Rosa Howard tem quase 12 anos e é obcecada por regras, especialmente as da língua – um sintoma de seu diagnóstico de autismo.

Nem todos entendem bem as obsessões de Rosa e tudo que a torna diferente. Suas professoras, as outras crianças e até mesmo seu pai – uma figura distante, apesar do convívio diário – têm muitas dificuldades em lidar com ela. Felizmente, seu querido tio Weldon e sua cachorra Poça estão sempre presentes.

Porém, quando uma tempestade terrível atinge a cidade onde Rosa vive, Poça desaparece. A menina não tem dúvida: seu pai não deveria ter deixado Poça sair de casa no meio de uma supertempestade.

Rosa precisará encontrar sua cachorra, mesmo que isso signifique quebrar sua rotina e ir a lugares onde ela não está acostumada. E, quando tudo parece estar resolvido, ela encontra os antigos donos da Poça…

Como procurar um cachorro perdido – por Rosa Howard é uma narrativa poderosa e emocionante, contada de forma brilhante através dos olhos de uma menina autista.



Encontrei nesse livro um misto de reflexões que jamais imaginei encontrar; a narrativa é dessas que prende e emociona do começo ao fim! Desde sempre filmes e livros com amigos de estimação sempre me ganham e por muitas vezes até arrancam lágrimas! rs
Sim gente! Eu tenho um lado doce - as vezes! rsrs
E esse livro é ainda mais especial. Abaixo explico o motivo.

Rosa mora com sua cachorra Poça e seu pai Wesley, além de ter seu tio Weldon sempre presente e muitas vezes assumindo para si responsabilidades sobre as coisas ao redor da vida de Rosa. Ela não tem uma mãe presente e guarda apenas alguns fragmentos de memórias da mesma. Ela é muito apegada a Poça, e o carinho que as une é simplesmente incrível e crível a olho nu, saltando diante dos nossos olhos pelas páginas deste livro incrível! 

Acontece que Rosa é autista, e quem conhece a patologia sabe o quão complicado é para que pessoas consigam entrar em seu mundo.. Então poder perceber as nuances da relação de Rosa com Poça é incrível. Infelizmente Rosa não tem nenhum amigo na escola, isso se dá a dificuldade que possui em se comunicar.
Rosa, assim como muitos que possui a síndrome de Asperger, gosta das coisas a seu modo, ou digamos de coisas especificas, e ela gosta de três delas: Regras, palavras e números.


Essa foto foi ideia da minha filha, pois é o cachorro e pelúcia que ela dorme e tem o mesmo nome do nosso amigo doméstico - Thuquinho!


O mundo de Rosa se vê abalado quando Poça se perde em um de seus passeios solitários com um furacão prestes a chegar. Rosa terá muito com o que lidar e Ann M. Martin soube nos mostrar nitidamente cada sentimento vivenciado por Rosa. Sua narrativa é fluída e simples e encanta a todo tipo de leitor este é um desses livros que certamente irão ganhar seu seu coração. A história pode inclusive ser lida por crianças, pois não se trata em si da patologia de Rosa e sim da menina e suas dificuldades na vida. 




7 Comentários

  1. Karini!
    Adoro leitura com animais e bichos de estimação, dão sempre um ar de brincadeira e jovialidade ao livro.
    Nossa! Fiquei imaginando a Rosa em busca de Poça, apesar de ter autismo e gostar de tudo certinho como ela quer e não estar acostumada a sair de sua rotina. É muito amor pelo bichinho, né?
    Desejo uma semana de alegria!
    “Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade.” (Georges Bernanos)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Nunca me interesso por livros com animais mas esse me chamou a atenção pela garotinha ter autismo. A relação dela com o bichinho deve ser um elo muito forte e quero saber mais disso

    ResponderExcluir
  3. Que historia mais lindinha, meu deus
    Eu tão bonito que ver que autores colocando personagens que tem autismo, por exemplo.
    A participação de animais na vida das pessoas são tão importante quanto comer haha
    E quando algo acontece, ele desaparece a gente fica desesperado. Imagina uma garota de 12 anos. Enfim, acho que vou chorar lendo essa obra, o que amo.. pois gosto da conexão que historia assim faz com a gente

    ResponderExcluir
  4. A história é bonita, mas não curto histórias com animais, mas torço por um final feliz nessa história.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Karini!
    Não conhecia esse livro!! Mas adoro livros com animais envolvidos na história!! Gostei muito da premissa e quero saber mais sobre a Rosa e Poça!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  6. Oi, Karini.
    Esse não é o tipo de livro que eu curto - não leio livros com cachorros -, mas achei, pela sua resenha, que essa é uma história muito emocionante! Fiquei rindo aqui porque a Poça saiu na chuva! (sim, sou besta nesse nível quinta série!)...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.