São tempos difíceis para Jackson e sua família. O dinheiro para o aluguel acabou. E talvez não sobre nada para as compras do mês. Mais uma vez, seus pais, sua irmã e sua cachorrinha terão de deixar o prédio onde moram para viver em uma minivan. Mas, pior do que a falta de dinheiro e as incertezas com relação ao futuro, é a mania dos pais de Jackson de tentarem encobrir os problemas. O garoto é jovem demais para entender a situação, é o que eles pensam. Na verdade, é o que todos pensam. Todos, exceto Crenshaw. Crenshaw é um gato… um gato gigante e imaginário. E é ele quem vai ajudar Jackson a encarar de frente a dura realidade. No início, o menino tenta rejeitá-lo como um mero produto de sua imaginação, afinal, quem aos dez anos ainda é capaz de ter amigos imaginários? Mas a sinceridade e a sabedoria do gato começam a ecoar em sua vida. Ninguém precisa carregar o peso do mundo sobre os ombros, Jackson menos ainda. E o sarcástico Crenshaw é o companheiro que ele realmente precisa. Alguém imaginário o suficiente para lhe dizer algumas verdades. Com uma narrativa elegante e comovente, Katherine Applegate trata com delicadeza de temas difíceis, como a pobreza e a fome.


Beatrix se sente num limbo quando o assunto é relacionamento. Estranha demais para os esportistas, não estranha o suficiente para os geeks. O fato é que ela é uma jovem artista, mas geralmente os rapazes se assustam com um detalhe: seu talento peculiar em fazer ilustrações da anatomia humana. E, na real, ela não está nem um pouco preocupada em se encaixar num padrão. Determinada a ser uma grande ilustradora, ela sabe muito bem o que fará nas férias de verão antes de concluir o Ensino Médio: seguir os passos de grandes mestres como Leonardo da Vinci, ou seja, desenhar cadáveres de verdade. Contudo, enquanto tenta se infiltrar nas aulas de anatomia da universidade, Beatrix conhece um rapaz misterioso que vira seus planos de cabeça para baixo. Jack é encantador, irresistivelmente atraente e… um dos grafiteiros anônimos mais procurados de São Francisco. Entre passeios noturnos, fugas da polícia e palavras douradas dominando a cidade, ela começa a desvendar quem Jack realmente é, assim como o grande segredo escondido sob sua melancolia. E Beatrix também precisa enfrentar os próprios fantasmas, como os problemas financeiros, o pai ausente e a solidão. Numa paixão irreprimível, os dois vão descobrindo um ao outro – e como transformar essa profusão de sentimentos em expressão, arte e amor.
Sobre o livro:

“Pegue a cidade de São Francisco contemporânea, adicione um quê de Romeu e Julieta, acrescente um punhado de coragem e vísceras, junte a tudo isso dois jovens extraordinários… O resultado é uma investigação provocante da arte como expressão de angústia e amor.” Kirkus Reviews

“Esse é o meu lance. Não sou como aqueles alunos criativos da aula de artes, que fazem saias com sacos de lixo e usam cores malucas. Pelo menos não mais. Nos últimos anos, limitei-me a lápis e tinta preta, e só desenho corpos – velhos ou jovens, masculinos ou femininos, tanto faz. Gosto da forma como ossos e pele se movem, gosto de ver como todas as cavidades do coração se encaixam.”

Destaques:

Criada por uma autora-artista, A anatomia de um coração é uma narrativa tão peculiar quanto empolgante e fala diretamente com a sensibilidade e, sobretudo, a humanidade existente em cada um de nós.

Beatrix é uma jovem protagonista com personalidade. Numa narrativa em primeira pessoa, o leitor poderá acompanhar sua empolgante trajetória de desenvolvimento como artista e autoconhecimento como mulher.

A obra apresenta dois artistas que seguem caminhos diversos para suas criações. Enquanto Jack vive perigosamente e transforma suas emoções em arte pelas ruas de São Francisco, Beatrix sabe a importância da técnica para que suas artes sejam úteis em livros de anatomia. O encontro dos dois é explosivo como um Big Bang: surge todo um universo de possibilidades. Tanto no campo das artes quanto do amor.

A anatomia de um coração, além de ser uma ficção realista jovem empolgante, repleta de conflitos e descobertas da jovem protagonista, é uma bela homenagem a todos que fazem arte – sejam consagrados ou não.

A ilustração da capa é uma criação inédita do renomado caligrafista e grafiteiro Carlos Siqueira.

8 Comentários

  1. Esses livros achei incrível! O que eu mais gostei do primeiro livro foi o fato de ter amigos imaginários e como o garoto superará seus problemas. O segundo livro tem uma trama muito artística e eu lírico, achei maravilhoso a aventura desse casal e a arte ♥

    ResponderExcluir
  2. Estou encantada com a capa de Crenshaw. Gostei do enredo do livro e achei bem original, afinal não me lembro de ter visto por aí algum livro que abordasse amigos imaginários como tema. Mas ainda não sei se leria o livro.
    Quanto a Anatomia de um coração, nada nele me chamou a atenção.

    ResponderExcluir
  3. Oiie,
    Os lançamentos pelo visto são ótimos, amei as capas, mas ainda não me decidi quanto a ler eles, irei aguardar alguma resenha.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Que capa mais fofa essa do livro Crenshaw! E a premissa também é muito diferente e convidativa. Gostaria de ler. Vamos aguardar resenhas desses lançamentos. Obrigada pelas dicas. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Que capa linda essa do livro Crenshaw já gostei dele, pretendo ler.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Gostei da historia de Crenshaw e da capa que logo me chamou atenção, mas infelizmente não é o tipo de livro que gosto de ler !!

    ResponderExcluir
  7. Duas capas lindas e sinopses incríveis, essa editora está arrasando, quero ler Crenshaw

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.