SinopseAlasca, 1920: um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando cada vez mais um do outro. Em um dos raros momentos juntos, durante a primeira nevasca da temporada, eles constroem uma criança feita de neve. Na manhã seguinte, a criança de neve some. Dias depois, eles avistam uma criança loira correndo por entre as árvores. Uma menina que parece não ser de verdade, acompanhada de uma raposa vermelha e que, de alguma formam consegue sobreviver sozinha no frio e rigoroso inverno do Alasca. Enquanto Jack e Mabel se esforçam para entender esta criança que parece saída das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se fosse sua própria filha. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam, e o que eles aprenderão sobre essa misteriosa menina irá transformar a vida de todos.


A perda de um filho é avassalador e muitas vezes, o casal não consegue permanecer junto após a perda. Jack e Mabel passam por essa terrível situação e decidem mudar-se para o Alasca.

Porém a mudança não facilita a proximidade dos dois. A cada dia que passa, um abismo vai se formando entre eles, que estão imersos em suas dores, seu próprio luto e receios. Um dia, os dois tem um lindo momento, onde brincam na neve e constroem uma menina de neve. 


“Ela não se lembrava da última vez que ele tocara sua pele, e aquele pensamento doía como solidão em seu peito. Então ela viu alguns fios prateados em sua barba avermelhada. Quando eles apareceram? Ele também estava ficando grisalho? Os dois desaparecendo sem que nenhum notasse o outro.” (p.13)

Inesperadamente a boneca some e alguns dias depois o casal começa a avistar uma menina de carne e osso perambulando próximo à casa.


“A menina conhecia a floresta e seus atalhos. Ela encontrava comida e abrigo. Não era só disso que uma criança precisava? Mabel diria que não. Diria que a menina precisava de calor e afeto e de alguém para cuidar dela, mas Jack ficou imaginando se isso tinha ou não mais a ver com os desejos da mulher do que com as necessidades da criança.”  (p. 105)


A trama tem um ar de conto de fadas, mas também é um testemunho sensível e emocionante sobre o luto e o amor. É difícil mensurar a dor de um casal que perde alguém tão valioso, mas é bonito de se testemunhar a forma como suas feridas vão se curando.


Eowyn Ivey acertou em cheio ao criar uma história repleta de sensibilidade ao trabalhar um assunto tão forte. A forma como mesclou o lirismo de uma fábula com os sentimentos do casal deixou a obra simplesmente maravilhosa.

A Editora realizou um ótimo trabalho de revisão, diagramação e layout.


8 Comentários

  1. Eu me encantei assim que vi A Menina da Neve nas vitrines de livrarias e da Novo Conceito. Não pude deixar de me apaixonar pela história, então vim conferir a resenha. As minhas expectativas foram todas correspondidas, gostei bastante do cenário invernal do Alasca, dos mistérios e segredos que rondam a garota e dos personagens que fazem o casal. A escrita desta autora parece mesmo incrível.

    ResponderExcluir
  2. Desde quando vi o livro já quis ler, até porque a capa do livro é muito linda! Sei que vou amar e me emocionar muito com esse livro, pois gosto muito de livros que retratem esse tipo de amor e também de livros com mistérios. Com certeza vou ler.

    ResponderExcluir
  3. nao sei,esse livro me passou a mensagem tipo assim:"se vc quer muito um coisa,pode se tornar realidade"....isso que o livro me passou...mas essa menina...sera a boneca #curiosidade kkkkk....loucaaaaa pra ler....beijocas...

    ResponderExcluir
  4. Não sei se leria esse livro, não que a historia seja ruim mas sabe aquela sensação de que você não saber o que pensar do livro mesmo alguns falando bem, este é o meu caso. Acho que daria uma chance ao livro mas ele não é prioridade de leitura.

    ResponderExcluir
  5. O livro chamou minha atenção desde o lançamento pela capa ,é muito linda .
    Sua resenha só reforçou a ideia que eu tinha do livro ,quero muito ler.

    ResponderExcluir
  6. Estou maravilhada com a história, me lembrou o filme A Estranha Vida de Timothy Green. Porém eu fiquei chateadíssima com a capa, achei uma cópia mal feita de A Menina que Roubava Livros :(
    Adoro o Alasca, isso é um ponto positivo para eu ler esse livro haha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Interessante ver um boneco se transformar em humano.
    Gostei da premissa sobre a dor da perda, sonhos e crenças pessoais.
    Logo vou ler.
    “A beleza é a única coisa preciosa na vida. É difícil encontrá-la - mas quem consegue descobre tudo.”(Charles Chaplin)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  8. Amo contos de fadas e esse ar de conto presente na história me deixa muito animada ^^
    Quero sentir essa carga sentimental com a leitura.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.