Um passado a ser esquecido. Um presente nada promissor. Um futuro a ser conquistado. A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui. Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é.
“Afinal, o que fica para um homem, além da sua honra… e da coragem de viver por ela?” - Julian Kulski.

Em 1º de setembro de 1939, a Alemanha invade a Polônia. É o início da Segunda Guerra Mundial. Em poucos dias, Varsóvia se rende aos alemães, soldados poloneses depõem suas armas, a cidade já é um amontoado de escombros. Julian Kulski é um menino polonês de apenas 10 anos de idade. Filho do vice-prefeito de Varsóvia, escoteiro ousado e entusiástico, ele tem a firme convicção de que deverá lutar contra o Invasor. A cor da coragem é o diário de Julian Kulski, a história de seu amadurecimento durante os cinco anos da brutal ocupação alemã. Diferentemente do diário de Anne Frank, narrado a partir da sua clausura no esconderijo de um prédio em Amsterdã, o de Julian Kulski se passa nas ruas de Varsóvia, no front, no combate cara a cara com o inimigo, no infame Gueto onde se encontram seres humanos famintos, desesperados e doentes à mercê de todo tipo de tortura, do enforcamento, do fuzilamento, da câmara de gás...
“Este diário, escrito com o coração e pela mão de um adolescente, nos proporciona uma visão única e comovente da Segunda Guerra Mundial”. - Lech Walesa, Prêmio Nobel da Paz


Sobre o autor - Julian E. Kulski, nascido em 1929, em Varsóvia, Polônia, é descendente de um rabino-chefe de Varsóvia no século XIX, Dov Beer Meisels, e de um rei da Polônia no século XVIII, Stanislaw Leszczynski. Depois da guerra, Kulski estudou arquitetura na Inglaterra e nos Estados Unidos, bacharelando-se em 1953 e concluindo seu mestrado em 1955 pela Universidade de Yale, e vindo a concluir o PhD em planejamento urbano em 1966, pelo Instituto de Tecnologia de Varsóvia Membro do comitê diretor da Fundação Kosciuszko, Kulski recebeu várias condecorações do governo polonês, entre elas a prestigiosa Cruz do Heroísmo, a Cruz de Comandante com Estrela da Ordem do Mérito, a Cruz de Prata do Mérito com Espadas, a Cruz do Exército Nacional, a Medalha do Exército Polonês (quatro vezes) e a Cruz do Levante de Varsóvia. Kulski vive com a esposa em Washington, D.C.



8 Comentários

  1. Olá.
    Dos lançamentos da editora, já tinha ouvido falar de Pensei que fosse verdade, mas não me interessei muito.
    Agora a Cor da Coragem já me chamou a atenção logo pelo início da sinopse. Gosto bastante de livros que se passem na época da segunda guerra. Este já entrou pra lista de compras obrigatórias.

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Me interessei pelo livro A Cor da Coragem. Gosto desse tema, apesar de ser triste e impactante, pode-se refletir mais sobre a vida e a humanidade. Com certeza uma rica leitura. Bjos.

    ResponderExcluir
  3. Adorei esses dois livros, são impressionantes as narrativas, principalmente A Cor da Coração, é simplesmente incrível e triste. Fatos históricos com Guerras sempre nos fazem chorar e ver a dor dos que passaram por momentos ruins como esse.

    ResponderExcluir
  4. Hello,
    Fiquei interessada no livro Pensei que fosse verdade, A cor da coragem parece ser bom também, mas ainda irei esperar alguma resenha, pois o livro não faz muito o estilo de leitura do qual estou acostumada.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  5. Pensei que fosse verdade parece bom, vou aguardar as resenhas :)

    ResponderExcluir
  6. gosto bastante de livros cujo tema são 1° e 2° guerra mundial por isso fiquei interessada em A Cor da Coragem.

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Pelas sinopse os livros parecem ser interessante, mas infelizmente nenhum me chamou atenção !!

    ResponderExcluir
  8. Queria ler e participar do projeto de leitura do livro Pensei que Fosse Verdade, mas infelizmente não consegui, parece um bom drama

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.