenho lido e gostado de vários romances históricos e acho que esse será ainda melhor por ter como base acontecimentos reais. Essa capa é mesmo linda e fico feliz por saber que a diagramação também é ótima!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Carol!
    Romance históricos são maravilhosos ainda mais como pano de fundo a Normandia, que nem é tão comum de se ver por aí...
    Adoro poder ler uma cultura totalmente diferenciada da nossa e a época com tantos preceitos culturais e sociais diferentes do nosso.
    “Os homens não desejam aquilo que fazem, mas os objetivos que os levam a fazer aquilo que fazem.”(Platão)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Li e adorei. Quais são os seguintes? Já estão disponíveis no Brasil?

    ResponderExcluir
  7. Existe previsão para o lançamento dos seguintes?

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.