Editora:V&R
Ano:2015
Páginas:230

*Livro da minha estante pessoal - não é parceria

Sinopse:Uma garota acorda nos trilhos do metrô de Los Angeles sem lembrar quem é. Há uma mochila a seus pés contendo uma troca de roupas, mil dólares em espécie, um número de telefone e a instrução “Não ligue para a polícia”. Perguntas rodopiam em sua cabeça: Quem é ela? Como chegou ali? O que ela fez? O que significa a tatuagem de um pássaro e o código FNV02198 em seu pulso? Ela mal tem tempo para descobrir sua identidade, e logo percebe que está sendo caçada. Precisa fugir desesperadamente. Não sabe quem são eles, não sabe em quem confiar. Só há uma coisa que sabe com certeza: estão tentando matá-la. Primeiro livro do dueto Blackbird.



Ganhei esse livro de presente do meu avô e quando chegou fiquei encantada pelas laterais dele serem rosa. Com uma capa e sinopse bem chamativas, eu não poderia jamais deixar de conferir!

Olha que lindo o livro:



Bom vamos falar sobre o que eu achei..

"O que aconteceu? Como você veio parar aqui? - pergunta um dos paramédicos, conforme eles te puxam na direção da plataforma. Você olha para suas roupas, encarando um corpo que te parece completamente desconhecido. A frente da camiseta está molhada de sangue. Você está vestindo jeans e sapatos novos. Os cadarços são de um branco forte e vibrante. 
- Não sei - você diz, incapaz de saber onde está ou que dia é, incapaz de se lembrar de qualquer detalhe de sua vida. Existe apenas esse momento, nada mais."

A história tem início com uma jovem acordando nos trilhos de um metrô de Los Angeles completamente desmemoriada e com uma marca em seu pulso direito, é a silhueta de um pássaro dentro de uma caixa com letras e números que ela desconhece (FNV02198). A única coisa que essa jovem possui que pode guiá-la é uma mochila com uns poucos pertences dentre eles: uma camiseta extra, embalagens de alumínio com água e comida, um canivete vermelho e um monte de outras coisas, dentre elas um bloco de anotações preto - há uma moeda fixada com fita adesiva na primeira página. Abaixo, está escrito: "Não chame a polícia. Quando estiver sozinha, ligue" (e um número de telefone). 

"O que significa isso? Por que estava deitada nos trilhos do metrô? Por que não consegue se lembrar de como foi parar lá, como chegou à estação, à cidade? Você olha para suas roupas com a sensação de que está usando uma fantasia. Os jeans não servem, a camiseta está larga nos lugares errados, os cadarços não estão apertados o bastante. Você não consegue se livrar da sensação repugnante de que não vestiu a si mesma."

Claro que ela liga para o telefone indicado que indica um lugar onde ela deve ir, e obviamente ela anseia por respostas sobre quem é, seu passado e o que significa tudo isso. Mas as coisas vão se complicar ainda mais, pois ela percebe que está sendo caçada; só não consegue entender o motivo. Em dado momento entre a ligação que fez para o número em sua mochila e a ida até o local indicado, ela (Sunny) como passa a se chamar, depara-se com um rapaz chamado Ben, que lhe dá carona até o local e lhe dá seu número caso ela precise de algum tipo de ajuda. Na hora ela não dá importância, apenas guarda o papel fiscal onde o número foi anotado e segue seu rumo. 

"Coisas que sei que são verdadeiras:
- Estou em Los Angeles
- Acordei nos trilhos do metrô da estação Vermont/Sunset
- Sou uma garota 
- Tenho cabelos pretos e longos
- Tenho uma tatuagem de pássaro no pulso direito (FNV02198)
- Sou boa de corrida"

Nesse local onde foi encaminhada houve um furto e todos pensam que foi ela. Sua foto está nos jornais e ela simplesmente não tem a quem recorrer. Fica um tempo se esgueirando de lá para cá e percebe que está sendo seguida; em dado momento depara-se com uma mulher que nunca viu na vida e que tenta matá-la, mas há um outro homem que a estava seguindo e dá um tiro na mulher.. claro que "Sunny" foge sem entender cada vez nada do que está acontecendo ao seu redor. Ela percebe que sabe se defender e que tem habilidade em se esgueirar como ninguém. O que será que Sunny fez para estar sendo caçada?

"... passando por uma parede de vidro jateado em que se lê Consultoria Garner em letras metálicas. Gira a maçaneta e o alarme dispara. Cobre os ouvidos e olha em volta. Tem dinheiro espalhado pelo tapete. Há um cofre no canto, com a porta semiaberta, a tranca arranhada e quebrada. A cadeira está virada de lado. As gavetas foram esvaziadas no chão. Há papéis e pastas por todo lado. Você lembra a si mesma de que não pegou nada, nem mesmo tocou no cofre ou no dinheiro. Está aqui porque pediram. Ainda assim, só consegue pensa na câmera de segurança do térreo, no canivete no bolso, em como invadiu a sala com facilidade." 

Sunny acaba buscando ajuda de Ben, em quem parece poder confiar, mesmo com medo de envolvê-lo em tudo que está lhe acontecendo ela precisa simplesmente poder confiar em alguém e contar com alguma ajuda, já que está completamente só e correndo perigo iminente!

A história é narrada em segunda pessoa - não sei se curti essa escolha. Prefiro o ponto de vista direto do personagem em primeira pessoa ou em terceira pessoa. Mas a história é tão intrigante e curiosa que isso acaba tornando-se um detalhe.

Uma coisa importante em Blackbird - as aparências enganam ou decisões mal pensadas podem acabar em morte e mais perseguição! Nossa protagonista, tem um reencontro com o passado e descobertas reveladoras que irão pouco a pouco conduzindo-a a uma rede obscura de caça humana. Qual o propósito e motivações? Como ela se envolveu nisso? Como sair dessa? Onde está sua família?

Essas e outras perguntas serão respondidas pouco a pouco e o final é uma ponte para mais coisas que iremos descobrir na continuação dessa história intrigante e eletrizante!

6 Comentários

  1. Acho q nunca li um livro escrito em segunda pessoa ,deve ser interessante .
    Quanto ao livro em si ,eu adorei ,a sinopse já me deixou de queijo caído e super curiosa . A capa é muito linda ,não conhecia o livro ,mas adorei sua resenha e adoraria ler .

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia a série e fiquei muito curiosa! A capa e a sinopse realmente são bem chamativas. Gosto muito de livros de suspense, que tenham vários mistérios e muitos perigos!

    ResponderExcluir
  3. a gente já percebe que a pessoa curtiu mesmo a leitura quando a resenha é um pouco mais comprida,rs
    gostei bastante da resenha e com essa sinopse e edição toda caprichada acho impossivel resistir.fora esse mistério todo que torna a leitura mais envolvente.

    ResponderExcluir
  4. Amei a resenha e a capa parece ser linda, vou me apaixonar por ela quando a tiver nas minhas mãos. Pelo que pude perceber esse um livro que eu vou gostar e estou curiosa para saber o que aconteceu para ela acorda sem lembranças em trilhos
    http://viajandopelapaginas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Estou interessado em Blackbird desde que ele foi divulgado, antes mesmo de sair a sinopse, pois a Editora tinha dito que era um livro que agradaria os fãs de Maze Runner <333 Ainda não tive de lê-lo, mas estou com muita vontade! Lendo a sua resenha, pude perceber que o livro é bem intrigante, com um suspense incrível. Eu não sabia que o livro era narrado em segunda pessoa, o que me estranhou um pouco, mas aparenta ser bem interessante!

    ResponderExcluir
  6. Karini, realmente as laterais e todo o resto da edição de Blackbird é linda. Enfim, em relação a história, tudo foi muito interessante para mim. A protagonista sem memória, seu despertar nos trilhos de trem, as pistas deixadas e a sua caçada, tudo muito bom e pelo que li, muito bem escrito. Quero ler Blackbird!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.