São tempos difíceis para Jackson e sua família. O dinheiro para o aluguel acabou. E talvez não sobre nada para as compras do mês. Mais uma vez, seus pais, sua irmã e sua cachorrinha terão de deixar o prédio onde moram para viver em uma minivan.

Mas, pior do que a falta de dinheiro e as incertezas com relação ao futuro, é a mania dos pais de Jackson de tentarem encobrir os problemas. O garoto é jovem demais para entender a situação, é o que eles pensam. Na verdade, é o que todos pensam.
Todos, exceto Crenshaw.

Crenshaw é um gato… um gato gigante e imaginário. E é ele quem vai ajudar Jackson a encarar de frente a dura realidade. No início, o menino tenta rejeitá-lo como um mero produto de sua imaginação, afinal, quem aos dez anos ainda é capaz de ter amigos imaginários? Mas a sinceridade e a sabedoria do gato começam a ecoar em sua vida.

Ninguém precisa carregar o peso do mundo sobre os ombros, Jackson menos ainda. E o sarcástico Crenshaw é o companheiro que ele realmente precisa. Alguém imaginário o suficiente para lhe dizer algumas verdades.

Com uma narrativa elegante e comovente, Katherine Applegate trata com delicadeza de temas difíceis, como a pobreza e a fome.



Crenshaw nos traz uma história que pode ser lida tanto por adultos quanto por crianças e acreditem, os pontos de vista sobre a história podem variar muito, falo com propriedade já que o mesmo foi lido por mim e pela minha filha. Adoro livros que posso compartilhar com ela, que tem oito anos, e depois conversarmos a respeito. Acho isso muito importante, pois estimula a imaginação, a interpretação, a interatividade comigo, além de muitos outros benefícios que a leitura nos traz.

Esta história em especial foi algo bem legal mesmo, pois recentemente eu voltei a trabalhar fora e tem sido muito difícil para minha caçula essa separação, já que estive presente para ela desde seu nascimento em tempo integral, então através da situação de Jackson pude explicar mais um pouquinho os motivos de eu ir trabalhar em plantões de 24h 3x na semana deixando-a aos cuidados do pai.. Claro que ainda tenho um longo caminho pela frente com minha mocinha, mas acredito que o livro somou bastante a situação que estamos vivendo em casa.

Bom.. Chega de falar da vida pessoal, e bora falar do livro não é?!

Crenshaw traz a história de Jackson que junto com sua família estão beirando a possibilidade de terem de sair do conforto de seu lar para morarem em um trailer por motivos financeiros novamente e o menino com sua imaginação fértil passa a ver um antigo amigo imaginário que geralmente o ajudava em momentos conflitantes; mas a questão é que Jackson não gosta nem um pouco de ter Crenshaw novamente, afinal ele já está crescido e pode muito bem entender tudo por si e não precisa mais de Crenshaw para lhe dizer o que fazer ou que caminho seguir. Jackson é vidrado em fatos e essa história de amigo imaginário depois de crescido é no mínimo esquisito. Mas Crenshaw mostra a Jackson que voltou simplesmente pelo menino precisar dele mais uma vez.

A primeira vez que Crenshaw apareceu para Jackson ele era bem pequenino e morava no trailer com sua família, como lhe faltavam amigos, lhe sobrava imaginação e de repente um novo amigo surgiu para lhe fazer companhia. Mas como disse acima, no mínimo é bem estranho já que essa fase já passou, não a crise financeira; que parece ser a mesma de antes ou até pior, mas a fase de acreditar no imaginário, no invisível aos olhos comuns.

Atentem que Crenshaw é um amigo imaginário - gato gigante - por assim dizer, não um menino imaginário, ou pessoa.. Um gato! Isso mesmo.. E por isso a história torna-se ainda mais interessante!

Os pais de Jackson não acham que ele possa lidar com a situação real e de certa maneira tentam "enfeitar" a situação para tornar as coisas mais "fáceis"; então a presença de Crenshaw é fundamental nessa situação, pois seu amigo imaginário lhe mostra que ele pode e deve lidar com a situação que está vivendo e que inclusive precisa ser mais claro com seus pais para assim melhorar a relação deles, através de fatos e verdades e não de verdades "enfeitadas".






A história é de fácil compreensão e traz um misto de reflexões e situações reais que podem ser misturados à realidade e interpretados e "adaptados" a diversas realidades e até ajudar em um momento em que precisamos que uma criança entenda mudanças. Como mencionei lá em cima, minha filha encontrou dificuldade imensa em aceitar minha ausência constante por motivos de trabalho e o livro fez com que abrisse uma brecha para falar sobre as mudanças na nossa "vida real".

Infelizmente a vida não é uma constante, estamos em constante mudança e passamos por momentos em que precisamos sair da zona de conforto, para crianças isso pode até ser traumático. Aqui em casa faremos terapia em família.. Quem sabe se minha Ana tivesse um Crenshaw seria mais fácil! rsrs

Apesar de ter amigas, ela ainda sim sente minha falta e se deprime. Quem dera poder manter a pureza inocente da minha criança, sem precisar explicar que mesmo sem querer, preciso trabalhar para lhe proporcionar mais conforto e ao seu irmão. O que ela me responde é: "Mãe não preciso de nada além de você" - Quem dera fosse tão simples não é?


5 Comentários

  1. Ai Karini!
    Até chorei com esse último comentário feito por sua pequena... É tão difícil aceitar a ausência da mãe, principalmente quando foram sempre bem ligadas...mas, é bem como falou, temos de ir mostrando a realidade e ela tem de entender que estar junta 24h por dia não é tudo, o amor e o companheirismo nos momentos em que estão juntas é o principal...
    Bem, vou parar porque se não choro novamente...
    Quanto ao livro, é tão importante ver que uma leitura pode além de trazer uma boa leitura, nos auxilia na explicação de vários fatos da vida e pode servir de exemplo para um entendimento maior.
    Quero ler.
    “Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade.” (Georges Bernanos)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Acho que esse livro nos mostra como as crianças entendem bem mais do que os adultos perceber. Gostei da resenha e acho interessante esse tema de amigo imaginário

    ResponderExcluir
  3. Super fiquei apaixonada pelo garoto Jackson, apesar da pouca idade ele já passou por tanta coisa, e é tão lindo ver ele continua de pé. E o Crenshaw vai ajudar nisso. No inicio achei que ele era um gato real e não imaginário. E bem, já tive amigos imaginário então eu sei quanta diferença isso faz na vida de uma criança. Esse livro sem duvida é inspirador

    ResponderExcluir
  4. Oi, Karini!!
    Que bom que o livro ajudou você nesse momento!! Adorei a premissa do livro e fiquei muito comovida com essa história!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  5. Boa opção para eu ler para meu filho, pois também trabalho e é muito dificil para ele, principalmente depois de um feriado prolongado. Gostei e quero comprar esse livro.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.