SinopseBeto Rockfeller, que possui uma leve versão da síndrome da mão alheia, sonha em fazer sucesso com sua banda de rock. Após ser preso injustamente em um protesto na Avenida Paulista, é liberado e orientado a deixar São Paulo. Ele e sua desconhecida banda — cujos integrantes são: Yakult, Gringo e Santiago dos Santos — decidem se mudar para a mística São Thomé das Letras, a Machu Picchu brasileira. É exatamente nessa aconchegante cidadezinha mineira que começa uma trama estonteante e dinâmica — repleta de aventuras, romances, crimes e mistérios. 

Rockfeller se envolve com Anita Andrade, a namorada de um dos seus amigos. Esse triângulo amoroso é surpreendido com a súbita aparição de uma terrível enfermidade. Ele, desconcertado, se vê diante de uma difícil decisão, que mexe brutalmente com seus princípios morais e o pior, Rock pagará caro por sua indigesta decisão, seja ela qual for. Além disso, é obrigado a conviver com seus fantasmas, desilusões e psicoses e ainda tem de se acostumar com um enigmático corvo que o persegue. 
No entanto, após muito tempo, Rockfeller consegue uma segunda chance de ser feliz no Rio de Janeiro, as suas desventuras e psicoses ressurgem, e isso pode levá-lo a uma irreparável situação em que nem tudo que se vê pode ser real...

O prólogo é narrado em primeira pessoa e explica o motivo da existência do livro "Rockfeller", datado em 20/08/2011.

O livro começa no final dos anos 80, contando a vida de Beto Rockfeller. Ele sonha em fazer sucesso com sua banda de rock, mas acaba tendo que sair de São Paulo depois de ser preso em um protesto. Beto, junto com sua banda (sim, os amigos o acompanham!) vão para 
São Thomé das Letras.

Rockfeller é um personagem complexo, cheio de manias e ainda por cima sofre da síndrome da mão alheia. 

A narrativa envolve a sua história pessoal, emocional e até mesmo suas reflexões. 

Existe um certo esoterismo na história, pois surge um corvo, que deixa o leitor na dúvida entre a realidade e a imaginação. O corvo sussurra para Rockfeller "Nevermore". 

Um detalhe muito interessante na obra, foi o fato do autor ter se inserido na obra como um personagem! 

"Rockfeller" é um drama psicológico. É uma obra complexa que aborda a condição humana e as decisões que realizamos ao longo da vida. Fala de superar seus erros e sobre segundas chances.

Em relação à revisão, diagramação e layout foi realizado um ótimo trabalho. A capa se destaca e chama a atenção. 

6 Comentários

  1. Olá
    gostei bastante das propostas que o livro tem pra dar, rsrs, gostei de sabe que vai se passar aqui mesmo achei fantástica a capa, ainda ão conhecia a editora
    Bjks

    ResponderExcluir
  2. quando eu vi a capa pela primeira vez pensei que fosse um livro de terror e nunca teria imaginado que é nacional, adoreia resenha e quero ler!
    Pelo jeito o autor é fã de Edgar Alan Poe esse "nevermore" é tirado do poema dele intitulado "O Corvo".

    ResponderExcluir
  3. O ebook dele tava de graça um dia desses na Amazon :) Não vejo a hora de ler.

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
  4. Como é um drama psicologico não sei se eu leria não, mas concordo com voce sobre a capa,achei muito legal

    ResponderExcluir
  5. Achei que seria tipo uma biografia e que bom que não é...
    Adoro os dramas psicológicos e se inseridos ao sobrenatural, melhor.
    “Dos amores humanos, o menos egoísta, o mais puro e desinteressado é o amor da amizade.”(Cícero)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  6. Não sabia que São Thomé das Letras é a a Machu Picchu brasileira. Deu vontade de visitar para ver como é lá...
    A principio o livro me chamou a atenção, nunca li nenhum drama psicológico, pelo menos eu acho ne. Montar uma banda e fazer sucesso, sonho de mta gente, inclusive eu, hehe...
    Fiquei curiosa para ler o livro e saber qual o personagem o autor é. Bacana isso.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.