Sinopse - Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.  Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...  Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre.


No segundo livro da série, Mia vai para Seatle trabalhar como musa inspiradora de Alec Dubois, um artista francês que irá realizar uma exposição dos quadros que está compondo no momento.
Mia está um pouco insegura com o novo trabalho após ter passado o mês com Weston, pois não imaginava se envolver emocionalmente com ninguém no momento, muito menos com o seu primeiro cliente. Weston e Mia fizeram um acordo: após os doze meses eles iriam tentar explorar a conexão que tiveram e ver se isso se desenvolve em um relacionamento. Mas esperar doze meses é algo complicado e tanto Mia quanto Weston anseiam por mais.
Alec é um homem sensual, extremamente focado no trabalho, mas ao mesmo tempo é uma pessoa muito sexual. Ter Mia como musa aproxima os dois de uma forma inesperada e ambos decidem aproveitar o mês ao máximo.
Diferentemente do Weston, Alec não é um homem que romantiza o mês. Ele sabe aproveitar o tempo com Mia e acaba ensinando a protagonista a amar a si própria em primeiro lugar. Começamos a ver a partir desse segundo livro a personalidade da jovem. Uma mulher que projeta uma imagem de segurança, mas que é vulnerável.
"- Por que você não se ama? - Suas palavras me atingiram como uma marreta, deixando um buraco gigante na minha alma." (p. 41)
Através da arte de Alec, tanto o leitor quanto a protagonista refletem sobre o amor-próprio, a auto-imagem e a aceitação.
" - Mas... por quê? Essas coisas são difíceis de entender. E não é só isso. Frequentemente, são coisas que dilaceram as pessoas.- Assim como a arte pode fazer, às vezes. Está tudo nos olhos de que vê. O que você vê e o que eu vejo podem ser duas coisas diferentes." (p. 63)
Mia continua carismática e tem um humor meio ácido e sarcástico, mas também é gentil e realmente se preocupa com as pessoas que vai conhecendo. 
A química entre Alec e Mia é perceptível, mas é completamente diferente do protagonista de janeiro. Aqui vemos os protagonistas vivendo o momento, explorando o prazer e curtindo um ao outro.
Em relação à revisão, diagramação e layout foi realizado um ótimo trabalho. A capa combina com a capa do livro anterior.
"-Très jolie fille - ele sussurrou, no idioma que estava rapidamente se tornando uma tara para mim. Não que antes não fosse, mas, depois que tive seus lábios nos meus e sua língua em minha boca, aquelas palavras acariciavam meus sentidos tão facilmente quanto eu imaginava que seu toque faria. Com vigor, desejo e luxúria." (p. 18)


Confiram a resenha do livro anterior
* A garota do Calendário - Janeiro

7 Comentários

  1. Oi Carol
    De todos os meses (já li até novembro) Fevereiro foi o que menos gostei.
    N tem quem me faça gostar do Alec kkkkkkkkkkkkkk

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Carol.
    Eu confesso que amei todas as capas, mas confesso que estou relutante em ler essa série por causa de ser a estória com tantos homens, não gosto muito do gênero ou dos relacionamentos assim, mas confesso que minha curiosidade está aguçada.
    Adorei que o personagem desse mês ensina ela a se amar em primeiro lugar e que não tem toda romantização,a mas ainda assim não teno certeza se leria.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carol.
    Confesso que detestei o Alec quando li esse segundo livro.
    Achei o homem cansativo demais para o meu gosto! kkkk
    Mas me diverti!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  4. Carol!
    como não li nenhum dos livros da série, não posso fazer comparações.
    O que posso dizer é que se Alec conseguiu inserir um pouco de amor próprio em Mia, já está valendo a leitura.
    “Não confunda jamais conhecimento com sabedoria. Um o ajuda a ganhar a vida; o outro a construir uma vida.” (Sandra Carey)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carol!!
    Como não li nenhum dos livros não posso opinar!! E sinceramente não sei se vou ler algum dia essa série!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  6. Não li o primeiro livro por isso não posso esta dizendo muita coisa
    Porém é serie de livros que quero acompanhar, pois existe varias resenhas
    e elogios, que me deixa curiosa para ler essa coleção.
    Beijos, continue com as resenhas sobre Garota do Calendário
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Carol,pelo visto o primeiro livro foi bem melhor que o primeiro não é?!
    Não li ainda,mas acredito que o motivo seja pelo livro do mês de janeiro ser mais romântico... Talvez mais envolvente?
    Não sei!
    Só sei que gostaria.de conferir. :)

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.