Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai - o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos -, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A Maldição do Vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita. Em um mundo dividido entre o desejo e a escolha, o dominador e o dominado, a razão e a emoção, de que lado você permanecerá?

Bom dia leitores, como vai?
Hoje venho falar do livro A Maldição do Vencedor - Trilogia do vencedor - livro 01. A história é simplesmente contagiante! Perfeita!

"Não é isso que as histórias fazem? Trasformam coisas reais em falsas e coisas falsas em reais?"

Um romance com ingredientes simples, porém escrito com uma maestria incrível pela autora Marie Rutkoski.

De um lado um povo vencido por uma guerra que os escravizou em sua própria terra os tornando meros serviçais sem direitos, sem escolhas.. Não interessa qual era seu posto, seu legado, sua posição na sociedade antes da guerra de Herran; todos os herranis tornaram-se escravos dos valorianos.

Kestrel é a filha do general e muito se espera dela. Seu pai a vê como uma futura guerreira que irá se alistar e seguir seus passos. A sociedade fofoca sobre tudo e espera que a filha do general tenha postura, seja exemplo e etc. E Kestrel é apenas uma jovem apaixonada pela música, que quando muito pequena contraiu uma doença, assim como sua mãe que acabou morrendo e a deixando com apenas seu pai. Apesar de forte, implacável, exigente, seu pai fez vista grossa diversas vezes para os caprichos e desejos de Kestrel, mas claro, muito é exigido da jovem que quer apenas ter mais opções além de se casar ou alistar-se para um exército. Tudo que ela queria era poder fazer suas próprias escolhas. Mas como seu próprio pai lhe lembra.. Ela não está acima das leis e terá que tomar sua decisão quando chegar a hora. Com uma grade pressão cotidiana; óbvio! 

Kestrel é apaixonada pela música acabou ganhando o direito de tocar barganhando com seu pai; para os valorianos, tocar música é algo que alguém deve fazer para eles e não o contrário. Mas Kestrel vê que a música é tanto dar como receber. Ela não é uma jovem como nenhuma outra de sua "comunidade". Mesmo assim ela tem dois amigos maravilhosos, Jess e Ronan; e uma ama que a criou como filha e muito amor (escrava Herrani). Em dado momento durante um passeio com sua amiga Jess ela acaba indo parar em um leilão e "adquiri" um escravo por uma quantia considerada exorbitante. Ela nem mesmo tem certeza do motivo que a levou a fazer isso. Não foi pelo leiloeiro ter mencionado que o rapaz era um ferreiro ou ter exaltado qualquer qualidade que talvez atraísse outras pessoas. Mas por ter dito que ele podia cantar. Isso a tocou e fez com que ela impulsivamente fosse dando lances até que o tornou seu. 

"- Parece que alguém está sofrendo da maldição do vencedor. 
Kestrel se voltou para ela.
- O que quer dizer?
- Você não frequenta leilões, não é? A maldição do vencedor é quando você vence as ofertas, mas só pagando um preço exorbitante."

O herrani adquirido no leilão foi Arin que se mostra um tanto empertigado demais ou observador demais. Porém mesmo negando para Kestrel que ele poderia cantar, a jovem vai ficando intrigada com o rapaz que além de fazer atividades de ferreiro acaba se tornando o acompanhante dela pela cidade e ficando bastante próximo da jovem a ponto de a princípio demonstrar muito ódio.. Depois confusão; até por fim ficar completamente dividido entre seu dever para com seu povo e uma paixão que arde sorrateira no peito de ambos. 

Eles vivem em mundos completamente distintos. Kestrel, apesar de não ser como os outros valorianos; apesar de não ser como seu pai.. O general que dizimou várias pessoas e tornou os sobreviventes escravos por um imperador ganancioso, ela é extremamente inteligente e uma estrategista nata, por isso a insistência do seu pai para que se aliste. Arin é igualmente inteligente e está disposto a qualquer coisa pelo seu povo, porém no  meio disso ambos se apaixonam e será possível escolher entre seu próprio povo e seu amor, o que fazer? Será uma escolha possível?


Gente! Para tudo! Essa história é de fato dolorosa, encantadora e nos deixa tão divididos quanto Kestrel e Arin ficaram. 
Eles sabem onde sua lealdade deveria estar.. Mas será que conseguirão resistir ao que estão sentindo um pelo outro?

Ele tem sede de vingança e desejo de liberdade para seu povo, enquanto ela quer ser livre igualmente, mas não consegue ver as atrocidades de uma nova guerra, não consegue se decidir onde sua lealdade deve estar. Não pode trair seu pai, seus amigos e seu povo. Assim como não consegue desejar mal e querer mal a Arin e aos herranis.

Que agonia ler essa história e ficar o tempo inteiro dividida. Não é uma dessas histórias em que um abre mão de tudo pelo outro.. Mas uma história de guerra, estratégias e personagens muito inteligentes e com objetivos que chocam com os desejos dos outros. Será possível conciliar tudo isso e viver um grande amor? 

Mesmo em meio a tanta mágoa, ódio, desejo de vingança, ganancia, poder.. O amor surpreende e mostra que ele pode virar seu mundo de cabeça para baixo e se instalar em seu coração sem autorização fazendo com que tudo aquilo pelo qual viveu ou lutou pode deixar de ser tão importante já que sua alma pertence a alguém que jamais sonhou! 


"- Não vê - Arin disse.
Ela fingiu não ouvi-lo. Observou o céu branco se dissolver na neve e se despedaçar sobre o mar plúmbeo. Sentiu as faíscas geladas na sua pele. A neve caiu sobre ela, caiu sobre ele, mas Kestrel sabia que nenhum floco nunca seria capaz de tocar os dois. 
Ela não olhou para trás quando ele voltou a falar. 
- Não vê, Kestrel, mesmo que o deus das mentiras ame você."




A capa é linda, a história cativante que me conquistou! Amei demais!


6 Comentários

  1. Oi.
    Eu amei a resenha, e concordo com você essa capa é linda, aboslutamente perfeita.
    Interessante o pai querer que a filha siga seus passos isso é um pouco incomum nos livros, gostei bastante.
    Boa Noite.

    ResponderExcluir
  2. Oi! O que me chamou atenção nesse livro na semana passada foi a capa, que é realmente maravilhosa. Eu ainda não tinha lido a sinopse ou resenha sobre ele, mas tinha imaginado que talvez fosse algum romance de época. Olha, realmente me surpreendi com a história, foi bem mais do que eu esperava. Só de ler a resenha eu já fiquei nervosa/ansiosa por eles! Parabéns Karini! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    A capa já chama a atenção, né?! Gosto bastante de romances de época. Esse parece ser diferente de tudo, claro que tem um amor proibido e tudo o mais, mas esse cenário me deixou muito curiosa, a divisão, estratégias... Como certeza a série já está na minha lista!

    ResponderExcluir
  4. Não gostei muito da capa ,mas adorei a história .
    O enredo parece tão simples na sinopse ,mas com sua resenha deu ora perceber que simplicidade não tem nada a ver com essa história ,amaria ler esse livro .

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Essa historia me surpreendeu, quando vi esse livro no lançamento fiquei bem interessada, mas não imaginava que fosse uma historia tão profunda e linda, apesar de todos os conflitos e duvidas que esse amor leva e estou curiosa para saber mais sobre esse lados que cada personagem está !!

    ResponderExcluir
  6. oi!
    Sinceramente eu não gostei muito da capa, imaginei que seria um livro de romance água com açucar entediante, embora eu ameeeeee romances de época!
    Mas por algum motivo que até agora não sei o que foi comecei a ler e quando me dei conta já estava na metade do livro, meu Deus! A historia é linda, com elementos simples mas ao mesmo tempo complexa e delicada... Essa historia de as mulheres se alistarem ou casarem realmente me surpreendeu e a atitude do pai dela também, pois normalmente só cabe as mulheres nesses romances casar para o "bem da família", mas nesse caso o bem seria a carreira militar!!
    Arin é incrível e Krestrel não fica atras... Super ansiosa pela contnuação!!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.