Sinopse - Seus olhos estão arregalados… Seus lábios estão entreabertos… Seu corpo está congelado… Mas ela não é a única. Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato. A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres. Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o assassino se aproxima dela. Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes.
"A Garota no Gelo" é o primeiro livro da série Detetive Erika Foster, uma protagonista transtornada que recentemente voltou ao trabalho. A trama é narrada em terceira pessoa e se passa em Londres.
O livro começa quando o corpo de uma jovem é encontrado embaixo do gelo, no lago do Horniman Museum por Lee Kinney, um funcionário temporário. Acontece que a vítima é Andrea Douglas Brown, filha do Lorde Douglas-Brown, dono de uma empresa de segurança privada que desenvolve GPS e softwares para o governo.
"Então ele viu. Exatamente debaixo de onde tinha agachado estava o rosto de uma garota. Seus inchados e leitosos olhos castanhos inexpressivos encaravam-no. Uma mecha emaranhada de cabelo escuro estava fundida ao gelo. Um peixe passou nadando lentamente com o rabo roçando os lábios da garota, que, abertos, davam a impressão de que ela estava prestes a falar." (p. 15)
O caso torna-se rapidamente um furor na mídia, que retrata Andrea como uma jovem socialite e herdeira e seu assassinato um retrato do horror de uma sociedade criminosa. Porém, algumas discrepâncias começam a aparecer, como o fato de que o último local em que ela foi vista não é exatamente um local que uma garota rica normalmente frequentaria.
O pai de Andrea começa a cobrar a polícia para que o caso seja resolvido rapidamente e na delegacia de polícia de Lewisham Row, o superintendente Marsh chama a Detetive Erika Foster para comandar a equipe de investigação. Erika esteve afastada da polícia desde que comandou uma missão que levou a morte de alguns membros da equipe, inclusive Mark, o seu marido. Desde essa missão, Erika é transtornada com pesadelos e pelo luto. Afinal, todo o futuro planejado pelo casal agora é inexistente e Erika se vê em um estado de ostracismo. Amigos, colegas e outros policiais da delegacia onde trabalhava a culpam pelo acontecimento e sua nova realidade é a solidão.
A chegada de Erika gera desconforto entre os novos policiais, principalmente com o Detetive Sparks, o atual líder da equipe e que agora, terá que se tornar um subordinado. Sparks é teimoso e não tem problema em demonstrar seu desgosto em relação à Erika e as suas teorias, tentando minar sua autoridade e torná-la uma piada. Além disso, Erika precisa lidar com a política. Tudo o que ela quer é resolver o caso e trazer justiça, mas o pai da vítima usa sua influência para controlar a investigação.
"Quando Erika desligou o celular, estava formigando por causa da atitude de Marsh. Se tinha uma coisa que ela desprezava no Reino Unido era o sistema de classes. Mesmo em uma investigação de assassinato, parecia que Marsh queria que a família tivesse algum tipo de tratamento VIP." (p. 34)
Simon e Diana Douglas-Brown são indivíduos que se preocupam com as aparências e que ficam contrariados quando a detetive começa a investigar as discrepâncias na vida de Andrea. Seus questionamentos trazem desconforto a eles e a seus outros dois filhos, além do noivo da vítima, Giles Osborne, dono da Yakka Events.
Quanto mais mergulha na investigação, a detetive Foster se depara com a depravação humana, com situações de violência e até mesmo uma luta pela própria sobrevivência. A descoberta de outras três jovens imigrantes que foram assassinadas da mesma maneira que Andrea, mas suas origens e profissões indicam que a jovem socialite estava envolvida em algo macabro.
Os capítulos alternam entre a investigação e a visão do assassino. Vemos um indivíduo doente, obsessivo e totalmente desprovido de compaixão.
O livro vai apresentando aos poucos os membros da nova equipe de Foster, como a detetive Moss, o Sargento Crane e o detetive Peterson. O leitor vai conhecendo um pouco não apenas do lado profissional dos personagens, mas também da sua vida pessoal. Por ser o primeiro livro, existem muitas informações que não estão relacionadas diretamente com o caso em si, mas sim com a construção da série.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. Existem alguns errinhos de digitação, como por exemplo nas páginas 30,79,112 e 132, mas nada que interfira na compreensão do texto. A capa chama a atenção e combina perfeitamente com o tema central do enredo.
"- Prostitutas sujas e pobres do Leste Europeu encontradas mortas; ok, merdas acontecem. Jovem filha de nobre milionário encontrada estrangulada..." (p. 172)

Para comprar o livro pela Amazon, acesse: http://amzn.to/2saFWx3

7 Comentários

  1. Carolina!
    Gosto muito de livros policiais com tom de thriller, além do que, a protagonista tem se afirmar dentro de uma equipe já formada e que não aceita ser subordinado a ela. São muitos problemas que ela tem de enfrentar e ainda tentar descobrir quem está cometendo os assassinatos.
    Extasiada aqui, quero ler.
    Desejo uma ótima semana!
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uau, que sinopse boa hein? Gosto dessas que prendem a gente e a curiosidade fica logo aguçada.
    Legal que vai ser uma série e melhor ainda o jeito que começou. É tão intrigante imaginar que essas meninas são encontradas no gelo e mais ainda pensar porque essa é a marca do assassino. Eu adorei a história e um bom livro policial sempre deixa o leitor feliz. Fiquei bem curiosa ;)

    ResponderExcluir
  3. Olá! Adorei a proposta deste livro, gosto de suspense e romance policial, tem todo esse clima de tentar descobrir quem cometeu o crime, conhecer mais sobre a vítima, e acompanhar a investigação da protagonista, bom saber que a leitura vale a pena, dica anotada.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Que premissa incrível, a história do livro tem um pouco de misterio, investigação e sao coisas que eu gosto bastante. Ainda sim, fiquei curiosa pelo acontecimento da personagem encontrada morta, fiquei me perguntando como ela foi para lá.

    ResponderExcluir
  5. Olá Carol ;)
    Estava doida pra ler esse livro, então adorei que você fez resenha! Se essa capa já chama a atenção, essa premissa faz o leitor ficar com muita curiosidade.
    Gostei dos temas que o autor aborda, como situações de violência e a luta pela sobrevivência. Agora estou ansiosa para ler A Garota no Gelo e os outros volumes da série.
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Carol.
    Estou apaixonada pelos livros dessa série! São demais!!
    Espero que tenha a chace de ler o segundo livro!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  7. Esse livro está na minha lista de desejados tem um bom tempo vamos ver se esse ano eu consiga ler ele ainda para acompanhar os outros porque ainda tem um segundo se sair mais ai vou ler em ebook mesmo pra não demorar tanto.
    Abraços!!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.