Cal Erickson é um secundarista da New Hampshire College. Ele não é um aluno exemplar e não tem muitos amigos. Roger, seu pai e reitor da universidade, quer que ele pare com a bebedeira e com ¿a história de ser gay¿. O rapaz até se esforça para se encaixar naquele ambiente, mais é muito difícil. Cansado de tentar controlar o filho, Roger exige que ele participe de um seleto grupo de estudos orientado pela professora Reyes. Junto com outros alunos, sua primeira tarefa é descer ao porão do alojamento Brookline ¿ Onde antigamente funcionava um manicômio ¿ para catalogar tudo o que for encontrado por lá. Com o passar do tempo, Cal percebe que há algo estranho e misterioso por trás de tudo aquilo.





"As coisas que queremos só são desejáveis porque não podemos tê-las. Para mim, desejo um legado que vá além de minha vidinha insignificante, talvez até a imortalidade. Quando eu conseguir isso - se, não quando -, com certeza deixará de ser o cerne da minha vontade. Gostaria de saber o que eu iria perseguir em seguida, apesar de temer a resposta. Será algo maior, claro, e que me consumirá ainda mais, naturalmente."
- Trecho do diário do diretor Crawford, primeiro semestre de 1953."


Scarlets é um conto que se passa no mundo de Asylum, nele iremos conhecer Cal que é filho do Reitor Roger da UNH; Cal não está em uma boa fase, podemos dizer assim. Seus pais são separados e ele vive com seu pai e frequenta a UNH, porém não tem uma boa relação com ele. 
Cal é gay, anda bebendo muito, seus amigos na UNH estão namorando o que acaba deixando ele meio "de fora" do trio. 

Cal é pego dormindo e de ressaca em uma aula e isso acaba colocando ele em apuros. E Roger coloca ele para ter aulas particulares com uma garota que não parece ser bem o estilo do Reitor, além de a professora Reyes colocar Cal em um grupo de estudos que vai levar ele direto para onde? Para o porão horripilante de Brookline afim de catalogar tudo que foi deixado para trás. A coisa boa do grupo de estudos é Devon, um garoto bem gatinho que atrai Call imediatamente, porém Call não é lá muito bem recebido por Devon e vive uma situação sinistra nos confins do Brooklines.

"O que estava acontecendo com ele? Cal não acreditava em fantasmas, assombrações nem nada do tipo. Mas ele tinha visto algo. E ouvido também. Não acreditar nisso era não acreditar em si mesmo."

A partir dai tudo muda, pois Call irá perceber que existem muitas coisas estranhas no Brooklines, como a proposta que seu pai, Roger faz, e o poder que Roger parece ter em torno dos "desejos" impensados de Cal, além da descoberta de uma sociedade chamada Scarlets. Coisas muito estranhas prometem mudar ainda mais a percepção que temos do Brookline.


Eu curti muito essa leitura, apesar de não ter favoritado. Achei que o enredo e personagens davam um livro com 300 páginas e não um conto curtinho (por isso não favoritei). Senti falta de mais explicações com relação aos Scarlets, ao que acontece no final - essa parte me deixou pensando e pensando e quem me conhece sabe o quanto sou agoniada com finais que não são redondos, pois minha imaginação viaja! 
Tenho a impressão que a autora possa vir a falar mais sobre o que aconteceu em Scarlets mais para frente (assim espero!). Scarlets me prendeu completamente e me deixou agoniada para saber mais! 

Curtindo demais essa série!


4 Comentários

  1. Oi!
    Sempre que vejo um conto fico com receio de ler pois por ter poucas paginas acaba que a historia corre o risco de não consegui falar tudo que esperamos e lendo a resenha parece uma historia bem misteriosa mas não foi uma historia que gostei !!

    ResponderExcluir
  2. Gostei de conhecer o conto, achei bem interessante, concordo com voce, acho que o conto daria um bom livro se o enredo fosse um pouco mais estendido.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Não gosto de terror, mas esse livro é bonito e interessante

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.