SinopseSeattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho.
Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade.


Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve.
Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos,
Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.


Sarah Jio tem uma escrita sensível, possível de se comprovar tanto em "As violetas de março" quanto em seu novo livro.

Em "Neve na Primavera", a autora conta a história de duas mulheres em épocas diferentes. Conforme a sinopse explica, a primeira se passa em 1933, onde Vera Ray despede-se de seu filho pequeno para trabalhar no turno da noite e ao voltar o menino está desaparecido.

Daniel nunca largava seu ursinho Max e isso era a prova que ela precisava para saber que o garoto foi sequestrado. Desesperada, Vera realiza uma busca que leva toda uma vida.

Claire Aldridge é uma mulher que teve sua vida mudada um ano atrás.... Agora, a repórter foi designada a escrever uma matéria sobre a atípica nevasca que está ocorrendo durante a primavera de Seattle. Durante a pesquisa, ela descobre a história do desaparecimento de Daniel e decide resolver esse mistério que ultrapassa décadas.

As duas mulheres tem vários pontos em comum: são fortes, resilientes e entendem como ninguém a dor e a perda. Durante a leitura é possível perceber essa identificação que Claire tem com Vera.

A história em si é maravilhosa! Triste, mas apaixonante. Sarah Jio mais uma vez demonstrou seu talento e trouxe ao leitor uma obra inesquecível.



4 Comentários

  1. É uma história triste ,não sei se conseguiria ler sem chorar ,mas com certeza eu tentaria ,já fiqquei curiosa com a sua resenha e quero saber o que aconteceu com o menininho.

    ResponderExcluir
  2. adorei a resenha e to muito curiosa pra ler,como eu nao conhecia a autora até agora, esse vai ser meu primeiro contato com sua escrita, sempre gostei de livros com mistério e suspense, vou ler e espero gostar.

    ResponderExcluir
  3. Achei bem curioso o título do livro, envolvendo duas estações e, também, gostaria de destacar a simplicidade da capa, mas um resultado bem bonito. A estória envolta de Neve na Primavera me encantou, primeiramente, pela profissão de Claire, jornalista. Em seguida, o curioso fato do garoto perdido desde o acontecido intrigou-me. Enfim, apesar de não ser um suspense policial, os mistérios relacionado a este livro são convenientes e bem-vindos.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o fato de que o livro é dividido em duas partes, principalmente destacando as características que ambas as personagens possui. Além disso, eu adorei saber a época que a história se passa, porque é uma época completamente diferente da que vivemos hoje. Apesar de não ser um livro que tenho o costume de ler, eu me vi completamente atraído!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.