Passados alguns meses da Epidemia, Sadie Walker é uma das sobreviventes do grande apocalipse zumbi. Manter-se vida em Seattle, cuidar de seu sobrinho Shane e escapar de zumbis violentos são as metas dessa heroína. Mas, para isso, Sadie precisa saber em quem confiar, pois a cidade está tomada pelo crime e todos aqueles que pareciam ser seus amigos estão envolvidos em perigosas transações do mercado negro. Quando tudo parece difícil, um novo ataque zumbi atinge a cidade e as coisas ficam ainda piores. Então, Sadie se pergunta: O que Allison Hewitt, a exterminadora de zumbis, faria numa situação como essa? Inspirada pelo blog de Allison, Sadie consegue salvar seu sobrinho de um sequestro e a única chance de escapar de Seattle é fugindo para ilhas San Juan. A ilha parecia ser um lugar seguro, mas a ilha estava cheia de zumbis com um apetite insaciável. Num ritmo alucinante, Madeleine Roux cria uma narrativa na qual o realismo e o humor caminham lado a lado, fazendo desse apocalipse zumbi uma história cheia de expectativa.




Eu gosto muito da escrita de Madeleine Roux e mais ainda de Zumbis, então quando vi esse lançamento, após ter lido o primeiro volume, sabia que não poderia ficar de fora.
Apesar de ter achado que essa série era algo mais infantil ou voltado para o mundo dos HQ'S, posso dizer com total convicção o quanto a autora me impressionou mais uma vez! Este é o segundo volume da Zumbisaga e depois de ter adorado o primeiro, não poderia mesmo deixar de ler Sadie contra os Zumbis.

A história traz sobreviventes de um apocalipse Zumbi da cidade de Seattle que buscam viver de maneira pacifica e amigável em meio ao caos e todo terror imposto pelo "fim dos tempos" ou da "raça humana" com os crescentes números de Zumbis que cercam a cidade onde todos se abrigaram e uma divisão dentro do núcleo de sobrevivência. Nesse mundo devastado conheceremos Sadie uma ex-ilustradora que acabou tendo que puxar para si a responsabilidade de seu sobrinho Shane de oito anos, já que são os únicos sobreviventes de sua família. Uma relação superficial, já que Shane é um menino muito calado e que não tem a menor interação com sua única parente viva. Eles fazem parte do grupo repovs que tem como interesse repovoar o mundo, porém quando as coisas pareciam que iam se encaixar, ou ao  menos proporcionar uma segurança, um grupo de Zumbis invade os muros da cidade forçando Sadie a se unir a um grupo pouco provável em busca de sobrevivência. Nesse grupo encontram-se uma traficante chamada Andrea, Arturo - tio de Andrea, Noah - um adolescente, um ex-crítico de arte e uma suposta enfermeira toda suja de sangue e acabam encontrando outras pessoas em uma ilha e se unem ao grupo. 

Muitas situações acontecem e o grupo pouco parecido de pessoas precisa aprender a lidar uns com os outros em prol da sobrevivência, mas os descontentamentos e inseguranças são muitos, assim como segredos, mortes e grandes descobertas que marcam a todos com certo tom de perigo constante.
O perigo vai muito além do que imaginavam e está a espreita apenas aguardando para dar o bote!

Intercalando passado e presente Sadie vai nos contando tudo que aconteceu e está acontecendo de uma maneira bastante ágil e interessante, ela não é dessas mocinhas mimizentas, ela é engraçada, sarcástica e completamente palpável. 

Não se engane pela capa "fofinha e delicada" que parece meio infantilizada; Sadie contra os Zumbis traz uma narrativa recheada de mortes, tensão, humor negro, palavrões e bastante adrenalina. 

Eu simplesmente amei!



Um Comentário

  1. Ahhhh acabei de ler a resenha do primeiro volume aqui no blog e só sei que quero MUITO. Não fazia ideia da existência desses livros até pouco tempo e já estou apaixonada, e essa nota maravilhosa que você deu só me deixou ainda com mais vontade. Imagino como deve ter sido desenvolvida essa história.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.