Sinopse - Seus alunos mataram sua filha. Agora ela quer se vingar. O mundo da professora Yuko Moriguchi girava em torno da pequena Manami, uma garotinha de 4 anos apaixonada por coelhinhos. Agora, após um terrível acontecimento que tirou a vida de sua filha, Moriguchi decide pedir demissão. Antes, porém, ela tem uma última lição para seus pupilos. A professora revela que sua filha não foi vítima de um acidente, como se pensava: dois alunos são os culpados. Sua aula derradeira irá desencadear uma trama diabólica de vingança. Narrado em vozes alternadas e com reviravoltas inesperadas, Confissões explora os limites da punição, misturando suspense, drama, desespero e violência de forma honesta e brutal, culminando num confronto angustiante entre professora e aluno que irá colocar os ocupantes de uma escola inteira em perigo. Com uma escrita direta, elegante e assustadora, Kanae Minato mostra por que é considerada a rainha dos thrillers no Japão. Você nunca mais vai olhar para uma sala de aula da mesma maneira.



"Confissões" é um livro eletrizante que aborda uma temática delicada e é escrito de forma surpreendente. Dividido em seis capítulos: Santidade, Martírio, Complacência, A Busca, Credulidade e Sacerdócio, e narrado tanto em primeira quanto em terceira pessoa, a história se desenvolve após a morte de uma garotinha de apenas quatro anos de idade e tem como protagonista uma mãe em busca de vingança...
"Alguns de vocês devem estar se perguntando por que escolhi o ensino fundamental e não o médio. Acho que eu queria estar na "linha de frente". Queria dar aulas para quem ainda estivesse na metade dos estudos obrigatórios. Quem está no ensino médio tem a opção de abandonar os estudos e, por isso, tem a atenção meio dividida. Eu queria trabalhar com alunos que ainda estivessem comprometidos com os estudos, que não tivessem escolha - e isso, para mim, era o mais perto que eu poderia chegar de uma vocação. Talvez vocês não acreditem, mas houve uma época em que eu era apaixonada por esse trabalho." (p. 09)
Inicialmente vamos conhecendo um pouco da história de Yuko Moriguchi, uma professora e mãe solteira. Ela conta sobre suas paixões, o motivo de ter criado a filha sozinha (e aqui em especial, quando conta a história do pai de Manami, há uma grande discussão sobre o preconceito diante de sua condição).
"Manami me perguntou uma só vez sobre o pai. Eu disse que ele trabalhava muito, que trabalhava tanto que não conseguia visitá-la. O que, no fundo, não era mentira. Depois de abdicar do direito de ser o pai de Manami, ele se afundou no trabalho como se o resto de sua vida dependesse disso. Mas o sacrifício dele acabou não fazendo sentido nenhum. Manami não está mais com a gente." (p. 16)
Conforme o enredo se desenvolve, Yuko vai relatando como Manami morreu e suas suspeitas, até mesmo como chegou a identidade dos dois culpados, que inicialmente ela chama de A e B. Segundo ela, A era um jovem de 13 anos de idade com um histórico de capturar e torturar animais pequenos, fazendo experimentos e criando aparelhos. Quando relatou isso a escola e aos pais (pois A mantinha um site) foi ignorada. Enquanto isso, B é um aluno que era mediano em notas, habilidades e por conta de uma punição, foi parar no local do crime.

A forma como a mãe relata tais fatos, como se fosse uma história corriqueira, é impressionante. Quanto mais ouvimos sua narrativa, mais estupefatos ficamos com a crueldade humana e com as leis que protegem os jovens, mesmo em casos de homicídio. 

Durante esses relatos, o leitor é apresentado a um cenário horripilante, onde vemos que a própria sociedade acaba impulsionando tais situações e que os jovens, cientes da impunidade, aproveitam esse período para agir de forma macabra.

"Confissões" não é apenas uma história sobre vingança, mas um livro repleto de crítica social e escrito de forma inteligente. Seu enredo contêm reviravoltas, suspense e mentiras e Yuko é uma protagonista peculiar, que desperta empatia por sua situação.



Para comprar o livro pela Amazon, acesse: http://amzn.to/2v8UAKO

7 Comentários

  1. Achei bem interessante essa resenha do livro. Fiquei bem curiosa para saber se os alunos teriam coragem mesmo de matar um criança inocente só para se vingar da professora deles.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  2. Imagino que seja um livro triste, pois aborda uma realidade diferente da nossa, onde as mulheres/mães solteiras são bem desvalorizadas.
    O que me deixa um pouco acabrunhada para fazer a leitura é que não gosto muito do tema vingança, acho deprimente e mesmo sabendo que a protagonista deva ter sofrido muito, não acredito que seja motivo para tentar se vingar de quem matou sua filhinha.
    Desejo uma ótima semana!
    “Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada.” (Immanuel Kant)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que livro !
    Uma mãe relatando a morte de sua própria filha e a busca pela vingança ..
    Parece ser um livro com uma caraga emocional muito grande e pesada..
    Não sei se eu leria esse livro porque muitas vezes não aguento ou não quero ver como as pessoas podem ser cruéis e que almejam a dor dos outros..

    Bj

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu li uma resenha sobre esse livro e fiquei bastante curiosa pela trama. A história é bem envolve, tem mistério por trás desse assassinato da filha da professora e também são fatos muitos horríveis. Um livro muito bom e com certeza uma leitura com muito mistério.

    ResponderExcluir
  5. Olá! O enredo da história não me agrada nenhum pouco, achei muito forte, só de ler a resenha já fiquei com água nos olhos, dessa vez vou deixar a passar a dica.

    ResponderExcluir
  6. ola nao sou muito de ler este genro sabe mais vou pasar a dica acho forte hehe nao gostei do contexto tambem nao
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Carol.
    Fiquei doida para ler esse livro agora!!
    Quero muito!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.